• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
https://doi.org/10.11606/D.47.2021.tde-13092021-142753
Documento
Autor
Nombre completo
Andressa Carvalho Castelli
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2021
Director
Tribunal
Rosa, Miriam Debieux (Presidente)
Belo, Fabio Roberto Rodrigues
Dantas, Benedito Medrado
Título en portugués
Abjeção e migração: deslocamentos clínicos do enigma do dejeto às autorizações do desejo
Palabras clave en portugués
Abjeção
Imigração
Psicanálise
Resumen en portugués
No campo dos estudos em psicanálise e política, esse trabalho é uma investigação a respeito dos efeitos psíquicos da abjeção sobre os sujeitos migrantes, fenômeno que os tornam ininteligíveis do ponto de vista da sua condição desejante. Partindo dos pressupostos de uma psicanálise implicada em escutar o sofrimento sócio-político e seus efeitos sobre as subjetividades, contamos como nossa experiência de prática clínica na instituição Casa do Migrante, através do Grupo Veredas Psicanálise e Imigração, nos levou a reconhecer no território as práticas discursivas de uma biopolítica que, historicamente, torna os migrantes sujeitos (in)desejados. Para tanto, nos filiamos epistemologicamente à uma plurdisciplinaridade teórica, um jogo de extraterritorialidades entre saberes que dialoga com as vicissitudes de uma prática clínica extramuros, buscando reforçar o caráter migrante do próprio saber psicanalítico. Situando esse saber na apreensão do conceito de abjeção na obra Poderes do Horror: ensaio sobre Luís Ferdinand Céline, de Kristeva, através do seu estudo e a partir de levantamento bibliográfico sobre outras teorias da abjeção, somos deslocados a um outro questionamento, que interroga as possibilidades mesmas de pensar a abjeção enquanto um efeito. No cerne dessa discussão, debate-se a remissão dessa teoria da abjeção a uma topologia e uma compreensão de enigma exclusivos, que parecem desconsiderar o papel da contingência e do sofrimento sócio-político. Após a apresentação dessa discussão, em que propomos esforços e deslocamentos clínicos em direção a uma teoria clínica crítica da abjeção, articulando a posição social de reconhecimento do migrante ao seu desejo, suas posições no laço social, refletimos sobre o que a própria prática clínica pode informar e deslocar a respeito do fenômeno da abjeção. Produzimos narrativas sobre as expriências clínicas através de diário bordo, sofisticando-as posteiriormente na composição de uma vinheta clínica na qual se produziu uma análise que leva em consideração a marca do caso e linhas narrativas que nos levaram a pensar os efeitos psíquicos da abjeção e os deslocamentos em torno desse conceito, problematizando os fatos clínicos da transferência, da repetição e do reconhecimento. Por fim, baseados nos deslocamentos desse percurso, relançamos os desafios que persistem em torno desses debates que fazem da abjeção essa vereda inescapável e difícil em psicanálise
Título en inglés
Abjection and immigration: clinical displacements from the enigma of dejection to the authorizations of desire
Palabras clave en inglés
Abjection
Immigration
Psychoanalysis
Resumen en inglés
In the field of studies in psychoanalysis and politics, this work is an investigation into the psychic effects of abjection on migrant subjects, which make them intelligible from the point of view of their desiring condition. Starting from the assumptions of a psychoanalysis involved in listening to socio-political suffering and its effects on subjectivities, we tell how our experience of clinical practice at Casa do Migrante, through the Veredas Group - Psychoanalysis and Immigration, led us to recognize in the territory as discursive practices of a biopolitics that, historically, make migrants subject (un) desired. For this purpose, we are epistemologically affiliated to a theoretical multidisciplinarity, a dynamic of extraterritorialities between knowledge that dialogues with the vicissitudes of a psychoanalysis outside the clinics, seeking to reinforce the migrant character of psychoanalysis itself. Situating this knowledge in the apprehension of the concept of abjection in the work Powers of Horror: essay on Luís Ferdinand Céline, by Kristeva, through the study and from a bibliographic survey on other theories of abjection, we are moved to another questioning, which questions the possible idem to think of abjection as an "effect". At the heart of this discussion, the debate is whether referring this theory of abjection to a topology and an understanding of an exclusive enigma, which seems to disregard the role of contingency and socio-political suffering. After presenting this discussion, in which we propose clinical efforts and moves towards a critical clinical theory of abjection, articulating the social position of recognition of migrants to their desire, their positions in the social bond, we reflect on what clinical practice itself can inform and disclose about the abjection phenomenon. We produce narratives about clinical experiences through a diary, later refining them in the composition of a clinical vignette in which an analysis was carried out that takes into account the brand of the case and narrative lines that led us to think about the psychic effects of abjection and displacements. around this concept, problematizing the clinical facts of transference, repetition and recognition. Finally, based on the displacements of this path, we relaunch the challenges that persist around these debates that make abjection this inescapable and difficult path in psychoanalysis
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2021-09-14
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2021. Todos los derechos reservados.