• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Alessandro Lamira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Sousa Neto, Manoel Damião de (Presidente)
Figueiredo, Jose Antonio Poli de
Ginjeira, António Manuel Pinto
Martins Junior, Walter
Oenning, Anne Caroline Costa
Título em português
Interpretação de imagens tomográficas das fases do tratamento endodôntico utilizando a microtomografia como padrão de referência
Palavras-chave em português
Endodontia
Istmos
microCT
TCFC
Resumo em português
O objetivo do presente estudo foi comparar a sensibilidade e acuidade das imagens obtidas por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico (TCFC) com equipamentos com diferentes especificações técnicas, durante o tratamento endodôntico, tendo a microtomografia computadorizada como padrão de referência. Molares inferiores (n=14), com presença de istmo na raiz mesial, foram escaneados por microCT e por 3 diferentes tipos de TCFC, (1) Accuitomo (ACC), (2) NewTom 5G (N5G) e (3) NewTom VGi evo (NEVO), durante as 3 diferentes fases do tratamento: (1) diagnóstico e anatomia do sistema de canais radiculares (SCR), (2) pós preparo biomecânico e (3) pós obturação. Para a padronização das imagens obtidas com os diferentes aparelhos utilizou-se o programa MeVisLab. As imagens obtidas pelos quatro sistemas de imagens foram avaliadas quantitativamente pelos parâmetros bidimensionais de área, perímetro, circularidade e diâmetros maior e menor; e qualitativamente, por 2 examinadores calibrados, por meio de atribuição de escores em relação às fases do tratamento endodôntico: (1) classificação da morfologia do sistema de canais radiculares (SCR) segundo Vertucci (1984) e classificação de istmos segundo Hsu; Kim (1997); (2) presença ou ausência de debris no SCR e nas áreas de istmos e presença de perfurações radiculares e (3) qualidade da obturação no SCR e nas áreas de istmos. Os dados qualitativos foram avaliados estatisticamente por meio do teste Kappa e os quantitativos por análise de variância ANOVA e teste de Tukey, a concordância entre os dados foi verificada pelo coeficiente de correlação intercalasse (ICC) e regressão linear simples. Na fase inicial, houve concordância moderada (k=0,49) e substancial (k=0,63) entre o microCT e os TCFCs. Os TCFCs avaliados não apresentaram acuidade para a classificação dos istmos tipos II e III. Houve reprodutibilidade satisfatória entre microCT e TCFC apresentados pelos valores de perímetro, circularidade, diâmetros maior e menor (0,410,74), sendo esses valores menores para circularidade (0,410,42). O diagnóstico de debris no canal radicular e no istmo foi dificultado nas imagens do ACC (42,9%), N5G (40,0%), NEVO (40%), não mostrando concordância entre o microCT e os TCFCs (0,050,12). Após o preparo biomecânico 2,4% a 4,8% das imagens dos TCFCs demonstraram a presença de perfuração que não existia no microCT. Todos os parâmetros quantitativos analisados apresentaram reprodutibilidade excelente ou satisfatória entre o microCT e os TCFCs (0,600,76). Na avaliação da qualidade da obturação, foi possível o diagnóstico do istmo parcialmente preenchido em torno de 2,9% a 8,8% das imagens obtidas nos TCFCs quando comparados ao microCT em que foi possível o diagnóstico em torno de 26,5% das imagens, levando a uma falta de concordância entre microCT x ACC e uma concordância pobre entre microCT x 5G e microCT X NEVO. Os parâmetros, área, perímetro, diâmetro maior e diâmetro menor apresentaram concordância excelente, e as medidas da circularidade foram satisfatória, limitando a nitidez do material obturador. Os TCFCs fornecem subsídios para o diagnóstico e planejamento do tratamento endodôntico, porém é importante conhecer seus diferentes protocolos e limitações para atingir melhores resultados com menor risco e dano para o paciente
Título em inglês
Interpretation of tomographic images of endodontic treatment using a microtomography as a standard reference
Palavras-chave em inglês
Endodontics
Istmos
microCT
TCFC
Resumo em inglês
The aim of this study compared the sensitivity and acuity of the images obtained by cone beam computed tomography (CBCT) with equipment with different technical specifications during endodontic treatment, with microCT. Fourteen lower molars were evaluated, with the presence of isthmus in the mesial root. The samples were scanned by microCT and 3 different types of CBCT, (1) Accuitomo, (2) NewTom 5G and (3) NewTom VGi evo, during of the three stages of endodontic treatment, (1) initial, (2) post biomechanical preparation and (3) post-obturation. MeVisLab software was used for registration for all images. The images were analysed quantitatively by the two-dimensional parameters of area, perimeter, roudness and major and minor diameters; and qualitatively, by 2 calibrated examiners, through the assignment of choices regarding the phases of the endodontic treatment: (1) classification of root canal system (SCR) according to Vertucci (1984) and classification of isthmus according to Hsu; Kim (1997); (2) presence or absence of non-SCR debris and areas of isthmus and presence of root perforations and (3) quality of non-SCR obturation and in the isthmus areas.The qualitative data were evaluated statistically by means of the Kappa test and the quantitative variables by ANOVA and Tukey test, the agreement between the data was verified by the interclass correlation coefficient (ICC) and simple linear regression. In the initial phase, there was moderate agreement (k = 0.49) and substantial agreement (k = 0.63) between the microCT and the CBCTs. All CBCTs evaluated were not accurate for the classification of the isthmus types II and III. There was a satisfactory reproducibility between microCT and CBCT presented by the values of perimeter, roundness, major and minor diameters (0.41 0.74), lowest values for circularity (0.41 0.42). The assessment in the images of biomechanical preparation did not allow diagnosis of debris in the root canal and in the isthmus of ACC (42.9%), N5G (40.0%), NEVO (40%) and the results did not find agreement between microCT and the TCFCs (0.05 <0> 0.12). Perforations was showed in 2.4% to 4.8% the images of CBCT but not reported on microCT. The data of area, perimeter, major a minor diameter and roundness showed excellent or satisfactory reproducibility between the microCT and the CBCT (0.60 0.76). In the evaluation of the quality of the obturation, the images of the TCFC with the partially filled isthmus presented a value of 2.9% for the ACC and 8.8% for the N5G and NEVO, in this way, they did not agree the value showed in the microCT (26.5%), leading to a lack of agreement between microCT x ACC and poor agreement between microCT x 5G and microCT X NEVO. The parameters, area, perimeter, major and minor diameter presented excellent agreement, but the roundness measurements were satisfactory, making the obturator material clearer. The CBCTs provide subsidies for the diagnosis endodontic treatment, but it is important to know its different protocols and limitations to achieve better results with less risk and harm to the patient
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-07-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.