• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2017.tde-18012017-153659
Documento
Autor
Nome completo
João Alexandre Queiroz Juveniz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Sant Anna, Alexandre Crippa (Presidente)
Chade, Daher Cezar
Gonçalves, Pierre Damião
Loreto, Celso di
Mitre, Anuar Ibrahim
Título em português
A importância da biópsia de congelação como método complementar à ressecção endoscópica em câncer de bexiga: um estudo prospectivo randomizado
Palavras-chave em português
Bexiga urinária
Biópsia
Congelação
Doenças da bexiga urinária
Estadiamento de neoplasias
Neoplasias da bexiga urinária
Resumo em português
Introdução: Apesar de recentes inovações e aprimoramentos no tratamento do Câncer de Bexiga (CaB) não músculo invasivo, o índice de progressão e recorrência continuam altos possivelmente devido a tumores residuais ou não evidenciados na ressecção transuretral de bexiga (RTU), o que profundamente afeta o prognóstico desta doença e evidencia a importância da qualidade desse procedimento padrão não só para o diagnóstico, mas também para o estadiamento e tratamento do tumor de bexiga. A presença de muscular própria no espécime é essencial para conduzir o tratamento, embora esta esteja presente apenas em cerca de 36-51% dos casos. Na sua ausência muitas vezes torna-se necessário um novo procedimento, vindo com isso a morbidade e os gastos de uma nova cirurgia. Dessa forma várias técnicas têm sido propostas com o intuito de melhorar a acurácia da RTUb, o que pode reduzir as ressecções incompletas e o subestadiamento. Objetivo: Avaliar a importância da biópsia de congelação do leito da lesão ressecada no que diz respeito ao estadiamento inicial e controle local da doença. Materiais e Métodos: Estudo prospectivo e randomizado dos pacientes com tumor de bexiga sem tratamento prévio que foram submetidos à RTUb no período de 09/2011 a 08/2013 em uma única instituição (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo - ICESP). Esses pacientes foram submetidos à RTUb convencional, conforme o Guideline Europeu (EAU, 2011). No grupo 1, foi realizada biópsia de congelação do leito da lesão após a RTU, onde o cirurgião julgou esta ser possivelmente invasiva, aguardando análise do patologista quanto a presença de muscular própria, se caso esta não estivesse representada, era feita nova biópsia até sua representatividade. O grupo 2 são os controles não sendo submetidos à biópsia de congelação. Foram incluídos apenas os pacientes que tiveram critério e foram submetidos à re-RTUb. Um total de 150 pacientes foram randomizados, tornando-se elegíveis 131, sendo 64 no grupo 1 e 67 no grupo 2. Resultados: Comparando-se os grupos, não houve diferença em relação ao sexo, idade, quantidade e tamanho do tumor. No estudo anatomo-patológico da RTUb houve representatividade muscular em 100% x 58,5%, entre os grupos 1 e 2, respectivamente, com p < 0,001. Na Re-RTUb o índice de tumor residual foi 10,4% x 35,2%, entre os grupos 1 e 2, respectivamente, com p = 0,005. No grupo 1, 15 pacientes foram diagnosticados como pT2 com 100% do diagnóstico na primeira RTUb; no grupo 2, 6 pacientes tiveram diagnóstico de pT2 com apenas 33,3% na primeira RTUb, p=0,003. O tempo cirúrgico médio foi de 50 min no grupo 1 e 42min no grupo 2 (p= 0,037). Não houve diferença em relação à complicações (transfusão e perfuração vesical). Conclusão: A biópsia de congelação melhorou o correto estadiamento e controle local do câncer de bexiga, além de aumentar a acurácia do diagnóstico de doença pT2, podendo permitir o planejamento precoce do tratamento definitivo sem aumentar as complicações
Título em inglês
The impact of frozen biopsy of bladder tumor bed during transurethral resection: a randomized prospective trial
Palavras-chave em inglês
Biopsy
Freezing
Neoplasm staging
Urinary bladder neoplasms
Urinary bladder
Urinary bladder diseases
Resumo em inglês
Background and Purpose: Despite recent improvements of bladder cancer treatment, recurrence and progression rates are still high, possibly related to residual or overlooked tumors at the first transurethral resection (TUR), which strongly emphasizes the importance of the quality of this method. In order to improve the effectiveness of the procedure, we sought to evaluate the impact of frozen section during TUR, aiming on increasing muscular layer sample in the specimen, which may minimize incomplete resections and understaging. Patients and Methods: We prospectively included 150 consecutive patients assigned to TUR which were randomized to undergo either frozen section biopsy of the tumor bed during the TUR procedure until muscle was obtained or standard resection procedure (no frozen section). Nineteen patients were excluded after randomization, leaving 131 for analysis. All patients underwent a second TUR performed 4-6 weeks later. Frozen sections and final pathology reports were centralized and all performed by pathologists, the doubtful cases were reviewed by one uropathologist. Exclusion criteria: incomplete resection at first TUR, no criteria for second TUR according to EUA Guideline Update 2011 and previous bladder cancer treatment. (Group w/ biopsy, n = 64; Group control, n=67). Results: Both groups were comparable regarding age, gender, size and number of lesions. The majority of patients had high grade tumor in both groups. In the group where frozen section was obtained, muscle-invasive disease was higher (23% x 3%, p < 0,001). All patients in this group had muscle layer represented in the final pathology at the first TUR, while only 60% of patients in the control group (p < 0.001), including 40,5% of patients with pTa, 81,5% with pT1 e 100% with pT2 and Cis. Ninety percent of patients in the biopsy group had no residual tumor compared to 65% of the control group at second TUR (p=0,002). While all 15 patients in the frozen section group with T2 disease were diagnosed at first TUR, only 2 of 6 patients (33%) in the control group were diagnosed initially. The surgery duration was longer in the study group with mean of 50 min x 42 min (p=0,037) and there were no significant differences regarding complications (perforation and transfusion rates). Conclusion: Our results support the prove of principal that standard TUR with frozen section biopsy of bladder tumor bed increase the disease control and improve the diagnosis of T2 tumors, which may lead to reduced the number of patients in need a second TUR and avoid pT2 disease diagnosis delay, with no more complications
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-01-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.