• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.48.2020.tde-11122019-154121
Documento
Autor
Nome completo
Ronnie de Almeida Alves da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Saura, Soraia Chung (Presidente)
Umeda, Guilherme Mirage
Willms, Elni Elisa
Título em português
Viola caipira e seus ponteios no imaginário popular
Palavras-chave em português
Cultura tradicional
Fenomenologia da imagem
Imaginário
Resistência cultural
Viola caipira
Resumo em português
A viola caipira chegou ao Brasil há mais de cinco séculos. A feitura do instrumento permeou os tempos em multiplicidade, assumiu brasilidade por meio do corpo nativo que, imaginando, desafiou-se nas formas materiais, expressando-se em gestos e desaguando em sons. A experiência estética do tocar e suas transcendências geram questões: quais seriam os motivadores das práticas violeiras? Como se dá a relação corpo instrumental? Sabendo que a prática da viola resistiu ao decorrer dos séculos nas mãos caipiras, quais as contribuições que a cultura iletrada teria para a estirpe escolar? No presente trabalho, objetivei, de forma filosófica e hermenêutica, abordar essas questões. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que utilizou entrevistas semiestruturadas, observações em campo e inserções do próprio pesquisador na prática da viola como vias metodológicas. Dentre essas adições, as principais foram as aulas de viola e os trabalhos realizados junto ao grupo tradicional de Folia de Reis Mensageiros do Santos Reis, em giro cultural pelos municípios de Cotia - SP, Nazaré Paulista - SP e Itapevi - SP. Para a interpretação dos materiais coletados, destaco a fenomenologia da imagem bachelardiana, que persegue imagens devaneantes ancoradas no nosso ser. As recorrências fornecem subsídios para a análise dos processos simbólicos e do imaginário individual, o qual reverbera o coletivo mais amplo. A transmissão de conhecimentos da viola caipira é calcada na experiência, no afeto, no fazer-junto, tendo por bases a corporalidade que nos atravessa. Depreende-se das observações de campo e dos discursos dos entrevistados que o imaginário da viola caipira, por meio do seu aprendizado técnico, desperta um imaginário social mais amplo. Para além do aprendizado instrumental da viola caipira em si, esse se reflete sobre a cultura caipira, o homem do campo, as relações com a cidade e a cultura do interior.
Título em inglês
Viola caipira and its ponteios in the popular imaginary
Palavras-chave em inglês
Cultural resistence
Image phenomenology
Imaginary
Traditional culture
Viola caipira
Resumo em inglês
The viola caipira arrived in Brazil over 5 centuries ago. The instrument making has permeated time in multiple ways, assuming the native Brazilian lifestyle, which challenged material shapes, expressed itself through gestures, and flew into sounds. The aesthetic experience of playing the instrument, and its transcendence, may raise some questions: What are the motivations for playing the viola caipira? How does the instrumental body relation happen? Knowing that viola caipira practice has resisted over the centuries in countrified hands, what are the illiterate culture contributions to the academy? The present study aims to approach these questions from a philosophical and a hermeneutical perspective. This qualitative research has used the following methods: semi-structured interviews, field observation, and the researchers own viola caipira practice. His experience includes viola caipira classes, and other performing with a traditional Folia de Reis group, called Mensageiros do Santos Reis, during a cultural tour to the cities of Cotia, Nazaré Paulista and Itapevi, all of them in the State of São Paulo. The data gathered has been analyzed using Bachelard idea of phenomenology, which pursues daydreaming images that are anchored in our being. The recurrences provide support for the symbolic processes and the individual imaginary analysis, which reverberate the larger collective. The viola caipira knowledge transmission is based on experience, affection, and doing together, which is based on the corporality that crosses us. We may deduce from the field observations and the interviewees speeches that the viola caipira imaginary, through its practice, awakens a broader social imaginary. In addition to the instrument practice, the learning itself reflects on the countrified culture, the countrymen, the relationship with the city, and the countryside culture.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ANEXOS.zip (50.29 Mbytes)
Data de Publicação
2020-01-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.