• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
https://doi.org/10.11606/T.5.2020.tde-14092021-105837
Documento
Autor
Nombre completo
Eduardo Boaventura Oliveira
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2019
Director
Tribunal
Brito Neto, Rubens Vuono de (Presidente)
Costa, Sady Selaimen da
Tonello, Cristiano
Tsuji, Robinson Koji
Título en portugués
Prótese de condução óssea Bonebridge®: estudo comparativo de ganho audiológico e satisfação auditiva em pacientes com fissura palatina, otite média crônica e usuários de aparelhos de amplificação sonora
Palabras clave en portugués
Colesteatoma
Fissura palatina
Perda auditiva
Perda auditiva condutiva
Prótese ancorada no osso
Reabilitação de deficientes auditivos
Resumen en portugués
As anomalias morfológicas da tuba auditiva predispõem pacientes com fissura palatina a otite média crônica e, consequentemente, a perdas auditivas que nem sempre podem ser reabilitadas com aparelhos de amplificação sonora convencionais. Atualmente existe no mercado uma variedade de dispositivos ósseos implantáveis, que buscam aliar mais qualidade sonora e menos desconforto aos pacientes. O Bonebridge é uma opção promissora para estes casos devido a estética do dispositivo, a sua possibilidade de ativação precoce e menores taxas de complicações. Este estudo teve como objetivo apresentar a técnica cirúrgica do implante Bonebridge em pacientes com fissura palatina, otite média crônica e meatoplastia bilateral, além de comparar os resultados audiológicos e de satisfação destes pacientes usando este dispositivo e os aparelhos de amplificação sonora individuais convencionais. Estudo prospectivo, não randomizado. No total, 13 pacientes com fissura palatina, otite média crônica e meatoplastia bilateral foram selecionados para realização da cirurgia do dispositivo Bonebridge, seis do gênero masculino e sete do gênero feminino, com idade entre 12 a 56 anos. As avaliações audiológicas (audiometria em campo livre), de percepção da fala, avaliação da restrição da participação e satisfação com o dispositivo foram realizadas em dois momentos: a) antes da cirurgia: sem e com o uso dos Aparelhos de Amplificação Sonora Individual (AASI) e, b) após 6 meses da realização da cirurgia com o uso do dispositivo Bonebridge. Os resultados pré-cirúrgicos (sem e com AASI) e pós-cirúrgicos (com o Bonebridge) foram comparados. Nenhum paciente referiu complicações peri ou pós-cirurgicas. A técnica retrossigmoidea mostrou-se segura para ser utilizada com esta população, cuja patologia de orelha média leva a alterações na mastoide, seja devido a malformações anatômicas ou por tratamentos cirúrgicos prévios. Todos os participantes obtiveram melhores limiares audiológicos na audiometria em campo livre com o Bonebridge, assim como melhores resultados de percepção da fala, quando comparado aos resultados sem dispositivos e com o uso de AASI convencionais. Quanto à restrição de participação, houve diminuição dos efeitos emocionais e sócio-situacionais com o uso da amplificação (tanto com o AASI, quando com o Bonebridge) em comparação com a condição sem uso do dispositivo, sendo as diferenças estatisticamente significantes para as duas subscalas e o resultado total. Em relação à satisfação, os pacientes avaliaram melhor os fatores positivos (referentes ao benefício acústico e psicológico), negativos (referentes à amplificação de ruído ambiental e uso do telefone) e imagem pessoal (referentes à estética e ao estigma do uso do dispositivo) com o uso do dispositivo Bonebridge do que com o AASI, sendo a diferença estatisticamente significante para estes dois últimos fatores. Conclui- se que, apesar de a técnica cirúrgica do Bonebridge ser mais complexa e de maior tempo cirúrgico em comparação aos implantes percutâneos é de fácil execução para um cirurgião otológico experiente. Para os pacientes com fissura palatina, otite média crônica e meatoplastia a técnica retrossigmoidea mostrou- se segura, melhorando os resultados audiológicos e de percepção da fala, além da sua participação social e satisfação com o dispositivo.
Título en inglés
Bonebridge® bone conduction device: comparative study of hearing gain and hearing satisfaction in patients with cleft palate, chronic otitis media and hearing aid users
Palabras clave en inglés
Bone-anchored prosthesis
Cholesteatoma
Cleft palate
Correction of hearing impairment
Hearing loss conductive
Hearing loss
Resumen en inglés
Eustachian tube morphological anomalies predispose patients with cleft palate to chronic otitis media and, consequently, to hearing loss that cannot always be rehabilitated with conventional hearing aids. Currently there is a variety of implantable bone conduction devices on the market, which seek to combine better sound quality and less discomfort to patients. Bonebridge is a promising option for these cases because of its aesthetics, the possibility of early activation and lower complication rates. This study aimed to present the surgical technique of the Bonebridge implant in patients with cleft palate, chronic otitis media and bilateral meatoplasty, and to compare the audiological and satisfaction results of these patients using this device and conventional hearing amplification devices. Prospective, nonrandomized study. A total of 13 patients with cleft palate, chronic otitis media and bilateral meatoplasty were selected for Bonebridge implantation, six male and seven female, aged 12 to 56 years. Audiological (free field audiometry), speech perception, restriction of participation and satisfaction with the device were evaluated at two times: a) before surgery: without and with hearing aids (HA) ) and, b) 6 months after surgery using the Bonebridge device. Preoperative (without and with hearing aids) and postoperative (with Bonebridge) results were compared. No patient reported peri or postoperative complications. The retrosigmoid technique proved to be safely usable in this population, whose middle ear pathology leads to mastoid changes, either due to anatomical malformations or previous surgical treatments. All participants obtained better audiological thresholds in free field audiometry with Bonebridge, as well as better speech perception results when compared to results without devices and using conventional hearing aids. As for participation restriction, there was a decrease in the emotional and socio-situational effects with the use of amplification (both with the hearing aids and with the Bonebridge) compared to the condition without the use of the device, and the differences were statistically significant for both subscales and the total result. Regarding satisfaction, patients better evaluated positive factors (regarding acoustic and psychological benefit), negative factors (regarding environmental noise amplification and telephone use) and personal image (regarding aesthetics and stigma of device use) with the use of the Bonebridge device than with the HA, with a statistically significant difference for these last two factors. It is concluded that, although the Bonebridge surgical technique is more complex and of longer surgical time compared to percutaneous implants, it is easy to perform for an experienced otologic surgeon. For patients with cleft palate, chronic otitis media and meatoplasty, the retrosigmoid technique proved to be safe, improving audiological and speech perception results, as well as their social participation and satisfaction with the device.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2021-09-14
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2022. Todos los derechos reservados.