• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
https://doi.org/10.11606/D.5.2021.tde-27082021-105406
Documento
Autor
Nombre completo
Caren da Silva Dias
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2021
Director
Tribunal
Battistella, Linamara Rizzo (Presidente)
Alfieri, Fabio Marcon
Bydlowski, Sergio Paulo
Plapler, Pérola Grinberg
Título en portugués
Avaliação termográfica em pacientes com sequela de acidente vascular encefálico e a relação com a sensibilidade
Palabras clave en portugués
Acidente vascular cerebral
Distúrbios somatossensoriais
Percepção do tato
Reabilitação do acidente vascular cerebral
Sensação
Sensação térmica
Temperatura cutânea
Termografia
Resumen en portugués
INTRODUÇÃO: Distúrbios sensoriais são encontrados em indivíduos com sequela de Acidente Vascular Encefálico (AVE). OBJETIVO: O objetivo deste estudo foi de verificar a relação da temperatura corporal, com o desempenho sensório-motor e a sensibilidade tátil plantar de indivíduos com sequela de AVE. MÉTODOS: Este foi um estudo transversal observacional no qual participaram 86 indivíduos com sequela de AVE, do Instituto de Medicina Física e Reabilitação, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Foram divididos em dois grupos de 43, um grupo que relatava sentir alteração de sensação térmica e outro grupo que não relatava esta queixa. Os indivíduos fizeram avaliação do desempenho motor por meio da escala de Fugl-Meyer, realizaram o exame de termografia infravermelha, para avaliação da temperatura cutânea, e fizeram a estesiometria, para avaliação da sensibilidade tátil plantar, por meio de monofilamentos de nylon (SORRI Bauru, Semmes-Weistein Monofilaments). As imagens térmicas foram captadas por um sensor infravermelho, da marca FLIR T650SC® e posteriormente analisados pelo software FLIR Tools®. A comparação entre os grupos foi feita por meio dos testes: t de Student e teste exato de Fisher. As comparações que consideraram dois fatores foram realizadas por meio da ANOVA two-way para medidas repetidas. As correlações foram feitas por meio dos testes de Spearman. Em todos os casos, o nível descritivo alfa estabelecido foi de 5%. RESULTADOS: A média de idade do grupo com alteração de sensação térmica foi superior (58 anos) do que a do grupo sem sensação (48 anos), o grupo com sensação apresentou maior tempo de lesão (21 meses) em comparação ao grupo sem sensação (18 meses). Na Fugl-Meyer o grupo com sensação apresentou menores pontuações, com uma média de 120,60 pontos, já o grupo sem sensação 154,76 pontos. Foi observado maior discrepância de temperatura entre os hemicorpos, sendo 0,671 °C para o grupo com sensação e de 0,519 °C para o grupo sem sensação, mantendo essa diferença na região dos pés, no grupo com sensação 0,87 ºC, e 0,55 ºC no grupo sem sensação. Além disso, houve também maior diferença de sensibilidade entre os pés (plégico e sadio) no grupo com sensação (-1,06) e no grupo sem sensação (-0,85). Ao verificar a relação entre a sensibilidade tátil plantar e temperatura dos pés, houve associação muito fraca. Entretanto, o desempenho sensório motor, avaliado pela Fugl-Meyer mostrou estar associado à diferença de temperatura entre os lados (p < 0,001). O escore da Fugl-Meyer também possui relação significante (p < 0,001) com a diferença de sensibilidade tátil da região cutânea plantar. CONCLUSÕES: Indivíduos com sequela de AVE apresentam o lado plégico mais frio e menos sensível do que o lado sadio, independentemente de relatar ou não alteração de sensação de temperatura. O desempenho sensório-motor é pior naqueles indivíduos que relatam alteração da sensação de temperatura. Embora haja associação entre a sensibilidade tátil e a temperatura da região cutânea plantar essa associação é muito fraca, porém, quanto maior a diferença de temperatura, pior será a diferença de sensibilidade tátil plantar. Os dados mostram que quanto melhor o desempenho sensório-motor, menor será a diferença de temperatura entre os lados, bem como da sensibilidade tátil plantar
Título en inglés
Thermography evaluation in patients with sequelae of stroke and the relationship with sensitivity
Palabras clave en inglés
Sensation
Skin temperature
Somatosensory disorders
Stroke
Stroke rehabilitation
Thermography
Thermosensing
Touch perception
Resumen en inglés
BACKGROUND: Sensory disorders are found in individuals with stroke sequelae. OBJECTIVES: The object of this study was to verify the relationship between body temperature, with sensorimotor performance and a plantar tactile sensibility of individuals with stroke sequalae. METHODS: This was a cross-sectional observational study in which participated 86 individuals with sequelae of Stroke, from the Instituto de Medicina Física e Reabilitação, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. They were divided into two groups of 43, one group that reported sensation of thermal sensation and another group that not reporting this complaint. The individuals made motor performance assessment using the Fugl-Meyer scale, made the infrared thermography exam, to evaluate the skin temperature, and made esthesiometry, to assess plantar skin sensitivity, using nylon monofilaments (SORRI Bauru, Semmes-Weistein Monofilaments. The thermal images were captured by infrared sensor, brand T650SC® and later analyzed by the software FLIR Tools®. The comparison between groups made using the tests: t Student's t and exact Fisher test. Comparisons that considered two factors were performed using two-way ANOVA for repeated measures. The correlations were made using the Spearman test. In all cases, the descriptive level alpha was set at 5% (alpha < 0.05). RESULTS: The mean age of the group with alteration thermal sensation was higher (58 years) than that of the group without sensation (48 years). The group with sensation presented a longer injury time (21 months) compared to the group without sensation (18 months). At the Fugl-Meyer the group with a sensation of temperature alteration presented lower scores, with an average of 120,60 points, whereas the group without sensation 154,76 points. A greater temperature discrepancy was observed between the sides, with 0,671 ºC for the group with sensation and 0,519 ºC for the group without sensation, maintaining this difference in the region of the feet, in the group with sensation 0,87 ºC, and 0,55 ºC in the group without sensation. In addition, the was also a greater difference in sensitivity between the feet (plegic and healthy) in the group with sensation (-1,06) and in the group without sensation (-0,85). When verifying the relationship between the plantar tactile sensibility and the temperature of the feet, the association between them was very weak. However, the sensorimotor performance by Fugl-Meyer, was shown to be associated with a temperature difference between the sides (p < 0,001). The Fugl-Meyer score also has a significant relationship (p < 00,1) with the difference in tactile sensitivity of the plantar cutaneous region. CONCLUSIONS: Individuals with stroke sequelae shown the plegic side colder and less sensitive side than the healthy side, regardless of whether it is related or does not the alteration sensation of temperature. The sensorimotor performance is worse in those who reported alteration the sensation of temperature. Although there is an association between sensitivity and temperature in the plantar skin region, this association is very week, therefore, neglected. Showing that the better the sensorimotor performance, the smaller the temperature difference between the sides, as well as the plantar tactile sensitivity
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2021-08-27
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2022. Todos los derechos reservados.