• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2012.tde-27112012-101651
Documento
Autor
Nome completo
Joaquim Xavier de Sousa Júnior
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Aoki, Valeria (Presidente)
Maruta, Celina Wakisaka
Santi, Claudia Giuli
Sotto, Mirian Nacagami
Tomimori, Jane
Título em português
Avaliação da imunorreatividade contra desmogleína 1 e Trypanosoma cruzi em população de área endêmica para pênfigo foliáceo
Palavras-chave em português
Auto-anticorpos
Auto-imunidade
Desmogleínas
Doença de Chagas
Pênfigo
Trypanosoma cruzi
Resumo em português
Introdução: O pênfigo foliáceo endêmico (PFE) ou Fogo Selvagem (FS) é uma dermatose bolhosa autoimune com auto-anticorpos IgG patogênicos, principalmente da subclasse IgG4, direcionados contra epítopos da desmogleína 1 (Dsg1), uma glicoproteína desmossômica que desempenha papel na adesão celular da epiderme. Os auto-anticorpos ligam-se a domínios específicos da Dsg1, gerando acantólise (perda da adesão celular) através de mecanismos diversos, tais como sinalização intracelular de moléculas e impedimento estérico. A etiopatogenia do FS é multifatorial, apresentando interações entre fatores imunológicos, genéticos e ambientais. Em algumas regiões do Brasil, detectou-se alta prevalência de FS (3%), sugerindo importante participação de fatores ambientais como desencadeantes da resposta autoimune. Indivíduos saudáveis de áreas endêmicas de FS reconhecem epítopos não-patogênicos da Dsg1, e exposição a insetos hematófagos é um fator de risco para FS. FS e doença de Chagas compartilham algumas regiões geográficas, e anticorpos anti- Dsg1 foram detectados em doentes de Chagas. Na reserva indígena Terena (Limão Verde), onde a prevalência de FS é alta, a população está exposta a picadas de simulídeos, cimecídeos e reduvídeos. Estes insetos podem atuar como vetores de doenças, bem como na imunomodulação do processo autoimune do FS. Objetivos: Nosso estudo teve como objetivos: 1- avaliar a frequência de anticorpos anti-Trypanosoma cruzi em doentes de FS e na população saudável da área de alto risco para FS, habitantes da aldeia indígena de Limão Verde, Mato Grosso do Sul, Brasil; 2- avaliar a reatividade concomitante contra Dsg1 e T. cruzi nessa população de alto risco para FS. Métodos: Realizamos ensaio sorológico de ELISA (enzyme linked immunosorbent assay) para reatividade contra Dsg1 e contra T. cruzi em 40 doentes de FS e em 150 indivíduos saudáveis da reserva indígena Terena. Adicionalmente, todos os soros foram analisados através da técnica de imunofluorescência indireta (IFI) para doença de Chagas. Nas reações positivas por ELISA e IFI para Chagas, TESA (trypomastigoste extracted/secreted antigens) immunobloting foi realizado como teste confirmatório para doença de Chagas. Resultados: A forma indeterminada da doença de Chagas foi identificada através da reação contra o T. cruzi por ELISA, IFI e TESA-BLOT em cinco indivíduos de Limão Verde, que não apresentavam FS. Nenhum doente de FS da região estudada apresentou reatividade contra T. cruzi. O perfil de anticorpos anti-Dsg1 evidenciou resultado positivo em 15 dos 40 doentes de FS e em 33 dos 150 soros de indivíduos saudáveis da região endêmica de FS. Não se observou reação cruzada entre doença de Chagas e FS. Conclusões: 1-Nosso estudo revelou pela primeira vez a ocorrência de doença de Chagas, forma indeterminada, em uma população ameríndia Terena da aldeia de Limão Verde, uma área endêmica de fogo selvagem; 2-Nenhum doente de fogo selvagem da reserva indígena Terena de Limão Verde, Aquidauana (MS) apresentou reatividade contra o Trypanosoma cruzi; 3-A resposta antidesmogleína 1 nos doentes de fogo selvagem foi encontrada em 37,5% (15/40) dos pacientes. Auto-anticorpos anti-desmogleína 1 nos indivíduos sadios (sem fogo selvagem) foram encontrados em 22% (33/150) dos casos. 4-Não houve concomitância de doença de Chagas e fogo selvagem na amostra populacional estudada de Limão Verde
