• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Marcio Antonio Tralci Filho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Santos, Alessandro de Oliveira dos (Presidente)
Cillo, Eduardo Neves Pedrosa Di
Faustino, Deivison Mendes
Santos, Gislene Aparecida dos
Schucman, Lia Vainer
Smith, Christen Anne
Título em português
"Atleta negro, psicólogo branco": racialização e esporte na visão de profissionais de psicologia
Palavras-chave em português
Colonialismo
Corporeidade
Esporte
Psicologia do esporte
Racismo
Resumo em português
Essa tese é um dos resultados possíveis provenientes da lacuna acadêmica referente à intersecção de três campos: o esporte, a psicologia e as relações raciais. A articulação entre eles se dá a partir de seu objetivo: analisar o processo de racialização no contexto esportivo a partir das narrativas de profissionais de psicologia. Os conceitos de raça, racialização, racismo, supremacia branca e branquitude são apresentados e contextualizados, uma vez que foram importantes para a construção do texto. No seu escopo teórico, a tese faz uma apresentação e aprofundamento da discussão a respeito do esporte moderno, porém, diferentemente da literatura consagrada do campo esportivo, há um enfoque no papel dessa instituição na consolidação da supremacia branca no contexto do colonialismo europeu a partir do século XIX. Em seguida, é elaborada uma revisão de literatura sobre os estudos das relações raciais e o esporte, bem como da contribuição da psicologia no tema. Por fim, um panorama histórico brasileiro sobre a psicologia do esporte e as relações raciais é apresentado, apontando para os problemas enfrentados pela área ao se propor um trabalho antirracista. Já o campo empírico é composto por oito entrevistas semiestruturadas realizadas com quatro psicólogos e quatro psicólogas que trabalharam em algum momento de suas carreiras no esporte. O conteúdo delas é analisado a partir do referencial teórico da Teoria Crítica de Raça. Dessa análise de conteúdo resultaram três narrativas sobre racialização e esporte: as que se amparam em um essencialismo biológico, outras que naturalizam as desigualdades sociais e raciais e ainda aquelas que apresentam visões críticas às hierarquias raciais. Além disso, foi realizada uma análise das narrativas sobre a atuação profissional em psicologia do esporte e seu papel diante do racismo, questionando se é possível pensar em uma psicologia do esporte antirracista
Título em inglês
"Black athlete, white psychologist": racialization and sport in the view of psychology professionals
Palavras-chave em inglês
Colonialism
Corporeity
Racism
Sport
Sport psychology
Resumo em inglês
This thesis is one of the possible results from the academic gap regarding the intersection of three fields: sport, psychology and race relations. The articulation between them takes place from its objective: to analyze the process of racialization in the sporting context from the narratives of professionals of psychology. The concepts of race, racialization, racism, white supremacy and whiteness are presented and contextualized, since they were important for the construction of the text. In its theoretical scope, the thesis presents and deepens the discussion about modern sport, but unlike the established literature of the sports field, there is a focus on the role of this institution in the consolidation of white supremacy in the context of European colonialism from the XIX century. Next, it is elaborated a literature review on the study of racial relations and sport, as well as the contribution of psychology on the subject. Finally, there is a Brazilian historical panorama on the psychology of sport and race relations, pointing to the problems faced by the area when proposing an antiracist work. The empirical field is composed of eight semi-structured interviews with psychologists (four women and four men) who worked at some point in their careers in sports. Their content is analyzed from the theoretical framework of Critical Race Theory. This analysis of content resulted in three narratives about racialization and sport: those that rely on a biological essentialism, others that naturalize social and racial inequalities and those that present critical views of racial hierarchies. In addition, an analysis of the narratives about the work in sport psychology and its role in the face of racism was carried out, questioning whether it is possible to think of an antiracist sport psychology
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
tralci_corrigida.pdf (5.33 Mbytes)
Data de Publicação
2019-09-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.