• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2014.tde-08122014-152936
Documento
Autor
Nome completo
Leide Irislayne Macena da Costa e Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Grisi, Sandra Josefina Ferraz Ellero (Presidente)
Gilio, Alfredo Elias
Silva, Rosa Resegue Ferreira da
Título em português
O efeito intergeracional no peso ao nascer e suas relações com as condições maternas, em crianças nascidas a termo no Hospital Universitário da USP
Palavras-chave em português
Brasil
Efeitos tardios da exposição pré-natal
Epigênese genética
Estatura
Exposição materna
Obesidade/complicações
Países em desenvolvimento
Peso ao nascer
Recém nascido de baixo peso
Relação entre gerações
Resumo em português
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Vários estudos têm mostrado o peso ao nascer de ambos os pais como preditor do peso de nascimento do descendente, com correlação mais fortemente transmitida através da linhagem materna, sugerindo que exposições desfavoráveis à mãe desde a sua própria vida intrauterina até os períodos de pré-concepção e gestacional, além dos genes herdados, influenciam o tamanho ao nascimento da prole. A preocupação atual se relaciona ao ciclo intergeracional do baixo peso ao nascer ou do peso ao nascer elevado entre gerações, com todos os agravos imediatos e a longo prazo que estão implicados em nascer pequeno para a idade gestacional e/ou baixo peso ou grande para a idade gestacional e/ou macrossômico. O presente trabalho tem o objetivo de estudar a correlação entre o peso ao nascer da criança com o peso ao nascer da mãe, com as condições maternas, em crianças nascidas a termo no Hospital Universitário da USP (HU-USP). MÉTODOS: Foram identificados 773 binômios mães-crianças, 773 crianças nascidas de 558 mães, com a informação documentada do peso ao nascer tanto do bebê quanto da mãe. As informações referentes aos antecedentes maternos, pré-natal e parto, e as medidas antropométricas de nascimento da criança e da mãe foram obtidas através do registro em prontuários, sendo 83,8% das mães nascidas no HU-USP. Foram constituídos grupos de estudo de peso ao nascer da criança [< 2.500 gramas (g) e >= 3.500 gramas (g)], e também foi realizado o estudo do comprimento ao nascer da criança <= 47,5cm (quartil inferior). Foram utilizados Chi-quadrado ou teste exato de Fisher, Spearman's Rho, e Odds-Ratio para investigar as relações entre o peso e comprimento ao nascer das crianças com variáveis maternas e das próprias crianças. RESULTADOS: As meninas (nascidas entre 1999-2014) foram mais pesadas ao nascer do que as suas mães (nascidas entre 1972-1998), com uma média no aumento do peso ao nascer de 79g entre as duas gerações. O peso ao nascer da criança < 2.500g não apresentou correlação alguma com o peso ao nascer materno < 2.500g (Fisher 0,264*; Spearman´s Rho 0,048; OR 2,1 e OR lower 0,7), e com a estatura materna na gestação no quartil inferior (< 157cm) (Chi2 sig 0,323; com Spearman´s Rho 0,036; OR 1,5 e OR lower 0,7). O baixo peso ao nascer da criança (< 2.500g) foi levemente correlacionado com o uso de drogas pela mãe durante a gestação (Fisher 0,083*; Spearman´s Rho 0,080;OR 4,9 e OR lower 1,0). O peso ao nascer da criança < 2.500g mostrou correlação acentuada com a idade gestacional menor que 38 semanas e 3 dias (Chi2 sig 0,002; Spearman´s Rho 0,113; OR 3,2 e OR lower 1,5). O peso ao nascer da criança >= 3.500g apresentou forte correlação com o peso ao nascer materno >= 3.500g (Chi2 sig 0; Spearman´s Rho +0,142; OR 0,5** e OR upper 0,7); sendo que quanto maior o IMC pré-gestacional da mãe maior a correlação com o peso de nascimento da criança >= 3.500g [(IMC materno pré gestacional >= 25,0 kg/m2 com Chi2 sig 0,013; Spearman´s Rho 0,09; OR 1,54 e OR upper 2,17) e (IMC materno pré gestacional >= 30,0 kg/m2 com Chi2 sig 0; Spearman´s Rho 0,137; OR 2,58 e OR upper 4,26)]. O peso ao nascer da criança >= 3.500g também foi correlacionado com o parto cesareano (Chi2 sig 0; Spearman´s Rho +0,132; OR 0,5** e OR upper 0,8). O comprimento ao nascer da criança no quartil inferior (<= 47,5cm) mostrou-se significante em mães que nasceram com peso < 3.500g (Chi2 sig 0; Spearman´s Rho -0,154; OR 3,2** e OR lower 1,8). O comprimento ao nascer da criança <= 47,5cm apresentou forte correlação com o uso de drogas pela mãe durante a gestação (Chi2 sig 0,004; Spearman´s Rho 0,105; OR 4,3 e OR lower 1,5). O comprimento ao nascer da criança <= 47,5cm apresentou tênue correlação com a estatura materna no quartil inferior (< 157cm) e com o tabagismo na gestação, evidenciados pelo Chi2 sig 0,012; Spearman´s Rho 0,091; OR 1,6 e OR lower 1,1 e Chi2 sig 0,012; Spearman´s Rho 0,091; OR 1,7 e OR lower 1,1, respectivamente. CONCLUSÕES: O peso de nascimento da mãe >= 3.500g e o sobrepeso ou obesidade pré-gestacional materna foram correlacionados com o peso ao nascer da criança >= 3.500g e maior comprimento ao nascer do recém-nascido, acoplado à tendência do aumento do peso ao nascer entre gerações de mães e filhas. Também, os descendentes com menores comprimentos ao nascimento são os filhos das mulheres com as mais baixas estaturas. A co-existência do ciclo intergeracional da obesidade e da "falência do crescimento" se mostrou presente na população estudada
