• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2013.tde-15082013-090528
Documento
Autor
Nome completo
Tatiana Denck Gonçalves
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Lourenço Junior, Delmar Muniz (Presidente)
Liberman, Bernardo
Rubio, Ileana Gabriela Sanchez de
Fragoso, Maria Candida Barisson Villares
Monte, Osmar
Título em português
Rastreamento clínico de tumores endócrinos em jovens portadores de mutação MEN1 germinativa: avaliação do impacto clínico em relação aos critérios do consenso internacional de neoplasia endócrina múltipla tipo 1
Palavras-chave em português
Adolescente
Gene MEN1
Neoplasia endócrina múltipla tipo 1
Neoplasias pancreáticas
Resumo em português
Contexto: A neoplasia endócrina múltipla tipo 1 (NEM1) é uma doença familiar com padrão de herança autossômica dominante, caracterizada por uma susceptibilidade genética aumentada ao desenvolvimento de tumores nas paratireóides (HPT), hipófise (PIT) e células endócrinas do pâncreas e do duodeno (PET). A descoberta do gene MEN1 propiciou a identificação de mutação nos casos- índices e nos familiares sob-risco. O Consenso Internacional de NEM1 (2001) sugeriu a realização periódica de exames hormonais e radiológicos em portadores de mutação germinativa MEN1, visando o diagnóstico precoce de tumores. As idades de início do rastreamento se basearam na descrição do caso mais jovem para cada tipo tumoral. O novo Consenso internacional de NEM1 (2012), mantendo este critério, sugeriu antecipar o início do rastreamento de tumores endócrinos pancreáticos não funcionantes (NF-PET) dos 20 para os 10 anos de idade, baseando-se no relato de dois casos jovens. A penetrância, a prevalência e o fenótipo dos tumores NEM1 em jovens com idade <21 anos ainda não foram satisfatoriamente determinados Objetivo: Avaliar a penetrância, a prevalência e o impacto clínico de tumores diagnosticados na 2ª década de vida em portadores de mutação germinativa MEN1 Casuística: É constituída por 113 portadores de mutação MEN1. Dois subgrupos foram selecionados para avaliar a penetrância e a prevalência na 2ª década: 27, avaliados durante a 2ª década e; 24, com início de sintomas relacionados à NEM1 nesta faixa etária (< 21anos) e diagnóstico após esta idade. Resultados: Considerando os 113 casos com NEM1, a distribuição percentual de casos diagnosticados ou com sintomas relacionados que se iniciaram na 2ª década de vida com HPT, PET, insulinoma, gastrinoma, NF-PET, PIT, prolactinoma e NF-PIT foi respectivamente: 29,5; 10,5; 25; 0; 10; 33,9; 48,5, e; 15,8%. Na segunda década, a penetrância de HPT, PET e PIT foi 66,7%, 42,1 % e 54,5% enquanto que a prevalência destes tumores foi de 76,2% %, 50% e 60%. A metade dos casos deste grupo jovem, com presença de tumores na 2ª década, era sintomática (52.4%; 11/21) sendo que os sintomas relacionados ao prolactinoma eram os mais prevalentes na admissão (81,8%) seguidos dos relacionados ao insulinoma (18,2%) e HPT (9%). Prolactinoma foi o tumor hipofisário mais prevalente (75%) e clinicamente relevante, sendo que 55,6% deles eram macroadenomas (>= 10 mm). PITs não funcionantes (NF-PIT) foram menos frequentes (3/12; 25%) e se apresentaram como microadenomas incipientes. NF-PETs foram frequentes na segunda década (8/16; 50%) e clinicamente relevantes uma vez que 62,5% dos casos tinha indicação cirúrgica. Insulinomas basicamente representaram os PETs funcionantes nesta faixa etária. Apesar da maioria dos casos com HPT serem assintomáticos ao diagnóstico (15/16; 93.8%), um quarto deles (25%) apresentaram nefrolitíase antes dos 20 anos. Conclusões: HPT, prolactinomas, insulinomas e NF-PETs representam os tumores relacionados à NEM1 de maior relevância clínica durante a 2ª década de vida. Nossos dados indicam que um rastreamento clínico/hormonal e radiológico ostensivo deve ser conduzido direcionado ao diagnóstico destes tumores em jovens portadores de mutação germinativa MEN1
Título em inglês
Clinical screening of endocrine tumors in children and adolescents harboring germline MEN1 mutation: analysis of clinical impact applying criteria adopted for International Consensus on multiple endocrine neoplasia type 1
Palavras-chave em inglês
Adolescent
MEN1 gene
Multiple endocrine neoplasia type 1
Pancreatic Neoplasms
Resumo em inglês
Context: Multiple endocrine neoplasia type 1 (MEN1) is an autosomal dominant inherited disorder with high susceptibility to developing endocrine tumors in pituitary (PIT) and parathyroids glands (HPT) and endocrine cells from duodenum and pancreatic islets (PET). Genetic status of index cases and at-risk familial members was possible after MEN1 gene discovery. Genetic screening of MEN1 families has substantially improved the clinical management of MEN1. In order to reach an early diagnosis, the Consensus on MEN1 (2001) established periodic hormonal/radiological exams in MEN1 carriers with beginning to each tumor type based on younger case age reported so far. Recently, non-functioning PETs (NF- PET) were described in two cases in younger ages (2nd decade) than that defined by Consensus (20 y-old or more). Recently, the 2012 clinical practice guideline on MEN1 suggested the anticipation of the screening for NF-PETs from 20 to 10 years of age. However, data on the penetrance of MEN1-related tumors in young MEN1 patients (<21y-old) are scarce. Objective: Estimate the penetrance, prevalence and clinical impact resultant of the early diagnosis of MEN1-related tumors in young MEN1 carriers. Design: Data obtained from a MEN1 screening program (1996- 2012). Setting: Tertiary academic reference center. Patients: 27 young MEN1 cases prospectively followed during the first two decades of life, belonging to an overall casuistic of 113 MEN1 cases harboring MEN1 germline mutations; Methods: Appropriate biochemical and imaging studies. Results: In the present setting, the percentage values of the each one of the MEN1-related tumors recognized during 2nd decade in our 113 MEN1 cases were: HPT (29.5%); PET (10.5%); insulinoma (25%); gastrinoma (0%), non-functioning PET (10%); PIT (33.9%), prolactinoma (48.5%); and NF-PIT (15.8%). In 27 MEN1-mutation positive patients younger than 21y-old, the penetrance and prevalence of HPT, PET and PIT were, respectively, 66.7%, 42.1%, 54.5% and 76.2%, 50%, 60%. Half of young cases were asymptomatic. Symptoms were mostly related with prolactinoma (81.8%), insulinoma (18.2%) and HPT (9%). Prolactinoma was highly prevalent (75%) and most (55.5%) were macroadenoma. NF-PITs (25%) had no clinical relevance. Asymptomatic NF-PETs were frequent (50%) and relevant clinically (62.5%). Considering the functioning PETs, only insulinoma was present in young MEN1 subset. One quarter of all HPT patients exhibited MEN1-related urolithiasis in the second decade. Conclusions: Our MEN1 series documented a high prevalence of clinically relevant HPT, prolactinoma, insulinoma and NF-PETs and its comorbidities during the second decade of life. These data suggest the need for strict surveillance of these tumors in MEN1 mutation carriers during late childhood and adolescence
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-08-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.