• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2010.tde-24092010-153009
Documento
Autor
Nome completo
Carla Francine Aricó Mori
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Camargo, Beatriz de (Presidente)
Cristofani, Lilian Maria
Pizza, Maria
Título em português
Mortalidade e avaliação das características clínicas e laboratoriais de pacientes oncológicos infectados: cinco anos de experiência da UTI Pediátrica do Hospital A.C. Camargo
Palavras-chave em português
Infecção
Mortalidade
Oncologia
Sepse
Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Resumo em português
A mortalidade decorrente de processos infecciosos em pacientes oncológicos, livres ou não de doença, ainda é alta. Teve-se como objetivo além da avaliação da mortalidade e das características clínicas e laboratoriais dos pacientes pediátricos oncológicos infectados, admitidos na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) do Hospital A.C. Camargo no período de 1º de janeiro de 2004 a 31 de dezembro de 2008, avaliar a associação dessas características à mortalidade. Estudou-se 148 internações de 97 pacientes, sendo que 31 indivíduos foram internados mais de uma vez (1-6 internações por indivíduo). 52,6% da população era do sexo feminino, a idade média foi de aproximadamente 8 anos, 67% dos pacientes encontravam-se eutróficos na primeira internação e 50,5% das neoplasias eram leucemias (34/97) e linfomas (15/97). Dos pacientes com neoplasias hematológicas, 40,8% internaram mais de uma vez, enquanto 29,9% daqueles portadores de tumores sólidos tiveram internações repetidas. Foi utilizado teste qui-quadrado de Pearson para analisar a associação entre duas variáveis categóricas, teste t de Student para as variáveis contínuas e teste t de Student pareado para as associações dependentes. Empregou-se a regressão logística para calcular a Razão de Chances (Odds Ratio - OR) para as medidas de associação. Dos 97 pacientes, 17 morreram durante a internação na UTIP, ou seja, 11,5% das 148 internações evoluiram para óbito. Observou-se uma mortalidade maior no grupo de pacientes que tiveram mais de uma internação 32,3% (p=0,012), com chance de óbito de 4 em relação a quem internou apenas 1 vez (OR=4,01[IC95%:1,35 -11,90]). Também foi encontrada associação significativa entre estado hemodinâmico (choque séptico, sepse grave e sepse) à admissão na UTIP com evolução para alta e óbito (p=0,001). Quando o paciente apresentava choque na admissão o risco de óbito foi de 11 vezes em relação a quando não apresentava (OR=11,4[IC95%:2,5-51,9]). A variação na dosagem da proteína C reativa 24 horas pré-admissão e à admissão na UTI, também demonstrou associação estatisticamente significativa com a evolução para óbito (p= 0,029). Não houve associação entre sexo, doença de base, estado nutricional, intervalo de quimioterapia, contagem de neutrófilos, sítio de infecção, variação de frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão arterial média e óbito. Esse trabalho demonstrou que existe uma associação entre estado hemodinâmico à admissão na UTIP e óbito, o que incita a realização de novos estudos para descoberta de fatores que possam prever a evolução de um quadro infeccioso para choque séptico e selecionar os pacientes que devam ser transferidos mais precocemente para UTIP a fim de aumentar a chance de sobrevida.
Título em inglês
Mortality and clinical and laboratory characteristics of patients infected with cancer: five years of experience in Pediatric ICU, Hospital AC Camargo
Palavras-chave em inglês
Infection
Mortality
Oncology
Pediatric Intensive Care Units
Sepsis
Resumo em inglês
The mortality due to infectious processes in oncologic patients, with or not active disease, is still high. The objective of this study is evaluation of mortality and clinical and laboratory characteristics of pediatric oncology infected admitted to the Hospital AC Camargo's Pediatric Intensive Care Unit in the period from January 1st, 2004 to December 31st, 2008, and association of these characteristics with mortality. One hundred and forty eight admissions in 97 patients were analyzed. Thirty one patients were hospitalized more than once (2-6 admissions per individual). 52.6% of the population was female, the average age was approximately 8 years, 67% of patients were eutrophic during the first hospitalization and 50.5% were leukemias (34/97) and lymphomas (15/97). Among patients with hematologic disease, 40.8% were hospitalized more than once, while 29.9% of those patients with solid tumors had repeated hospitalizations for infection during the study period. It was used the Pearson chi-square test to analyze the association between two categorical variables, Student t test for continuous variables, a variant of Student t test to measure the variation between two paired measurements from the same individual. Logistic regression was used to calculate Odds Ratio (OR) for measures of association. Among 97 patients, 17 died during hospitalization in PICU, ie 11.5% (17/148) of the admissions lead to death. A higher mortality in patients who had more than one hospitalization 32.3% (p = .012), with OR = 4.01 [95% CI: 1.35 -11.90] was observed. It was also found a significant association between hemodynamic status (septic shock, severe sepsis and septic) for admission to the PICU with evolution to discharge and death (p = 0.001). Septic shock and death were observed with a OR 11.4 [95%CI: 2 0.5 to 51, 9]. The variation of C-reactive protein dosage 24 hours pre-admission and admission to the ICU, also showed a significant association with progression to death (p = 0.029). There was no significant association between sex, underlying disease, nutritional status, interval of chemotherapy, neutrophil count, site of infection, changes in heart rate, respiratory rate variation, variation in medium blood pressure and death. This data demonstrates that there is an association between hemodynamic status on admission to the PICU and death, which encourages new studies to discover factors that might predict the course of an infection to septic shock and select patients who should be transferred earlier PICU in order to increase the chance of survival.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
CarlaMori.pdf (558.82 Kbytes)
Data de Publicação
2010-09-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.