• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.5.2021.tde-10032022-093103
Documento
Autor
Nome completo
Aline Coelho Rocha Candolo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2021
Orientador
Banca examinadora
Pessôa, Mário Guimarães (Presidente)
Couto, Cláudia Alves
Mazo, Daniel Ferraz de Campos
Porta, Gilda
Título em português
Deficiência de lipase ácida lisossomal na investigação etiológica da doença hepática criptogênica em adultos: um estudo brasileiro multicêntrico
Palavras-chave em português
Cirrose hepática
Colesterol
Doença do armazenamento de colesterol éster
Doenças por armazenamento dos lisossomos
Hepatite crônica
Hepatopatia gordurosa não-alcoólica
Hepatopatias
Resumo em português
Introdução: A doença hepática criptogênica é aquela cuja etiologia não pode ser explicada por achados clínicos, histológicos, laboratoriais e de imagem. Sua frequência é estimada em 5,4% da população com hepatopatia crônica. A deficiência de lipase ácida lisossomal (LAL-D) é uma doença rara, na qual os indivíduos acometidos cursam com ausência ou redução significativa da atividade da enzima lipase ácida lisossomal (LAL). Essa alteração enzimática causa uma desregulação no metabolismo lipídico, acarretando acúmulo de ésteres de colesterol e triglicérides dentro dos lisossomos, levando ao quadro de aterosclerose precoce, dislipidemia, esteatose hepática com progressão para cirrose e disfunção orgânica. Objetivos: Determinar se LAL-D pode ser uma causa de doença hepática criptogênica; caracterizar as populações de pacientes com LAL-D e com doença hepática criptogênica e avaliar, nessa última população, os pacientes que se enquadram na nova sugestão de nomenclatura, de doença hepática gordurosa associada à disfunção metabólica (MAFLD). Métodos: Estudo observacional e descritivo, baseado na ferramenta STROBE. As coletas de dados e de amostras de sangue foram realizadas no período de 2016 a 2018. Os critérios de inclusão foram: a) Idade acima de 18 anos; b) diagnóstico de hepatopatia criptogênica; c) em acompanhamento ambulatorial ou submetido a transplante hepático; e d) concordância do paciente em participar do estudo. Os critérios de exclusão foram: a) pacientes com outras etiologias da doença hepática; b) pacientes sem investigação completa das causas conhecidas de hepatopatia; e c) pacientes cuja análise do exame de LAL-D foi feita por outro método que não o dried blood spot (DBS). Foi utilizado material coletado de amostra de sangue periférico, pipetado em DBS. A dosagem da atividade da enzima LAL foi realizada utilizando-se um inibidor altamente específico da LAL, o Lalistat 2, em um dos dois laboratórios de referência do estudo. As amostras foram encaminhadas, aleatoriamente, para análise nos seguintes laboratórios: Seattle Childrens Hospital (Estados Unidos) e Afip Medicina Laboratorial (Brasil), cuja análise do exame é realizada no Laboratório de Erros Inatos do Metabolismo (LEIM). Resultados: Foram incluídos 295 pacientes no estudo, com doença hepática criptogênica. Após critérios de exclusão, 135 pacientes foram selecionados para o estudo, sendo que três desses (2,2%) apresentaram dosagem de LAL abaixo do valor de referência, compatível com LAL-D. A média de idade desses pacientes foi de 43,9 ± 10,1 anos, sendo 2 pacientes do sexo feminino. O índice de massa corporal médio foi de 23,1 ± 1,7 kg/m² e a glicemia média foi de 89,7 ± 3,2 mg/dl. As médias para colesterol total, HDL-c, LDL-c e triglicérides, foram, respectivamente, de 165,6 ± 32,1 mg/dl, 21,7 ± 3,2 mg/dl, 105 ± 33,9 mg/dl e 206,7 ± 25,5 mg/dl. Conclusões: Apesar da LAL-D ser uma doença rara e subdiagnosticada, deve-se considerar a sua investigação nos indivíduos com doença hepática sem etiologia definida e, principalmente, nos pacientes com IMC normal, com HDL-c reduzido e triglicérides elevados
Título em inglês
Lysosomal acid lipase deficiency in the etiological investigation of cryptogenic liver disease in adults: a Brazilian multicenter study
Palavras-chave em inglês
Cholesterol
Cholesterol ester storage disease
Chronic hepatitis
Liver cirrhosis
Liver diseases
Lysosomal storage diseases
Non-alcoholic fatty liver disease
Resumo em inglês
Introduction: Cryptogenic liver disease is one whose etiology cannot be explained by clinical, histological, laboratory and imaging findings. Its frequency is estimated at 5.4% of the population with chronic liver disease. Lysosomal acid lipase deficiency (LAL-D) is a rare disease in which the affected individuals have an absence or significant reduction in the activity of the lysosomal acid lipase (LAL) enzyme. This enzymatic deficiency causes a dysregulation in the lipid metabolism, causing accumulation of cholesterol esters and triglycerides within the lysosomes and may result in early atherosclerosis, dyslipidemia, hepatic steatosis with progression to cirrhosis and organ dysfunction. Aims: To determine if LAL-D may be a cause of cryptogenic liver disease; characterize the populations of patients with LAL-D and with cryptogenic liver disease and evaluate, in the latter population, patients who fit the new nomenclature suggestion of metabolic dysfunction-associated fatty liver disease (MAFLD). Methods: Observational and descriptive study, based on the STROBE. Data collection and blood samples were carried out from 2016 to 2018. Inclusion criteria were: a) age over 18 years; b) diagnosis of cryptogenic liver disease; c) outpatient follow-up or undergoing liver transplantation; and d) patient's agreement to participate in the study. Exclusion criteria were: a) patients with other etiologies of liver disease; b) patients without a complete investigation of the known causes of liver disease; and c) patients whose LAL-D examination analysis was performed using a method other than dried blood spot (DBS). The material was collected from a peripheral blood sample and pipetted in DBS. The measurement of LAL enzyme activity was performed using a highly specific LAL inhibitor, Lalistat 2, in one of the two reference laboratories in the study. The samples were randomly sent for analysis in the following laboratories: Seattle Children's Hospital (United States) and Afip Medicina Laboratorial (Brazil), whose examination is performed at the Laboratory of Inborn Errors of Metabolism (LEIM). Results: A total of 295 patients were included in the study, with cryptogenic liver disease. After exclusion criteria, 135 patients were selected for the study, and three of these (2.2%) had LAL dosage below the reference value, compatible with LAL-D. The mean age of these patients was 43.9 ± 10.1 years, 2 female patients. The mean body mass index was 23.1 ± 1.7 kg/m² and the mean blood glucose was 89.7 ± 3.2 mg/dL. The means for total cholesterol, HDL-c, LDL-c and triglycerides were respectively 165.6 ± 32.1 mg/dL, 21.7 ± 3.2 mg/dl, 105 ± 33.9 mg/dL and 206.7 ± 25.5 mg/dL. Conclusions: Although LAL-D is a rare and underdiagnosed disease, its investigation should be considered in individuals with liver disease without defined etiology and especially in patients with a normal BMI, with low HDL-c and high triglycerides
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-03-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.