Título em inglês
The intergenerational effect on birth weight and its relations to maternal conditions in term infants born in the "Hospital Universitário" from the University of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Birth weight
Body height
Brazil
Developing countries
Epigenesis genetic
Infant low birth weight
Intergenerational relations
Maternal exposure
Obesity/complications
Prenatal exposure delayed effects
Resumo em inglês
BACKGROUND AND OBJECTIVES: Many studies have shown that both parents' birth weight acts as a predictor for the descendant birth weight, with the correlation more strongly transmitted through maternal line. This suggests that adverse expositions to the mother, from her own intrauterine life until the pre-conception and pregnancy periods, in addition to the inherited genes, influences the size of the offspring at birth. The current preoccupation relates to the intergenerational cycle of low birth weight or increased birth weight between the generations, with all the immediate and long term aggravations that are implied in small birth size for the gestational age and/or low birth weight or large birth size for the gestational age and/or macrosomic. The present research aims to study the correlation between the child's birth weight with the mother's birth weight, and maternal conditions, in term infants born in the "Hospital Universitário" from the University of São Paulo. METHODS: 773 mother-infant binomials were identified (773 children born from 558 mothers) with information on both the baby's and the mother's birth weight recorded. The information referring to maternal antecedents, pre-natal, parturition and birth anthropometric measures of the infant and the mother were obtained through the registrations of their medical recordes. 83.8% of the mothers were born in the "Hospital Universitário". Group studies were constituted, dividing the sample according to birth weight [< 2.500 grams (g) and >= 3.500 grams (g)]. The length at birth was also studied in children <= 47,5cm (lower quartile). Chi-squared test or Fisher's exact test, Spearman's Rho and Odds-Ratio were performed in order to investigate the relation between the children's weight and length at birth and the mothers' and children's variables. RESULTS: The girls (born between 1999 and 2014) were heavier at birth than their mothers (born between 1972 and 1998), with an average increase at birth weight between the generations of 79 grams. The child's birth weight < 2.500 grams did not show any correlation with maternal birth weight < 2.500 grams (Fisher 0.264*; Spearman's Rho 0.048; OR 2.1 and OR lower 0.7) nor with maternal stature below the lower quartile (< 157cm) (Chi2 sig 0.323; with Spearman's Rho 0.036; OR 1.5 and OR lower 0.7). The child's low birth weight (< 2.500g) was lightly correlated with drug use by the mother during pregnancy (Fisher 0.083*; Spearman's Rho 0.080; OR 4.9 and OR lower 1.0). The child's birth weight < 2.500g showed increased correlation with gestational age lower than 38 weeks and 3 days (Chi2 sig 0.002; Spearman's Rho 0.113; OR 3.2 and OR lower 1.5). The child's weight at birth >= 3.500g showed strong correlation with maternal weight at birth >= 3.500g (Chi2 sig 0; Spearman's Rho +0.142; OR 0.5** and OR upper 0.7). It was also revealed that the higher the maternal pre-pregnancy BMI, the stronger the correlation with child's birth weight >= 3.500g was [(maternal pre-pregnancy BMI >= 25,0 kg/m2 with Chi2 sig 0.013; Spearman's Rho 0.09; OR 1.54 and OR upper 2.17) and (maternal pre-pregnancy BMI >= 30,0 kg/m2 with Chi2 sig 0; Spearman's Rho 0.137; OR 2.58 and OR upper 4.26)]. The child's weight at birth >= 3.500g was also correlated with Caesarean section (Chi2 sig 0; Spearman's Rho +0.132; OR 0.5** and OR upper 0.8). Child's length at birth in the lower quartile (<= 47,5cm) was significant in mothers who were born with weight < 3.500g (Chi2 sig 0; Spearman's Rho -0.154; OR 3.2** and OR lower 1.8). The child's length at birth <= 47,5cm showed strong correlation with drug use by the mother during pregnancy (Chi2 sig 0.004; Spearman's Rho 0.105; OR 4.3 and OR lower 1.5). The child's length at birth <= 47,5cm showed tenuous correlation with maternal stature in the lower quartile (< 157cm) and with gestational smoking, demonstrated by Chi2 sig 0.012; Spearman's Rho 0.091; OR 1.6 and OR lower 1.1 and Chi2 sig 0.012; Spearman's Rho 0.091; OR 1.7 and OR lower 1.1, respectively. CONCLUSIONS: The mother's weight at birth >= 3.500g and the prenatal overweight or obesity were correlated with the child's weight at birth >= 3.500g and increased length at birth of the newborn, coupled with the tendency of increasing birth weight between generations of mothers and daughters. Also, descendants with smaller length at birth are the children of women with the lowest statures. The coexistence of the intergenerational vicious cycle of obesity and of "growth failure" was found on the studied population
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-12-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.