• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2014.tde-27082014-113314
Documento
Autor
Nome completo
Richard Volpato
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Castro, Claudio Campi de (Presidente)
Barros, Nestor de
Rocha, Antonio José da
Souza, Ricardo Pires de
Tornin, Olger de Souza
Título em português
Achados de tomografia computadorizada em pacientes com diagnóstico clínico e epidemiológico de infecção hospitalar por micobactéria de crescimento rápido após cirurgias laparoscópicas
Palavras-chave em português
Cirurgia bariátrica
Colecistectomia laparoscópica
Infecção hospitalar
Laparoscopia
Micobactérias não tuberculosas
Tomografia computadorizada
Resumo em português
Introdução: No ano de 2007, foram diagnosticados 190 casos de infecção hospitalar por Micobactéria de Crescimento Rápido (MCR) em pacientes submetidos a cirurgias videoassistidas em hospitais da região metropolitana de Vitória/ES. Os pacientes foram acompanhados na unidade de referência do Hospital Universitário Cassiano Antonio de Moraes da Universidade Federal do Espírito Santo (HUCAM/UFES), onde foi instituído tratamento específico e estabelecida investigação por métodos de imagens, sobretudo Tomografia Computadorizada (TC), para identificação do número, extensão e localização das lesões. Objetivo: Identificar a distribuição e a frequência dos achados de TC em pacientes com diagnóstico clínico e epidemiológico de infecção hospitalar por MCR após cirurgias laparoscópicas. Métodos: Foi conduzido um estudo descritivo utilizando os dados de prontuários da unidade de referência do HUCAM/UFES e as imagens das tomografias computadorizadas realizadas. Os exames foram analisados, em consenso, por dois radiologistas, que identificaram, separadamente, o comprometimento de pele/subcutâneo, de planos musculofasciais da parede abdominal e do intraperitoneal. Os padrões de comprometimento tabulados foram: densificações, coleções, nódulos maiores ou iguais a 1,0 cm (nódulos), nódulos menores que 1,0 cm (nódulos pequenos), nódulos com pseudocavitação e nódulos pequenos com pseudocavitação. Resultados: 26 pacientes atendiam aos critérios preestabelecidos. As infecções foram relacionadas a: nove cirurgias bariátricas, uma cirurgia bariátrica com colecistectomia, sete colecistectomias, uma colecistectomia somada à correção de hérnia inguinal com colocação de tela, três cirurgias para correção de refluxo gastroesofágico (CRGE), três laparoscopias diagnósticas, uma salpingectomia e uma apendicectomia.O menor intervalo de tempo entre a cirurgia e o exame de tomografia computadorizada foi de 8 dias, o maior, 351 dias, com média de 112 dias e mediana de 83. Todos os pacientes apresentaram algum achado de imagem no subcutâneo, sendo que seis pacientes tiveram comprometimento exclusivo na pele/subcutâneo, e os demais apresentaram comprometimento concomitante de planos musculofasciais e/ou intraperitoneal. Os achados no subcutâneo foram: densificação (88,4%), nódulo pequeno (61,5%), nódulo pequeno pseudocavitado (23,0%), nódulo (38,4%), nódulo pseudocavitado (15,3%) e coleção (26,9%); os achados nos planos musculofasciais foram: densificação (61,5%), nódulo pseudocavitado (3,8%) e coleção (15,3%); e os achados intraperitoneais foram: densificação (46,1%), nódulo pequeno (42,3%), nódulo (15,3%) e coleção (11,5%). Nenhum dos cinco pacientes que realizaram a biópsia subcutânea anteriormente à TC apresentou nódulo subcutâneo maior do que 1,0 cm; comparativamente, dentre aqueles que realizaram a biópsia após a TC, constatou-se que 10 pacientes (47,6%) apresentaram nódulos subcutâneos. A comparação entre os 16 pacientes com intervalo de tempo entre cirurgia e TC menor do que 3 meses e os 10 pacientes com intervalo maior do que 3 meses demonstrou que: os pacientes com menor intervalo de tempo apresentavam maior porcentagem de densificações no subcutâneo (100%), nos planos musculofasciais (81,2%) e intraperitoneais (70,0%); já no grupo com maior intervalo, as porcentagens foram de 66,6%, 30,0% e 10,0%, respectivamente. Conclusão: os achados tomográficos, em ordem decrescente de frequência, foram: a) no subcutâneo: densificação, nódulo pequeno, nódulo, nódulo pequeno pseudocavitado, nódulo pseudocavitado e coleção; b) nos planos musculofasciais: densificação, coleção e nódulo pseudocavitado; e c) intraperitoneal: densificação, nódulo pequeno, nódulo e coleção
