• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Priscila Soares Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2019
Orientador
Banca examinadora
Santos, Isabel Alves dos (Presidente)
Cordeiro, Guaraci Duran
Francoy, Tiago Mauricio
Taylor, Gavin Jonathan
Título em português
Morfologia do sistema visual de cinco espécies de abelhas noturnas do gênero Megalopta e as relações com o ambiente onde vivem
Palavras-chave em português
Cerrado
Floresta
Megalopta
Ocelos
Olhos compostos
Omatídeos
Resumo em português
As abelhas são tipicamente diurnas, mas há também algumas espécies noturnas ou crepusculares que voam e se alimentam antes do amanhecer ou depois do pôr do sol. Essas abelhas incluem dois grupos: crepusculares e verdadeiramente noturnos. O objetivo deste trabalho foi verificar as diferenças morfológicas no sistema visual de cinco espécies de abelhas do gênero Megalopta que vivem em áreas com vegetação fechada e aberta, mais especificamente da Floresta Amazônica, Mata Atlântica e Cerrado. Para isso foram utilizados espécimes secos coletados em outros projetos, de cinco espécies de Megalopta foram usadas. M. aegis, M. aeneicollis, M. amoena, M. guimaraesi e M. sodalis. As medidas de cabeça, olhos, ocelos e omatídeos foram realizadas utilizando técnicas de morfometria tradicional e geométrica. Essas técnicas apontaram diferenças entre as espécies, colocando M. sodalis como a espécie com as maiores medidas de cabeça, olho e ocelo. Já para o omatídeos, a espécie com maior quantidade é a M. aeneicollis, no entanto, a espécie com maior perímetro de omatídeos é M. sodalis, que possui menor quantidade. A hipótese do trabalho pôde ser parcialmente confirmada, pois M. sodalis é uma espécie típica de floresta, um ambiente com pouca luminosidade por conta da floresta densa e fechada, que requer olhos compostos e omatídeos maiores
Título em inglês
Morphology of the visual system of the five species of the genus Megalopta and the relationship with the environment which they live
Palavras-chave em inglês
Brazilian savanna
Compound eyes
Megalopta
Ocelli
Omattidia
Rain forest
Resumo em inglês
Bees are typically diurnal, but there are also some nocturnal or crepuscular species that fly and feed before dawn or after sunset. These bees include two groups: crepuscular and truly nocturnal. The objective of this work was to verify the morphological differences in the visual system of five species of bees of the genus Megalopta that live in areas with closed and open vegetation, more specifically of the Rain Forest, Atlantic Forest and Brazilian Savanna. For this, dried bees collected in other projects were used. Five species of Megalopta were used. M. aegis, M. aeneicollis, M. amoena, M. guimaraesi and M. sodalis. The measurements of head, eyes, ocelli and omattidia were made using traditional and geometric morphometry techniques. These techniques pointed out differences among species, placing M. sodalis as the species with the highest measurements of head, eye and ocelli. However, for the omatídeos, the species with the highest amount is M. aeneicollis, however, the species with the largest omatídeos perimeter is M. sodalis, which has a smaller quantity. The work hypothesis could be partially confirmed, because M. sodalis is a typical forest species, an environment with low luminosity due to the dense and closed forest, requiring compound eyes and larger omattidia
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Priscila.pdf (2.98 Mbytes)
Data de Publicação
2019-10-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.