Título em inglês
Evaluation of immunoreactivity against desmoglein 1 and Trypanosoma cruzi in population from endemic area for pemphigus foliaceus
Palavras-chave em inglês
Auto-antibodies
Autoimmunity
Chagas disease
Desmogleins
Pemphigus
Trypanosoma cruzi
Resumo em inglês
Introduction: Endemic pemphigus foliaceus (EPF) or Fogo Selvagem (FS) is an autoimmune blistering disorder with pathogenic IgG autoantibodies, mainly of the IgG4 subclass, that recognize desmoglein 1 (Dsg1), a desmossomal glycoprotein that plays a role in epidermal cell adhesion. Autoantibodies binding to specific domains of Dsg1 lead to acantholysis through different mechanisms, such as intracellular molecular signaling and steric hindrance. Etiopathogenesis of FS is multifactorial, with the interaction of immunological, genetic and environmental factors. In certain settlements of Brazil, a high prevalence of FS (3%) is reported, suggesting an important role for environmental factors as triggers of the autoimmune response. Healthy individuals from endemic areas recognize non-pathogenic epitopes of Dsg1, and exposure to hematophagous insects is a risk factor for FS. Interestingly, FS and Chagas disease share some geographic sites, and anti- Dsg1 has been detected in Chagas patients. In the Terena reservation of Limao Verde, where FS prevalence is high, the population is prone to insect bites (Simulium, Cimex and Triatoma). Those insects may play a role as disease vectors or exert modulation of the autoimmune process in FS. Aims: Our study aimed: 1-To evaluate the frequency of antibodies anti- Trypanosoma cruzi in FS patients and in a healthy population living in a highrisk area for FS, a native Brazilian reservation of Limão Verde, Mato Grosso, Brazil; 2-.To analyze the concomitant reactivity against Dsg1 and T. cruzi in a high-risk population for FS. Methods: We performed ELISA (enzyme linked immunosorbent assay) for Dsg1 and T. cruzi in forty FS patients and 150 healthy individuals living in the Terena reservation. All sera were also analyzed by indirect immunofluorescence (IIF) for Chagas disease. In those seropositive reactions for T. cruzi, TESA (trypomastigoste extracted/secreted antigens) immunoblotting was performed as a confirmatory test for Chagas disease. Results: Indeterminate Chagas disease was identified utilizing ELISA, IIF and TESA-BLOT for T. cruzi in five non-FS individuals from Limão Verde. In counterpart, none of the FS patients living in the same geographic region showed reactivity against Trypanosoma cruzi. Anti-Dsg1 antibodies were present in 15 out of 40 FS sera and in 33 out of 150 sera from healthy individuals from endemic FS site. No cross-reactivity between Chagas disease and FS was observed. Conclusions: 1- Our study revealed, for the first time, the occurrence of indetermined Chagas disease in an Amerindian Terena population of Limão Verde, Aquidauana, an endemic area of Fogo Selvagem; 2-None of the FS patients from the present endemic focus of Limao Verde, Aquidauana (MS) showed reactivity against Trypanosoma cruzi; 3-The anti-Dsg1 response in FS patients of this focus was detected in 37.5% (15/40) of the patients. In non-FS controls, autoantibodies anti-Dsg 1 were detected in 22% (33/150) of the sera; 4-There was no concomitance of Chagas disease and fogo selvagem in the analyzed population of Limão Verde
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-11-27
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • SOUSA, J. X., et al. Profile of Trypanosoma cruzi Reactivity in a Population at High Risk for Endemic Pemphigus Foliaceus (Fogo Selvagem) [doi:10.4269/ajtmh.2012.12-0206]. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene [online], 2012, vol. 87, n. 4, p. 675-680.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.