• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2006.tde-16102014-085907
Documento
Autor
Nome completo
Alexandre Seminoti Marcon
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Jose, Newton Kara (Presidente)
Castro, Rosane Silvestre de
Alves, Milton Ruiz
Ambrósio Junior, Renato
Costa, Vital Paulino
Título em português
Influência da espessura corneana na acuidade visual corrigida após transplante de córnea endotelial lamelar profundo (TCELP)
Palavras-chave em português
Acuidade visual
Córnea/anatomia & histologia
Endotélio da córnea
Estudo comparativo
Medidas
Transplante de córnea/métodos
Resumo em português
Objetivo: Analisar a influência da espessura corneana central na acuidade visual (AV) corrigida após transplante de córnea endotelial lamelar profundo (TCELP). Métodos: Foram estudados de forma prospectiva 155 olhos de 127 pacientes portadores de ceratopatia bolhosa ou distrofia endotelial de Fuchs no sexto mês de pós-operatório do TCELP, entre março de 2000 e março de 2005. Foram excluídos pacientes com outras alterações oculares que justificassem baixa AV. Todos os pacientes foram submetidos à avaliação oftálmica, quando foram determinadas AV corrigida, por meio de exame refratométrico, e espessura corneana central, através da paquimetria ultra-sônica. As técnicas usada foram previamente descritas. Os olhos foram agrupados de acordo com as medidas de AV: grupo I (20/20 - 20/30), grupo II (20/40 - 20/50), grupo III (20/60 - 20/80), grupo IV (20/100 - 20/400). Para correlação com paquimetria e análise estatística, as medidas de AV foram convertidas da tabela de Snellen para a tabela logarítmica (logMAR). Foram criadas variáveis categóricas para expressar status de faixa de normalidade de espessura corneana (entre 495 e 651 ?m), usando como pontos de corte valores encontrados na literatura. Resultados: A média, o desvio padrão e a variação da paquimetria foi: grupo I (n=38) 571 ±80 um, 408 a 784 um; grupo II (n=79) 598 ±80 um, 437 a 816 um; grupo III (n=30) 605 ±99 um, 454 a 945 um e grupo IV (n=8) 607 ±120 ?m, 410 a 781 ?m. Analisando o resultado da AV e a porcentagem de casos com espessura corneana acima de 651 um, foi observada associação linear significativa (P=0,037; ?2 de tendência linear) entre o aumento da paquimetria e a piora da AV. Analisando a associação entre os grupos de AV e a porcentagem de casos com espessura corneana abaixo da faixa de normalidade (<495 um), não foi encontrada significância estatística (P=0,92; x2 de Pearson). Quando analisado o resultado visual do grupo I em relação ao resultado dos grupos II+III+IV em conjunto, observou-se que somente 13% dos casos do grupo I e 30% dos casos dos demais grupos apresentaram espessura corneana maior do que 651 ?m. Essa correlação demonstrou significância estatística limítrofe (P=0,066; x2 de Pearson com correção de Yates). Conclusão: Observou-se associação linear significativa entre piora da AV corrigida e aumento da espessura corneana central. Quando analisados somente casos com paquimetria abaixo da faixa de normalidade, não foi observada associação significativa entre piora da AV corrigida e espessura corneana central
Título em inglês
The influence of corneal thickness in visual acuity after deep lamellar endothelial keratoplasty (DLEK)
Palavras-chave em inglês
Comparative study
Corneal transplantation/methods
Corneal/anatomy & histology
Endothelium/corneal
Measures
Visual acuity
Resumo em inglês
Purpose: To analyze the influence of central corneal thickness in the corrected visual acuity (VA) after deep lamellar endothelial corneal keratoplasty (DLEK). Methods: Retrospective study of 155 eyes of 127 patients 6 months post-op DLEK between March 2000 and March 2005. These patients had been previously diagnosed with either bullous keratopathy or Fuch's endothelial dystrophy. Patients with other ophthalmic conditions that could cause loss of vision were excluded. All patients underwent ophthalmic evaluation to determine corrected VA by means of refraction and central corneal thickness by means of ultrasonic pachymetry. Eyes were grouped according to visual acuity into 4 groups: I (20/20 - 20/30), II (20/40 - 20/50), III (20/60 - 20/80), IV (20/100 - 20/400). For statistical analysis and corelation with pachymetry, VA measurements were converted to logMAR. Categorical variables were created to express normal range corneal thickness status (from 495 to 651 um) using values published on the literature. Results: Mean and standart deviation pachymetry values were: group I (n=38) 571 ±80 ?m, ranging from 408 to 784 um; group II (n=79) 598 ±80 um, ranging from 437 to 816 ?m; group III (n=30) 605 ±99 um, ranging from 454 to 945 um and group IV (n=8) 607 ±120 um, ranging from 410 to 781 ?m. Analyzing the VA results and the percentage of cases with corneal thickness above 651 um, a significant linear correlation between higher pachymetry and worse VA was observed (P=0.037; linear trend). Analyzing the association between the different groups and the percentage of cases with corneal thickness bellow 495 um, there was no statistical significance (P=0.92; Pearson's x2). When analyzing the visual results of group I compared to groups II+III+IV together, it was observed that only 13% of group I cases and 30% of cases from the other groups presented corneal thickness greater then 651 um. This correlation showed borderline statistical significance (P=0.066; Pearson's x2 with Yates' correction). Conclusions: A significant linear correlation between increased corneal thickness and worse VA was observed. When analyzing only cases bellow normal pachymetry, there was no correlation between corneal thickness and worse VA
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-10-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.