• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2013.tde-20052013-113004
Documento
Autor
Nome completo
Claudia da Silva Fragata
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Ianni, Barbara Maria (Presidente)
Costa, Fernando Augusto Alves da
Azeka, Estela
Matsubara, Beatriz Bojikiam
Vasconcelos, José Tarcísio Medeiros de
Título em português
Função atrial na miocardiopatia chagásica crônica
Palavras-chave em português
Disfunção ventricular esquerda
Doença de Chagas
Função atrial esquerda
Função diastólica ventrícular
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A doença de Chagas tem patogênese não totalmente conhecida. Ao contrário das funções sistólica e diastólica do ventrículo esquerdo, a função do átrio esquerdo carece de informações. OBJETIVOS: Em portadores de doença de Chagas, com ou sem alterações eletrocardiográficas, com ou sem disfunção sistólica de ventrículo esquerdo, verificar se há diferença nos parâmetros de função atrial esquerda e se há correlação entre dados de função de átrio esquerdo e parâmetros ecodopplercardiográficos de função ventricular sistólica e diastólica de ventrículo esquerdo MÉTODOS: 85 indivíduos: 10 controles (GC), 26 na forma indeterminada (GI), 30 com alterações eletrocardiográficas somente (GII) e 19 com disfunção ventricular (GIII), submetidos a ecocardiograma para avaliação da função atrial e das funções sistólicas e diastólicas ventriculares. Para analise estatística foi utilizado teste de Kruskal-Wallis e o coeficiente de Spearman. RESULTADOS: Função de reservatório (FET: fração de esvaziamento total): Houve diferença entre os grupos (p < 0,0001), média menor no GIII comparado ao GC (p = 0,003), ao GI (p < 0,001) e GII (p < 0,001), sem diferença entre GC, GI e GII. Fluxo de veias pulmonares: na onda S houve diferença entre os grupos (p = 0,003), média menor no GIII comparada ao GC (p = 0,01). Função de conduto (FEP: fração de esvaziamento passivo): houve diferença entre os grupos (p = 0,004), média menor no GIII, sem significância estatística comparando entre os grupos (GIII e GC, p = 0,06, GI e GII, p = 0,06, e GII e GIII, p = 0,07). Função de bomba propulsora (FEA: fração de esvaziamento ativo): houve diferença entre os grupos (p = 0,0001), média menor no GIII comparado ao GC (p = 0,05), ao GI (p < 0,0001) e ao GII (p = 0,002). Correlações: E/e'média e FET: fraca correlação negativa (r = - 0,263; p = 0,02), moderada correlação negativa no GIII (r = - 0,58; p = 0,02). E/e'média e FEP: não houve correlação (r = - 0,09; p = 0,44). E/e'média e FEA: moderada correlação negativa (r = -0,36; p = 0,002) e no GIII (r = - 0,57; p = 0,04). e'média e FET: moderada correlação positiva (r = 0,53; p < 0,0001). e'média e FEP: moderada correlação positiva (r = 0,49; p < 0,0001). e'média e FEA: moderada correlação positiva (r = 0,39; p = 0,001). Fração de ejeção do VE e FET: moderada correlação positiva (r = 0,35; p = 0,003) e no GIII (r = 0,52; p = 0,04). Fração de ejeção do VE e FEP: moderada correlação positiva (r = 0,42; p < 0,0001). Fração de ejeção do VE e FEA: moderada correlação positiva (r = 0,35; p = 0,003). CONCLUSÕES: Em pacientes com miocardiopatia chagásica com disfunção sistólica de ventrículo esquerdo, houve comprometimento das funções de reservatório, de conduto e bomba propulsora do átrio esquerdo e aqueles com função sistólica normal não apresentaram alterações nessas funções
Título em inglês
Evaluation of atrial function in patients with chronic chagasic cardiomyopathy
Palavras-chave em inglês
Atrial function left
Chagas' disease
Ventricular diastolic function
Ventricular systolic function left
Resumo em inglês
BACKGROUND: Chagas disease (CD) pathogenesis is not fully known. Unlike the systolic and diastolic function of the left ventricle, the left atrial function still lacks information. OBJECTIVES: The aim of this study was to observe differences in patients with CD regarding the parameters of left atrial function and correlate them with Doppler echocardiographic parameters CASUISTIC AND METHODS: 85 subjects: 10 controls (GC), 26 in the indeterminate form (GI), 30 with ECG changes and normal left systolic function (GII) and 19 with left ventricular dysfunction (GIII) underwent echocardiography to assess left atrial and ventricular systolic and diastolic functions RESULTS: Reservoir function (TEF: total emptying fraction): there was a difference between groups (p <0.0001), lower mean in GIII compared to CG (p = 0.003), GI (p <0.001) and GII (p <0.001) with no difference between GC, GI and GII. Pulmonary veins flow: the S wave was no difference between groups (p = 0.003), lower mean in GIII compared to the CG (p = 0.01). Conduit function (PEF: passive emptying fraction): there was a difference between groups (p = 0.004), lower mean in GIII, without statistical significance between groups (GIII and GC, p = 0.06, GI and GII, p = 0.06, and GII and GIII, p = 0.07). Pump function (AEF: active emptying fraction): there was a difference between groups (p = 0.0001), lower mean in GIII compared to CG (p = 0.05), GI (p <0.0001) and GII (p = 0.002). Correlations: E/e'mean and TEF: weak negative correlation (r = - 0.263, p = 0.02), moderate negative correlation in GIII (r = - 0.58, p = 0.02). E/e'mean and PEF: no correlation (r = - 0.09, p = 0.44). E/e'mean and AEF: moderate negative correlation (r = -0.36, p = 0.002) and GIII (r = - 0.57, p = 0.04). e'mean and TEF: moderate positive correlation (r = 0.53, p <0.0001). e'mean and PEF: moderate positive correlation (r = 0.49, p <0.0001). e'mean and AEF: moderate positive correlation (r = 0.39, p = 0.001). LV ejection fraction and TEF: moderate positive correlation (r = 0.35, p = 0.003) and GIII (r = 0.52, p = 0.04). LV ejection fraction and PEF: moderate positive correlation (r = 0.42, p <0.0001). LV ejection fraction and AEF: moderate positive correlation (r = 0.35, p = 0.003). CONCLUSIONS: In patients with Chagas' cardiomyopathy with left ventricular systolic dysfunction, there was impairment of the functions of reservoirs, conduit and pump of the left atrium
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-05-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.