• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2013.tde-17102013-143334
Documento
Autor
Nome completo
Amanda Figueiredo Bittencourt
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Waitzberg, Dan Linetzky (Presidente)
Marin, Marcia Lucia de Mario
Rodriguez, Tomás Navarro
Título em português
Diarreia e constipação intestinal em terapia nutricional enteral
Palavras-chave em português
Constipação intestinal
Diarreia
Fibras na dieta
Nutrição enteral
Resumo em português
Introdução: Complicações gastrointestinais na terapia nutricional enteral são frequentes e podem afetar negativamente o desfecho de pacientes hospitalizados. Entre os principais problemas gastrointestinais observados na terapia nutricional enteral destacam-se a diarreia e a constipação intestinal, tema principal do presente estudo. Variáveis relacionadas aos pacientes, terapia medicamentosa e a própria terapia nutricional podem ser fatores predisponentes de diarreia e constipação intestinal. O objetivo do presente estudo foi identificar a frequência de diarreia e constipação intestinal em pacientes em terapia nutricional enteral exclusiva internados em hospital geral no Brasil e estudar os fatores associados a estes eventos. Método: Estudo monocêntrico, sequencial de inclusão aleatória e observacional que avaliou, de forma prospectiva e diária, a ocorrência de diarreia e constipação intestinal em pacientes em terapia nutricional enteral exclusiva durante 21 dias. Estudou-se o comportamento de variáveis relacionadas aos pacientes, a influência da terapia medicamentosa e o tipo de fórmula de nutrição enteral. Os pacientes foram categorizados retrospectivamente quanto a evacuação diária em: grupo D (diarreia; definida como três ou mais evacuações no período de 24h); grupo C (constipação intestinal, definida como menos do que uma evacuação em três dias) e grupo N (ausência de diarreia e constipação intestinal). Analisou-se a terapia medicamentosa administrada aos pacientes de acordo com cada classe terapêutica e quantidade recebida. Também se avaliou a presença de fibras na composição de fórmulas de nutrição enteral. Resultados: Dos 110 pacientes analisados, observou-se constipação intestinal em 70,0% (77), diarreia em 12,7% (14) e em apenas 17,3% (19) dos pacientes houve ausência de diarreia e constipação intestinal. A única variável associada à frequência de diarreia foi a terapia medicamentosa. Houve associação entre os medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais e diarreia em pacientes que fizeram uso de fórmula de nutrição enteral sem fibras (p=0,021). No grupo constipação intestinal, a internação na UTI e insuficiência respiratória foram variáveis significativas (p=0,036 e p=0,003277, respectivamente). Houve associação também entre os medicamentos antagonistas H2 e constipação intestinal em pacientes que fizeram uso de fórmula de nutrição enteral sem fibras (p=0,013). Fórmula de nutrição enteral com fibra esteve associada à prevenção da constipação intestinal. A classe terapêutica de antidopaminérgico mostrou efeito benéfico na prevenção da diarreia (p=0,023) e de constipação intestinal (p=0,022) quando comparados com grupo N. Conclusão: A constipação intestinal foi mais frequente que diarreia em pacientes em TNE exclusiva, principalmente quando foi usada fórmula de nutrição enteral sem fibras. A classe terapêutica de medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais associou-se à diarreia em pacientes que fizeram uso de fórmula de nutrição enteral sem fibras. A constipação intestinal esteve associada à internação na UTI, à indicação de TNE por necessidade de ventilação mecânica e a classe terapêutica de medicamentos antagonistas H2 em pacientes que fizeram uso de fórmula de nutrição enteral sem fibras. A prescrição de medicamentos pró-cinéticos se mostrou benéfica na prevenção de diarreia e constipação intestinal, assim como o acréscimo de fibras na fórmula de nutrição enteral associou-se à prevenção de diarreia e constipação intestinal influenciados pela terapia medicamentosa
Título em inglês
Diarrhea and constipation in enteral nutritional therapy
Palavras-chave em inglês
Constipation
Diarrhea
Dietary fiber
Enteral nutrition
Resumo em inglês
Introduction: Digestive complications in enteral nutrition (EN) are frequent and can affect negatively in the clinical outcome of hospitalized patients. Diarrhea and constipation are the main gastrointestinal problems presented in these cases. Variables related to patients, drug therapy and nutritional therapy itself might be predisposing factors for diarrhea and constipation. The aim of this study was to analyze and assess the frequency and risk factors associated with diarrhea and constipation in hospitalized patients receiving exclusive EN therapy in a general hospital. Method: The authors performed a monocentric study, sequential with random inclusion that evaluated prospectively by observation the daily occurrence of diarrhea and constipation in hospitalized adult patients fed exclusively by EN through a feeding tube for 21 days. Variables related to patients, the influence of drug therapy and type of enteral formula were studied too. Patients were categorized retrospectively as evacuation daily: group D (diarrhea, 3 or more watery evacuations in 24 hours), group C (constipation, less than 1 evacuation during 3 days), and group N (absence of diarrhea or constipation). All prescription drugs were recorded, and patients were analyzed according to the type and amount of medication received. The authors also investigated the presence of fiber in the enteral formula. Results: Among the 110 patients included in the study, patients classified in group C represented 70.0% (77) of the study population; group D comprised 12.7% (14), and group N represented 17.3% (19). The only variable associated with frequency of diarrhea was drug therapy. There was an association between anti-inflammatory drugs and diarrhea in patients who used formula for enteral nutrition without fiber (p=0.021). In the constipation group, the ICU admission and orotracheal intubation as the indication for EN were significant variables (p=0.036 and p=0.003277, respectively). There was also an association between H2 drugs antagonists and constipated patients who used formula for enteral nutrition without fiber (p=0.013). Enteral nutrition formula with fiber was associated to prevention of constipation. The antidopaminergic therapeutic class showed beneficial effect in the prevention of diarrhea (p=0.023) and constipation (p=0.022) when compared with group N. Conclusion: Constipation was more frequent than diarrhea in patients fed exclusively by EN through a feeding tube, especially when it was used enteral nutrition formula without fiber. The therapeutic class of anti-inflammatory drugs was associated with diarrhea in patients who used formula for enteral nutrition without fiber. Constipation was associated with ICU admission, TNE indication for mechanical ventilation and therapeutic class of H2 drugs antagonists in patients who used formula for enteral nutrition without fiber. The prescription of prokinetic drugs seems to be beneficial in the prevention of diarrhea and constipation, as well as the addition of fiber in enteral nutrition formula was associated with prevention of diarrhea and constipation influenced by drug therapy
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-10-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.