• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Rita de Cássia Bonatto Vilarim
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Siqueira, José Tadeu Tesseroli de (Presidente)
Fabri, Gisele Maria Campos
Tavares, Marcos Roberto
Teixeira, Manoel Jacobsen
Título em português
Dor como queixa inicial do câncer de boca e orofaringe: caracterização de amostra
Palavras-chave em português
Avaliação de estado de Karnofsky
Câncer de boca
Diagnóstico
Disfunção temporomandibular
Dor incidental
Dor orofacial
Neoplasias bucais
Neoplasias orofaríngeas
Qualidade de vida
Resumo em português
A dor como sintoma inicial do câncer de boca pode ser o primeiro e único indicador da neoplasia. Até o presente momento suas características, à fase do diagnóstico, ainda não são bem definidas, e nem sempre a dor é considerada como critério importante de diagnóstico para o câncer. OBJETIVO. Avaliar a prevalência e as características gerais de dor orofacial, bem como de outros sinais e sintomas, que levaram os pacientes a procurar atendimento à saúde e ao diagnóstico de câncer de cavidade oral ou orofaringe, comparativamente a um grupo controle composto por pacientes sem câncer. MATERIAL E MÉTODO. Dois grupos: a) Grupo Pacientes (GP), formado por 74 pacientes consecutivos do Ambulatório de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que foi dividido em dois subgrupos: cavidade oral (Ca boca - CaB) e orofaringe (Ca orofaringe - CaO) e b) Grupo Controles (CG), formado por 74 pacientes encaminhados para tratamento odontológico convencional no ambulatório da Divisão de Odontologia do HCFMUSP. Foram utilizados os seguintes instrumentos de avaliação: Ficha clínica da Equipe de Dor Orofacial da Divisão de Odontologia do HCFMUSP (EDOF-HC); Escala Visual Analógica (EVA), Escala Numérica de Dor (END), Escala Verbal de Dor (EVD), Questionário de dor McGill; Ficha de Dor Neuropática do Centro de Dor do HCFMUSP; Índice de disfunção de Helkimo; Índice CPOD; Questionário de Qualidade de Vida (UW-QOL) e o Índice de Desempenho de Karnofsky (IDK). RESULTADOS. Os dois grupos foram pareados em relação ao gênero (4:1 homens); idade (58,46 anos no GP e 58,61 GC), raça (2:1 leucoderma) e ocupação. As diferenças estatísticas predominantes no GP foram as seguintes: tabagista/ex-tabagista e etilista/ex-etilista (p < 0,001); motivos de procura por assistência: dor (p < 0,001), úlcera e aumento de volume (p < 0,001); queixa principal: dor (p < 0,001), aumento de volume (p < 0,001) e úlcera (p=0,016); localização da queixa principal: língua e garganta (p < 0,001), ouvido (p=0,033) e palato (p=0,028); prevalência de dor no momento do estudo (p<0,001); problema mais importante nos últimos sete dias (p < 0,001); motivo de procura por assistência médica (p < 0,001); dor constante muitas vezes explosiva em algum momento (p < 0,001); dor espontânea ou provocada (p < 0,001); fatores desencadeantes da dor: mastigação ou deglutição (p=0,001); dor acorda o paciente (p<0,001); dor moderada a forte (EVA=6; p<0,001), (END=7,5; p < 0,001); duração variável (p<0,001); indiferente quanto ao período do dia (p=0,001); múltiplos descritores, destacando-se: pontada, queimação, latejante (p < 0,001) e tipo "dor de dente" (p=0,006) e otalgia reflexa uni ou bilateral (p < 0,001). Os seguintes índices também foram piores no GP: índice de disfunção clínica de Helkimo (p < 0,001); índice CPOD (p=0,004); biofilme dental (p=0,002); questionário de dor McGill (p < 0,001); ficha de dor neuropática (p < 0,001); índice de qualidade de vida (p < 0,001) e IDK (p < 0,001). No GP, 25% estavam nos estádios 0, I ou II, e 75% nos III ou IV; o número de profissionais procurados variou de 1 a 9; cirurgião dentista e cirurgião de cabeça e pescoço fizeram os diagnósticos em ambos os subgrupos e o otorrinolaringologista no CaO; pacientes com CaO procuraram mais por médicos. Houve diferença estatística entre os subgrupos CaB e CaO nos seguintes tópicos; dor tipo "dor de dente" (p=0,044) e queimação (p=0,016) no CaB; peso (p=0,018), deglutição como desencadeante de dor (p=0,009), garganta como local de queixa principal (p < 0,001) e otalgia bilateral (p=0,004) no CaO. CONCLUSÃO. Os dados deste estudo mostram que a dor foi sintoma presente em toda a fase de diagnóstico dos cânceres de cavidade oral e orofaringe, inclusive nos estágios iniciais. Destacaram-se as seguintes características: gênero masculino, acima de 50 anos de idade, dor difusa (localização variada), intensidade moderada a forte, indiferente ao período do dia, podendo acordar o paciente, predominantemente em pontada, queimação, latejante ou tipo "dor de dente", desencadeada por mastigação ou deglutição, otalgia reflexa uni ou bilateral, limitação ou incapacitação da função mandibular, pacientes com a condição clínica claramente comprometida tanto em qualidade de vida como em funcionalidade. Esses dados podem auxiliar no diagnóstico diferencial dos cânceres de boca e orofaringe, principalmente quando há dor persistente e refratária aos tratamentos
