• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.5.2020.tde-11062021-111425
Documento
Autor
Nome completo
Yingying Zheng
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2020
Orientador
Banca examinadora
Jorge, Patricia Palmeira Daenekas (Presidente)
Carbonare, Solange Barros
Rondo, Patricia Helen de Carvalho
Sato, Maria Notomi
Título em português
Influência da infecção no lactente na expressão de quimiocinas e de seus receptores envolvidos no homing de leucócitos para o leite materno
Palavras-chave em português
Doenças respiratórias
Lactente
Leite humano
Linfócitos B
Linfócitos T
Macrófagos
Migração e rolagem de leucócitos
Movimento celular
Quimiocinas
Receptores de quimiocinas
Resumo em português
Estudos têm mostrado que a composição imunológica do leite materno pode sofrer alterações durante o período de infecção dos lactentes, levando à presença de um maior número de leucócitos no leite. As quimiocinas e seus receptores específicos possuem um papel fundamental no processo de migração celular para os tecidos e influenciam a presença dos leucócitos no leite. O objetivo deste estudo foi investigar possíveis alterações no perfil de expressão das quimiocinas e de seus receptores envolvidos no homing de leucócitos para o leite materno em resposta a infecções respiratórias presentes nos lactentes. A casuística foi composta por amostras de sangue periférico e de leite maduro de 33 mães saudáveis de lactentes com infecção respiratória (Grupo I) e de 26 mães saudáveis de lactentes saudáveis (Grupo S). A expressão dos receptores de quimiocinas e os níveis de citocinas séricas foram analisados por citometria de fluxo. As concentrações das quimiocinas no soro e no leite materno foram determinadas por ELISA. Não foi observada diferença na frequência de leucócitos totais no leite entre os grupos, porém houve um aumento da frequência dos linfócitos TCD3 totais e de linfócitos B, e também de macrófagos totais nas amostras de leite do Grupo I. As subpopulações de linfócitos T e B, no leite, não apresentaram diferenças em suas frequências entre os grupos, entretanto no Grupo I houve um aumento de macrófagos anti-inflamatórios e diminuição dos próinflamatórios comparado ao Grupo S. A análise dos receptores de quimiocinas mostrou que no Grupo I as frequências de CCR5 e de CCR6 nos linfócitos TCD4 naive e de CCR6 nos linfócitos TCD8 naive estavam diminuídas comparadas ao Grupo S. Além disso, houve uma prevalência de expressão de CCR5 nos linfócitos T do leite. Já nos macrófagos do leite, houve um aumento da frequência da dupla marcação CCR2+CX3CR1+ no CD16- no Grupo I comparado ao Grupo S. A análise das quimiocinas no leite mostrou um aumento dos níveis de CCL20, CXCL10, CCL2 e CX3CL1 e diminuição de CCL28 no Grupo I comparado ao Grupo S. As concentrações de IL-8 e IL-6 estavam elevadas nas amostras de leite de Grupo I em relação ao Grupo S e se mostraram positivamente correlacionadas com a produção das quimiocinas no leite, especialmente durante a infecção nos lactentes. Os resultados apresentados indicam que a infecção respiratória vigente no lactente influenciou a presença de linfócitos TCD3, linfócitos B e macrófagos anti-inflamatórios no leite materno, provavelmante em decorrência do aumento nos níveis de CCL20, CXCL10 e CX3CL1, que se mostraram positivamente correlacionados com as citocinas inflamatórias IL-8 e IL-6. Portanto, podemos concluir que há mudanças dinâmicas no perfil imunológico do leite materno em relação ao sangue, o que pode nos indicar algum tipo de adaptação deste excepcional compartimento imunológico de forma a prover ao lactente enfermo componentes bioativos específicos de proteção frente à infecção
Título em inglês
Influence of the nursing infant infection on the expression of chemokines and their receptors involved in leukocyte homing into breast milk
Palavras-chave em inglês
BLymphocytes, Macrophages
Cell movement, Receptors chemokine
Chemokines
Infant
Leukocyte rolling
Milk human
Respiratory tract diseases
T-Lymphocytes
Resumo em inglês
Studies have shown that immune components of human milk can be changed during an infection in the nursing infant, leading to increased leukocyte numbers in milk. Chemokines and their specific receptors play a key role in the process of cell migration to tissues and influence the presence of leukocytes in milk. The aim of this study was to investigate possible changes in the expression profile of chemokines and their receptors involved in leukocyte homing into breast milk in response to ongoing respiratory infections in the nursing infants. Peripheral blood and mature milk were collected from 33 healthy mothers of nursing infants with respiratory infections (Group I) and from 26 healthy mothers of healthy nursing infants (Group S). Chemokine receptors expression and cytokine levels were analyzed by flow cytometry, and chemokine levels were quantified by ELISA in maternal serum and milk. There was no difference in the frequency of total milk leukocytes between groups; however there was an increase in total TCD3 and B lymphocytes, and also in total macrophage frequencies in milk samples from Group I. T and B lymphocyte subsets, in milk, did not show differences in their frequencies between groups, yet in Group I there was an increase of anti-inflammatory macrophages and a decrease of pro-inflammatory macrophages compared to Group S. Chemokine receptor analyses have showed that, in Group I, the frequencies of CCR5 and CCR6 in naive TCD4 and CCR6 in naive TCD8 lymphocytes were decreased compared to Group S. In addition, there was a prevalence of CCR5 expression in milk T lymphocytes. Furthermore, in milk macrophages, there was an increase of double-labeled CCR2+CX3CR1+ frequencies in CD16- in Group I compared to Group S. Chemokine analyses in milk have showed an increase in CCL20, CXCL10, CCL2 and CX3CL1 levels and a decrease in CCL28 in Group I compared to Group S. IL-8 and IL-6 concentrations were higher in milk from Group I compared to Group S, and they were positively correlated with the production of chemokines in milk, especially during infant infection. The results indicate that ongoing infections in the nursing infant have influenced the presence of TCD3 lymphocytes, B lymphocytes and anti-inflammatory macrophages in breast milk, probably due to the increase in CCL20, CXCL10 and CX3CL1 levels, which were shown to be positively correlated with inflammatory cytokines IL-8 and IL-6. Therefore, we can conclude that there are dynamic changes in the immunological profile of breast milk compared to blood, which may indicate some kind of adaptation of this exceptional immune compartment in order to provide the sick infant with specific protective bioactive components against infection
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
YingyingZheng.pdf (3.27 Mbytes)
Data de Publicação
2021-06-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.