• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-29062020-120409
Documento
Autor
Nome completo
Francisco das Chagas Cabral Júnior
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Bento, Ricardo Ferreira (Presidente)
Tsuji, Robinson Koji
Lavinsky, Joel
Lourençone, Luiz Fernando Manzoni
Título em português
Influência da profundidade de inserção angular do feixe de eletrodos na performance auditiva de pacientes submetidos a implante coclear
Palavras-chave em português
Eletrodos
Implante coclear
Percepção da fala
Perda auditiva
Reabilitação
Telemetria
Testes de discriminação da fala
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A cirurgia de implante coclear é uma terapia universalmente aceita para o tratamento de pacientes com perda auditiva de grau severo a profundo, permitindo que seus usuários detectem estímulos complexos e alcancem desempenho auditivo bastante satisfatório. No entanto, apesar dos avanços tecnológicos, grande variabilidade na percepção de fala é observada entre os usuários provavelmente porque existem muitos fatores implicados nesse processo, incluindo fatores demográficos, cognitivos e ligados à interface neurônio-eletrodo dentro da cóclea. O objetivo desse protocolo é estudar alguns fatores que podem estar correlacionados com a performance auditiva em usuários de implante coclear, analisando a influência da profundidade angular de inserção (PAI) do feixe de eletrodos nos escores auditivos pós-operatórios e outros cofatores como o tempo de privação auditiva, o tamanho da cóclea e a dispersão de corrente dos eletrodos. MÉTODO: Quarenta e dois pacientes (totalizando 45 ouvidos) foram arrolados para o estudo e foram submetidos à cirurgia de implante coclear com eletrodo CI422® e tomografia computadorizada pós-operatória para avaliar a profundidade de inserção angular do feixe de eletrodos e o diâmetro do giro basal da cóclea. Os testes de percepção de fala foram correlacionados com os dados demográficos, os limiares auditivos tonais, a dispersão de excitabilidade e a profundidade de inserção angular 6 e 12 meses após ativação do implante coclear. RESULTADOS: PAI média foi de 433,1° (310°-517°; DP 49,66) na população estudada e apresentou coeficiente de correlação de -0,343 (p=0,055) com a performance auditiva 6 meses após a cirurgia. O tempo de privação auditiva correlacionou-se negativamente (r=-0,452) com os testes de fala 6 meses após o implante coclear (p=0,004). A dispersão de excitabilidade neural nos eletrodos da região basal e média da cóclea apresentaram correlação significante negativa (p=0,003) e positiva (p=0,04), respectivamente, com a profundidade de inserção. A performance auditiva apresentou melhora progressiva até 12 meses da cirurgia, apresentando estabilidade nos resultados após. CONCLUSÕES: a profundidade de inserção angular não interfere na performance auditiva após 1 ano da cirurgia de implante coclear, apesar de influenciar significantemente na dispersão de excitabilidade de maneiras diferentes ao longo da cóclea. Dentre os demais cofatores estudados, apenas o tempo de privação auditiva influenciou nos resultados auditivos após a cirurgia. O reconhecimento de fala após o implante coclear tende a melhorar até 12 meses após a cirurgia, atingindo um platô após esse tempo
Título em inglês
Influence of angular insertion depth of electrode array on speech perception in patients undergone to cochlear implant surgery
Palavras-chave em inglês
Cochlear implantation
Electrodes
Hearing loss
Rehabilitation
Speech discrimination tests
Speech perception
Telemetry
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Large variations in individual speech performance occur among cochlear implant users, even after optimizing fitting parameters. It is unknown how certain factors related to cochlear implantation, such as; age at implantation, insertion depth, cochlea size and current spread affect hearing outcomes. This study primarily aimed to examine the angular insertion depth, and to determine the relationship between angular insertion depth, spread of neural excitation (SOE), and speech performance. METHODS: Forty-two adults (45 ears) with sensorineural deafness prospectively underwent cochlear implantation (CI422; Cochlear Corporation) and were followed for 12 months. Preoperative and postoperative pure tone average and speech comprehension were analyzed, along with the duration of deafness, age at implantation and electrically evoked compound action potential (ECAP) function in the base, middle, and apex of the cochlea. Postoperative computed tomography was assessed to measure angular insertion depth of electrode array and cochlea size. RESULTS: The median angular insertion depth was 433°. The SOE showed considerable differences over the cochlea and was significantly affected by insertion depth at basal and medial cochlear regions (p = 0.003 and p = 0.04, respectively). No correlation was observed between SOE and speech perception at 12 months after cochlear implant activation; neither between insertion depth and speech understanding. Duration of deafness negatively influenced speech outcomes. CONCLUSIONS: The angular insertion depth of cochlear implant electrode array influences the SOE in distinct ways in different regions of the cochlea. This is relevant to guide mapping and stimulation mode in distinct electrodes along the cochlea. The angular insertion depth should be individualized to improve electric spread from electrodes. Speech perception is not affected by insertion depth of lateral wall electrodes
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-06-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.