• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Fabio Ferreira de Jesus
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Sawaya, Sandra Maria (Presidente)
Checchia, Ana Karina Amorim
Neves, Edna Rosa Correia
Título em português
Heróis de brincadeira: o imaginário insurrecional dos jovens na experiência de ocupações secundaristas nos anos 2015 e 2016
Palavras-chave em português
Jovens
Movimento social
Ocupações secundaristas
Reorganização escolar
Resumo em português
A partir de uma perspectiva crítica em Psicologia nas suas interfaces com a Educação, nosso objetivo foi buscar desvelar os possíveis sentidos das ideias, avaliações, e intenções do gesto insurrecional estudantil dos jovens que promoveram o Movimento político de Ocupações Secundaristas em 2015 e 2016; a partir de suas falas, depoimentos e entrevistas individuais, e coletivas via grupos focais, colhidas no contexto de quatro escolas que viveram essa experiência política, buscamos apreender o sujeito como a construção histórica de suas subjetividades, e as suas vozes como a apropriação particularista dessa construção histórica. As análises dos seus depoimentos, falas e entrevistas, nos permitiram perceber o gesto político dos jovens como uma recusa da Política que visava uma Reorganização Escolar proposta pelo Governo Estadual paulista em 2015, e, mais que isso, de que modo esse Movimento significou um exercício de construção da criticidade dos jovens, o que se nos mostrou posto em seu gesto insurgente, que foi, no fundo, como pudemos perceber, contra os pressupostos inerentes à proposta estatal. Outrossim, esse percurso nos revelou um interessante e dinâmico retrato social das mudanças que vêm ocorrendo na percepção social e política desses jovens. Para isso, rememoramos a história das Ocupações nos referidos anos; ouvimos os atores sociais e particularmente a staff política que buscavam implementar a Política de Reorganização Escolar; e os atores sociais contrários à Política, entre eles, pais, mães, professores, e, especialmente, os estudantes insurretos.
Título em inglês
Heroes of play: the insurrectionary imagination of young people in the experience of secondary occupations in 2015 and 2016
Palavras-chave em inglês
School reorganization
Secondary occupations
Social movement
Youth
Resumo em inglês
From a critical perspective in Psychology in its interfaces with Education, our objective was to seek to unveil the possible meanings of the ideas, evaluations, and intentions of the student insurrectional gesture of the young people who promoted the Political Movement of Secondary Occupations in 2015 and 2016; from their speeches, statement, individual interviews, and collective interviews via focus groups, collected in the context of four schools that lived this political experience, we sought to apprehend the subject as the historical construction of their subjectivities, and their voices as the particularist appropriation of this historical construction. The analysis of their statements, speeches and interviews allowed us to perceive the political gesture of the young people as a refusal of the Politics that aimed at a School Reorganization proposed by the State Government of São Paulo in 2015 and, more than that, in what way this Movement meant an exercise of construction of the criticality of the young, which was shown to us in their insurgent gesture, which was, as we have seen, against the assumptions inherent in the state proposal. Moreover, this course has revealed to us an interesting and dynamic social picture of the changes that have been occurring in the social and political perception of these young people. For this, we recall the history of the Occupations in those years; we heard the social actors - and particularly the political staff - who sought to implement the School Reorganization Policy; and social actors opposed to politics, including parents, mothers, teachers, and especially insurgent students.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-10-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.