Título em inglês
Computed tomography findings in patients with clinical and epidemiological diagnosis of nosocomial infections due to rapidly growing mycobacteria after laparoscopic surgery
Palavras-chave em inglês
Bariatric surgery
Computed tomography
Laparoscopic cholecystectomy
Laparoscopy
Nontuberculous mycobacteria
Nosocomial infection
Resumo em inglês
Introduction: In 2007, 190 cases of hospital-acquired infection due to rapidly growing mycobacterial (RGM) were diagnosed in patients undergoing video-assisted surgery in the hospitals of the metropolitan region of Vitória, ES (Brazil). The patients were followed at the referral unit of the University Hospital Cassiano Antonio de Moraes of the Federal University of Espírito Santo (HUCAM), where specific treatment was instituted and research by imaging methods - particularly computed tomography (CT) - was initiated to identify the number, extent, and location of the lesions. Objective: To identify the distribution and frequency of CT findings in patients with clinical and epidemiological diagnosis of hospital-acquired RGM infection after laparoscopic surgery. Method: A descriptive study was conducted using medical records data from the referral unit of the HUCAM and the computed tomography (CT) images. The scans were analyzed by two radiologists, in consensus, who individually identified compromised skin/subcutaneous areas, muscle-fascial planes of the abdominal wall and intraperitoneal regions. The involvement patterns were tabulated as: densification, collections, nodules >= 1.0 cm (nodules), nodules < 1.0 cm (small nodules), pseudocavitated nodules, and small pseudocavitated nodules. Results: Twenty-six patients met the established criteria. The infections were related to 9 bariatric surgeries, 1 bariatric surgery with cholecystectomy, 7 cholecystectomies, 1 cholecystectomy along with inguinal hernia correction with screen placement, 3 surgeries for correction of gastroesophageal reflux, 3 diagnostic laparoscopies, 1 salpingectomy, and 1 appendectomy. The shortest time interval between surgery and CT examination was 8 days and the longest interval was 351 days, with a mean of 112 days and a median of 83 days. All patients presented subcutaneous involvement on the CT image; 6 patients had exclusive impairment in the skin/subcutaneous tissue whereas the others had concomitant impairment in musculo-fascial and/or intraperitoneal planes. The subcutaneous findings were: densification (88.4%), small nodules (61.5%), small pseudocavitated nodules (23.0%), nodules (38.4%), pseudocavitated nodules (15.3%), and collections (26.9%). The findings in the musculo-fascial planes were: densification (61.5%), pseudocavitated nodules (3.8%), and collections (15.3%). The intraperitoneal findings were: densification (46.1%), small nodules (42.3%), nodules (15.3%) and collections (11,5%). None of the 5 patients who underwent biopsy before CT showed subcutaneous nodules larger than 1.0 cm; in contrast, of those who underwent biopsy after CT, 10 patients (47.6%) had subcutaneous nodules. A comparison between the 16 patients with a time interval of less than 3 months between surgery and CT, and the 10 patients with an interval of more than 3 months showed that patients with a shorter time interval had a higher percentage of subcutaneous densification (100%), musculo-fascial plane densification (81.2%), and intraperitoneal densification (70.0%); for those with a longer interval, the percentages were 66.6%, 30.0%, and 10.0%, respectively. Conclusion: the subcutaneous CT findings in descending order of frequency were: densification, small nodules, nodules, small pseudocavitated nodules, pseudocavitated nodules, and collections. The musculo-fascial plane CT findings were: densification, collections, and pseudocavitated nodules. The intraperitoneal CT findings were: densification, small nodule, nodules and collections
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
RichardVolpato.pdf (3.35 Mbytes)
Data de Publicação
2014-08-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.