• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.5.2020.tde-11022021-124041
Documento
Autor
Nome completo
Jeane Lima e Silva Carneiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2020
Orientador
Banca examinadora
Ayres, Jose Ricardo de Carvalho Mesquita (Presidente)
Debert, Guita Grin
Germani, Ana Claudia Camargo Gonçalves
Veras, Renato Peixoto
Título em português
O cuidado do idoso na atenção primária sob o olhar da autonomia: um estudo em bairro central da cidade de São Paulo  
Palavras-chave em português
Atenção primária à saúde
Autonomia relacional
Cuidado
Envelhecimento
Hermenêutica
Saúde do idoso
Saúde pública
Vulnerabilidade em saúde
Resumo em português
A proporção de idosos na população vem aumentando em quase todo o globo, devido ao aumento da expectativa de vida e redução da fecundidade. O envelhecimento é uma conquista da sociedade moderna, vivenciado de forma singular por cada sujeito e acompanhado de diversos desafios. Desde os anos 1980, há um crescente interesse no idoso, sendo o envelhecimento saudável ou ativo mundialmente estimulado. Este tem como uma de suas premissas a autonomia. Nas práticas de saúde, contudo, profissionais, idosos e famílias experimentam dificuldades frente aos imprecisos limites entre as exigências técnicas e o respeito ao exercício da autonomia do idoso na produção de respostas às necessidades de saúde identificadas por cada um desses sujeitos. O presente estudo tem como objetivo compreender como a equipe de Saúde da Família e o idoso identificam e lidam com a questão da autonomia no cotidiano do cuidado. De forma específica, objetiva identificar quais são e como são apresentadas as principais facilidades e dificuldades encontradas no tocante à autonomia no cuidado do idoso; compreender quais são as estratégias de enfrentamento das facilidades e dificuldades elencadas e identificar a percepção do idoso em face de seu próprio processo de envelhecimento, cuidado e preservação de sua autonomia. Trata-se de uma investigação qualitativa que utilizou como ferramentas a observação participante e entrevistas semiestruturadas com idosos e profissionais de saúde. A construção e interpretação das narrativas foi orientada por uma perspectiva epistemológica desdobrada da hermenêutica filosófica de Gadamer e da teoria da interpretação de Ricoeur. O quadro teórico do Cuidado e da Vulnerabilidade, tal como proposto por Ayres, orientou a definição das categorias interpretativas. O trabalho de campo foi desenvolvido em uma Unidade Básica de Saúde da região central da cidade de São Paulo durante o ano de 2019. Foram entrevistados 16 profissionais de saúde e 8 idosos. Para além de levantar e discutir uma rica variedade de experiências do envelhecer e dos arranjos e estratégias utilizados pela equipe da atenção básica para o desenvolvimento da atenção ao idoso, o estudo propiciou um novo olhar sobre a questão da autonomia e sua relação com o cuidado em saúde. Estreitamente relacionada às dificuldades, facilidades e estratégias de enfrentamento dos desafios diários da atenção à saúde do idoso, a autonomia mostrou-se um importante marcador de vulnerabilidade (interpessoal, social e programática), indicando áreas que requerem atenção particular, para que objetivos técnicos e sucesso prático possam realmente ser articulados e adequadamente focados nos "projetos de felicidade" dos idosos. Distintamente, porém, de um atributo individual, a autonomia revelou-se a expressão de características relacionais, exigindo estratégias técnicas e horizontes prático-morais plurais e flexíveis, sempre orientados pelo mesmo compromisso ético de respeito às necessidades singulares dos indivíduos
Título em inglês
The care of the elderly in primary health care from the perspective of autonomy: a study in a downtown area in the city of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Aging
Care
Health of the elderly
Health vulnerability
Hermeneutics
Primary health care
Public health
Relational autonomy
Resumo em inglês
The proportion of elderly people in the population has been growing in almost the entire globe as a result of increased life expectancy and reduced fertility. Aging is a great accomplishment that modern society, experienced in a unique way for each individual and accompanied by several challenges. Since the 1980s, interest in elderly people has increased with healthy or active aging being stimulated all over the world, adopting autonomy as one of its premises. Yet in health practice, professionals, elderly and families experience difficulties in view of the imprecise limits between technical requirements and respect for the exercise of the elderly's autonomy in producing responses to the health needs identified by each of these subjects. The objective of this study is to understand how the Family Health team and the elderly identifies and deals with the issue of autonomy in daily health care needs. It aims particularly to identify what are the main facilities and difficulties encountered regarding autonomy in elderly care; to understand what are the strategies for coping with these facilities and difficulties and to identify the elderly's perception of their own aging process, care and preservation of their autonomy. It is a qualitative study based on participant observation and semi-structured interviews. Narratives construction and interpretation were based on an epistemological perspective derived from Gadamer's philosophical hermeneutics and con the interpretation theory of Ricoeur. The theoretical framework of care and vulnerability, as proposed by Ayres, guided the definition of the interpretive categories. The field study was developed in a Primary Health Care service in a downtown area of the city of São Paulo during 2019. Sixteen health professionals and 8 elderly people were interviewed. After raising and discussing a rich variety of experiences of aging and the arrangements and strategies used by the primary health care team to provide assistance for the elderly, the study has thrown a new light over the issue of autonomy and its relationship with health care. Close related to the difficulties, facilities and coping strategies of the daily health care challenges of the elderly, autonomy showed to be an important vulnerability marker (interpersonal, social and programmatic), indicating areas that require particular attention, so that technical goals and practical success can actually be articulated and adequately focused on the elderly's "happiness projects". Distinctly, though, of an individual attribute, autonomy revealed to be the expression of relational characteristics, demanding plural technical strategies and practical-moral horizons, always driven by the same ethical commitment and respect to the singular contexts and needs of the individuals
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-02-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.