Título em inglês
Pain as the initial symptom of oral and oropharynx cancer: sample characterization
Palavras-chave em inglês
Breakthrough pain
Diagnosis
Karnofsky performance status
Oral cancer
Oral cavity cancer
Orofacial pain
Oropharinx cancer
Quality of life
Temporomandibular disorders
Resumo em inglês
Pain as an early symptom of oral cancer may be the first and only indicator of neoplasia. To date, its characteristics at the diagnostic stage are not still well defined, and pain is not always considered as an important diagnostic criterion for cancer. Objective. To evaluate the prevalence and general characteristics of orofacial pain, as well as other signs and symptoms, which led the patients to seek health care and the diagnosis of cancer of the mouth or oropharynx, compared to a control group composed of patients without cancer. Patients and Method: Two groups: a) Patient Group (PG), consisting of 74 consecutive patients from the Head and Neck Surgery Outpatient Clinic of the Hospital das Clínicas of the Medical School of the University of São Paulo, which was divided into two subgroups:oral cancer(CaB) and oropharynx cancer (CaO) and b) Control Group (CG), formed by 74 patients referred for conventional dental treatment in the outpatient clinic of the Dentistry Division of HCFMUSP. The following evaluation instruments were used: Clinical record form of the Orofacial Pain Team of the Dentistry Division of HCFMUSP (EDOF-HC); Visual Analogue Scale (VAS), Numerical Pain Scale (NPS), Verbal Pain Scale (VPS), McGill Pain Questionnaire; Neuropathic Pain chart of the HCFMUSP Pain Center; Helkimo dysfunction index; DFMT,Index; Quality of Life Questionnaire (UW-QOL) and the Karnofsky performance status (KPS).Results. The two groups were compared for gender (4:1 men); age (58.46 years in PG and 58.61 CG), race (2: 1 white) and occupation. The predominant statistical differences in PG were: smoker / ex-smoker and alcoholic/ex- alcoholic (p < 0.001); reasons for seeking care: pain (p < 0.001), ulcer and swelling (p < 0.001); main complaint: pain: (p < 0.001) swelling (p < 0.001) and ulcer (p=0.016). Location of the main complaint: Tongue and throat (p < 0.001), ear (p=0.033) and palate (p = 0.028); prevalence of pain at study time (p < 0.001); the most important issues in the past seven days (p < 0.001);reason for seeking medical care (p < 0.001); constant pain with attacks of explosions (p < 0.001); spontaneous or induced pain (p < 0.001); pain-triggering factors: chewing or swallowing (p=0.001); pain wakes up the patient (p < 0.001); moderate to severe pain (VAS=6, p < 0.001), (NPS=7.5, p < 0.001); variable duration (p < 0.001); regardless of the period of the day (p=0.001); multiple descriptors, such as: jumping, burning and throbbing (p < 0.001) and toothache type (p=0.006) and unilateral or bilateral reflex otalgia (p < 0.001). The following indexes were also worse in PG: Helkimo clinical dysfunction index (p < 0.001); DMFT index (p=0.004); dental biofilm (p = 0.002); McGill pain questionnaire (p < 0.001); neuropathic pain scale (p < 0.001); index of quality of life (p < 0.001) and KPS (p < 0.001). In PG, 25% were in stages 0, I or II, and 75% in stages III or IV; the number of professionals sought ranged from 1 to 9; dentist and head and neck surgeon made the diagnoses in both subgroups and the otolaryngologist in CaO; patients with CaO sought more physicians. There was a statistical difference between CaB and CaO subgroups in the following topics: toothache-like pain (p=0.044), CaB burning (p=0.016) in the CaB; heavy (p=0.018), swallowing as pain trigger (p=0.009), throat as the primary complaint site (p < 0,001) and bilateral otalgia in CaO (p=0.004). Conclusion. The data from this study show that pain was a symptom present throughout the diagnostic phase of oral cancer. The following characteristics were noted in the sample with oral cancer: male gender, over 50 years of age, diffuse pain (varied location), moderate to strong intensity, indifferent to the time of day, being able to awaken the patient, burning, throbbing, stabbing or toothache-like pain, triggered by chewing or swallowing, unilateral or bilateral reflex otalgia, limitation or incapacitation of mandibular function, patients with a clinical condition clearly compromised both in quality of life and in functionality. These data may aid in the differential diagnosis of oral cancer, especially when there is persistent and refractory orofacial pain
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-10-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.