• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Souza Assis
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Saquy, Paulo Cesar (Presidente)
Lepri, Cesar Penazzo
Pereira, Gabriel Kalil Rocha
Sousa Neto, Manoel Damião de
Título em português
Avaliação da resistência de união de pinos de fibra de vidro multifilamentados em canais radiculares achatados
Palavras-chave em português
Canais achatados
Pino de fibra de vidro
Resistência de união
Resumo em português
O objetivo do presente estudo foi avaliar a resistência de união (RU) e a interface adesiva de pinos de fibra de vidro multifilamentados e convencionais em canais radiculares achatados. Molares inferiores foram escaneados por meio de tomografia computadorizada de feixe cônico para a seleção de 22 raízes distais com canais radiculares achatados, levando em consideração a relação de diâmetro maior/menor entre 2,5 e 4,0 e de circularidade < 0,35. Foi realizado o preparo biomecânico com instrumento Reciproc R50 e obturação pela técnica de condensação lateral com cimento AH Plus. As raízes foram distribuídas em dois grupos (n=11) de acordo com o protocolo restaurador utilizado: raízes com preparo do conduto radicular e cimentação de pinos de fibra de vidro convencionais (WhitePost DC #0,5, FGM, Joinvile, SC, Brasil), e raízes sem preparo do conduto radicular e cimentação de pinos de fibra de vidro multifilamentados Comet Tail® #4 (Synca, Repentigny, Quebec, Canadá). Os pinos foram submetidos a tratamento de superfície com ácido fluorídrico 10% e cimentados com cimento RelyX U200 de acordo com as recomendações do fabricante. Após a cimentação dos pinos, os dentes foram seccionados transversalmente em slices de 1 mm de espessura, obtendo-se 2 slices de cada terço (cervical, médio e apical). Os slices mais cervicais de cada terço foram utilizados para avaliar a RU, por meio do teste de push-out com velocidade de 0,5 mm/min, e posterior análise do padrão de falha em estereomicroscópio. Os slices mais apicais de cada terço foram selecionados para análise da interface pino/cimento/dentina em microscopia eletrônica de varredura com aumentos de 100, 1000, 2000 e 4000X. Os dados de RU e adaptação da interface cimento/dentina foram submetidos aos testes de distribuição normal (Kolmogorov-Smirnov e Shapiro-Wilk) e homogeneidade (Levene). Os resultados de RU foram expressos em valores médios (e desvios-padrão) e comparados entre grupos utilizando os testes ANOVA dois fatores com pós-teste de Tukey e os resultados da adaptação da interface foram expressos em porcentagem e comparados entre grupos por meio dos testes Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, seguido do teste de Dunns, com nível de significância de 5%. A análise de variância dois fatores evidenciou diferença estatisticamente significante para o fator tipos de pino de fibra de vidro (convencional e multifilamentado), sendo que o pino convencional (2,61 ± 1,30) apresentou os maiores valores de resistência de união quando comparado ao pino multifilamentado (1,59 ± 1,54) (P=0,008), no entanto, não houve diferença estatística para o fator terços radiculares (P=0,621) e nem para a interação dos fatores tipos de pino x terços radiculares (P=0,266). O padrão de falhas mostrou predominância de falhas adesivas mistas para os pinos convencionais e adesivas à dentina para os pinos multifilamentados. Já a análise da interface cimento/dentina por MEV, mostrou melhor adaptação do material restaurador no terço cervical para os pinos convencionais e nos terços médio e apical para os pinos multifilamentados. Conclui-se que os pinos de fibra de vidro multifilamentados apresentaram menores valores de resistência de união em relação aos pinos convencionais, com maior prevalência de falhas adesivas à dentina e melhor adaptação da interface adesiva nos terços médio e apical
Título em inglês
Evaluation of the bond strength of multifilament fiberglass posts in flat-oval root canals
Palavras-chave em inglês
Bonding strength
Flat channels
Glass fibrous pin
Resumo em inglês
The aim of this study was to evaluate the bond strength (BS) and the adhesive interface of multifilament and conventional glass fiber posts in flat-oval root canals. Mandibular molars were scanned by cone beam computed tomography for the selection of 22 distal roots with flat-oval root canals, with major / minor diameter ratio between 2.5 and 4.0 and <0.35 roundness. Biomechanical preparation with Reciproc R50 instrument and filling by lateral condensation technique with AH Plus sealer were performed. The roots were distributed in two groups (n = 11) according to the restorative protocol used: post space preparation with burs and conventional fiberglass post cementation (WhitePost DC # 0.5, FGM, Joinvile, SC, Brazil), or no post space preparation and #4 Comet Tail® multifilament fiberglass posts cementation (Synca, Repentigny, Quebec, Canada). The posts surface were treated with 10% hydrofluoric acid and cemented with RelyX U200 resin cement according to the manufacturer's recommendations. After the posts cementation, the teeth were sectioned transversely into 1 mm thick slices, obtaining 2 slices from each third (cervical, middle and apical). The cervical slices of each third were used to evaluate the BS by push-out test with 0.5 mm / min crosshead speed, followed by the analysis of the failure pattern by stereomicroscope. The apical slices of each third were selected for analysis of the post / resin cement / dentin interface by scanning electron microscopy with the following magnifications 100, 1000, 2000 and 4000X. The BS and adaptation of the resin cement / dentin interface data were submitted to normal distribution (Kolmogorov-Smirnov and Shapiro-Wilk) and homogeneity (Levene) tests. The BS results were expressed as mean values (and standard deviations) and compared between groups using two-way ANOVA with Tukey's post-test and interface adaptation results were expressed as percentages and compared between groups using the Mann-Whitney and Kruskal-Wallis, followed by Dunn's test, with a significance level of 5%. The two-way analysis of variance showed a statistically significant difference between the fiberglass posts types (conventional and multifilament), and the conventional posts (2.61 ± 1.30) had the highest bond strength values when compared to the multifilament (1.59 ± 1.54) (P = 0.008), however, there was no statistically significant difference for the root thirds (P = 0.621) and for the interaction between the factors (P = 0.266). The failure pattern showed a predominance of mixed adhesive failures for the conventional posts and adhesive to dentin failures for the multifilament posts. The cement / dentin interface analysis by SEM showed a better adaptation of the restorative material in the cervical third for the conventional and in the middle and apical thirds for the multifilament posts. It can be concluded that the multifilament fiberglass posts had lower bond strength values compared to conventional posts, with a higher prevalence of adhesive to dentin failures and better adhesive interface adaptation for the middle and apical thirds
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-07-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.