• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2006.tde-16102014-142317
Documento
Autor
Nome completo
Ruben Carvalho Franceschi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Carmona, Maria Jose Carvalho (Presidente)
Ferez, David
Figueiredo, Luiz Francisco Poli de
Mathias, Ligia Andrade da Silva Telles
Piccioni, Marilde de Albuquerque
Título em português
Avaliação hemodinâmica, metabólica e do transporte de oxigênio durante anestesia com xenônio em cães hipovolêmicos
Palavras-chave em português
Hemodinâmica
Hipovolemia/metabolismo
Modelos animais
Oxigênio
Pressão sanguínea
Resumo em português
Justificativa e Objetivos - A indução anestésica em indivíduos em choque hipovolêmico pode agravar a instabilidade hemodinâmica. O anestésico inalatório xenônio (Xe) é gás inerte com propriedades que mantêm a estabilidade hemodinâmica, durante a anestesia, em individuos normais. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos hemodinâmicos, metabólicos e sobre o transporte de oxigênio, durante anestesia com Xe, em cães submetidos a choque hipovolêmico. Método - Vinte e um cães sem raça definida foram submetidos a hipnose e relaxamento muscular por infusão venosa contínua de etomidato e vecurônio e ventilação controlada mecânica com FiO2 21% (oxigênio + ar comprimido). Sob anestesia local, inseriu-se cateter em artéria pulmonar para monitorização hemodinâmica e cateteres em artérias femorais direita e esquerda para medida da pressão arterial média e indução do choque hipovolêmico. Após indução do choque hemorrágico até a pressão arterial média atingir 40mmHg por 2 minutos, os animais foram randomizados em grupos controle e xenônio. O grupo xenônio recebeu ventilação controlada mecânica com O2 21% + Xe 79% durante 20 min. Realizou-se coleta de gasometria arterial e venosa mista e coleta de dados hemodinâmicos, com posterior cálculo hemodinâmico e do transporte de O2 antes da indução do choque, imediatamente após a sangria, após 5 min e 20 min, com administração de Xe, e 20 minutos após a suspensão do Xe. O grupo controle foi submetido ao mesmo procedimento, sem a administração de Xe. Os dois grupos foram comparados, utilizando análise de variância para medidas repetidas, considerando-se significativo p<0,05. Resultados: Os grupos foram comparáveis em relação aos valores médios de peso corpóreo e volume de sangramento. As variáveis hemodinâmicas, metabólicas e de transporte de oxigênio não apresentaram diferenças significativas entre os grupos controle e xenônio. Após a indução do choque, no grupo Xe a freqüência cardíaca variou de 130,22±20,57 para 131,89±24,34 em 5min e 138,44±33,66 após 20 minutos. No grupo controle esta variação foi de 144,33±21,03 para 143,75±22,58 após 5min (p=0,82) e para 149,50±23,52 após 20min(p=0,16). Conclusão: A administração de xenônio em cães, em estado de choque hipovolêmico, não altera a condição hemodinâmica, metabólica e de transporte de oxigênio, permitindo sugeri-lo como anestésico seguro em individuos nestas condições
Título em inglês
Haemodynamic, metabolic and oxygen delivery evaluation during xenon anesthesia in hypovolemic dogs
Palavras-chave em inglês
Blood Pressure
Hemodynamics
Hypovolemia/metabolism
Models animal
Oxygen
Resumo em inglês
Rationale and objectives - Anesthesia induction in subjects with hypovolemic shock may worsen a baseline hemodynamic instability. Xenon (Xe), an inhalation anesthetics, is an inactive gas with properties that, in normal subjects, maintain hemodynamic stability during anesthesia. The aim of this study was to assess Xe effects on hemodynamics, metabolism, and oxygen delivery during anesthesia in dogs with induced hypovolemic shock. Method - Twenty-one hybrid dogs were submitted to hypnosis and muscle relaxation by continuous venous infusion of etomidate and vecuronium and mechanichal controlled ventilation with a 21% FiO2 (oxigen + compressed air). Under local anesthesia, catheters were introduced into the pulmonary artery for hemodynamic monitoring, and in the left and right femoral arteries for mean arterial blood pressure measurements and hypovolemic shock induction. After induction of an hemorrhagic shock until a mean arterial blood pressure of 40mmHg for 2 minutes was reached, the animals were randomized into the Xenon or the control group. Dogs from the Xenon group received controlled mechanichal ventilation with a 21% FiO2 + 79% Xe for 20 minutes. Blood samples were collected for arterial e mixed venous gas analyses; hemodynamic data were also collected, with further hemodynamic calculation of O2 delivery before shock induction, immediately after the artificial bleeding, 5 min and 20 minutes after starting Xe administration, and 20 minutes after stopping Xe. The control group was submitted to the same procedures, without Xe administration. Both groups were compared using variance analysis for repeated measurements, considering statistical significance where a p<0,05 was reached. Results: Both groups were comparable in terms of mean body weight values and bleeding volume. Hemodynamic and metabolic variables and oxygen delviery had no significant differences between both groups, control and Xenon. In the Xenon group, after shock was induced, heart rate changed from 130.22 ± 20.57 to 131.89 ± 24.34 after 5 minutes, and to 138.44 ± 33.66 after 20 minutes. In the control group, heart rate varied from 144.33 ± 21.03 to 143.75 ± 22.58 after 5 minutes (p=0.82), and to 149.50 ± 23.52 after 20 minutes (p=0.16). Conclusion: Xenon administration does not cause changes in hemodynamics, metabolism, and oxygen delivery in dogs with induced hypovolemic shock, supporting its recommendation as a safe anesthetic in such conditions
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-10-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2023. Todos os direitos reservados.