• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Aline Redressa Boni Rayis Lovo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Clemente, Claudia Kami Bastos Oshiro (Presidente)
Hartmann, Alessandra Villas Bôas
Souza, Liane Dahás Jorge de
Título em português
Psicoterapia analítica funcional como tratamento de transtorno de ansiedade social
Palavras-chave em português
Delineamento experimental de caso único
Linha de base múltipla
Processos de mudanças clínicas
Psicoterapia analítica funcional
Transtorno de ansiedade social
Resumo em português
Os Transtornos de Ansiedade são os diagnósticos clínicos que mais frequentemente aparecem em nossa sociedade. Dentre eles, o Transtorno de Ansiedade Social (TAS) é o mais comum e foi o objeto de estudo deste trabalho. O TAS acomete indivíduos desde a sua infância e compromete uma série de atividades sociais, acadêmicas e profissionais, dificultando o estabelecimento de relações interpessoais. O tratamento mais comumente utilizado é a Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) aliada ao uso de fármacos, com técnicas de exposição enquanto estratégia principal e que, de acordo com estudos, revelam um índice de evasão da terapia, bem como dificuldade de implementação pelo terapeuta e aumento dos sintomas de ansiedade, devido ao caráter aversivo que a exposição pode ocasionar. Estudos em Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) apontaram resultados positivos da FAP para alguns transtornos de ansiedade e levantaram a hipótese de que essa intervenção seria um bom manejo para indivíduos com TAS, uma vez que não foram encontradas pesquisas que avaliassem a FAP enquanto tratamento para a ansiedade social até a finalização deste trabalho. Considerando que indivíduos com TAS tendem a apresentar comportamentos de esquiva de situações que possam ocasionar julgamentos e avaliações negativas e, portanto, dificultar o estabelecimento de vínculos, e que a FAP tem como princípio proporcionar mudanças através da relação terapêutica, o objetivo do presente estudo foi avaliar a eficácia da FAP enquanto tratamento para indivíduos com TAS e analisar os processos de mudança clínica envolvidos na utilização da FAP. A metodologia foi o delineamento experimental de caso único de linha de base múltipla. Os participantes foram uma terapeuta/pesquisadora, três clientes adultos e três aferidores de concordância. A intervenção ocorreu com a introdução da variável independente (FAP) em momentos distintos para cada participante, de acordo com as fases do experimento: linha de base (Fase A) e introdução da FAP (Fase B). Uma sessão de seguimento foi realizada um mês após o término da psicoterapia para cada participante. Foram transcritas e categorizadas cinco sessões de cada fase para cada participante, com o uso do Sistema de Categorização da Psicoterapia Analítica Funcional (FAPRS), buscando encontrar os processos envolvidos nas mudanças clínicas, com ênfase na relação terapêutica. As melhoras dos clientes foram avaliadas e analisadas por meio dos seguintes instrumentos: Outcome Questionnaire (OQ-45), Beck Depression Inventory (BDI), Liebowitz Social Anxiety Scale (LSAS) e Social Phobia Inventory (SPIN). Os resultados apontaram que após a introdução da FAP os comportamentos clinicamente relevantes do tipo problema (CRB1) diminuíram consideravelmente e os comportamentos clinicamente relevantes de melhora (CRB2) aumentaram drasticamente. Os outros instrumentos não apresentaram resultados significativos em relação ao uso da FAP. Assim, este estudo pontua a eficácia da FAP para o tratamento de indivíduos com TAS, bem como do delineamento de linha de base múltipla em pesquisas de prática clínica
Título em inglês
Functional analytical psychotherapy as a treatment of social anxiety disorder
Palavras-chave em inglês
Clinical change processes
Functional analytical psychotherapy
Multiple baseline
Single-case experimental design
Social anxiety disorder
Resumo em inglês
Anxiety Disorders are the clinical diagnoses that most appear in our society. Among them, Social Anxiety Disorder (SAD) is the most common and it was the object of study of this research. SAD affects individuals from their infancy and compromises a series of social, academic and professional activities, making it difficult to establish interpersonal relationships. The most commonly used treatment is Cognitive Behavioral Therapy (CBT), allied to the use of drugs, with exposure strategies as the main strategy and which, according to studies, reveal an evasion rate of the therapy, as well as difficulty of implementation by the therapist and increased anxiety symptoms due to the aversive character that the exposure may cause. Studies in Functional Analytical Psychotherapy (FAP) pointed out positive results from FAP for some anxiety disorders and hypothesized that this intervention would be a good management for individuals with SAD, since no research was found to evaluate FAP as a treatment for social anxiety until the end of this work. Considering that individuals with SAD tend to present behaviors that evade situations that may lead to negative judgments and assessments, and thus make it difficult to establish links, and that the FAP has as principle to provide changes through the therapeutic relationship, the objective of the present study was to evaluate the efficacy of FAP as a treatment for individuals with SAD and to analyze the clinical change processes involved in the use of FAP. The methodology was the experimental design of a single multiple baseline case. Participants included a therapist / researcher, three adult clients, and three concordance checkers. The intervention occurred with the introduction of the independent variable (FAP) at different times for each participant, according to the phases of the experiment: baseline (Phase A) and introduction of FAP (Phase B). A follow-up session was held one month after the end of the psychotherapy for each participant. Five sessions of each phase were transcribed and categorized for each participant, using the Categorization System of Functional Analytical Psychotherapy (FAPRS), seeking to find the processes involved in clinical changes, with emphasis on the therapeutic relationship. Clients improvements were evaluated and analyzed using the following instruments: Outcome Questionnaire (OQ-45), Beck Depression Inventory (BDI), Liebowitz Social Anxiety Scale (LSAS) and Social Phobia Inventory (SPIN). The results showed that after the introduction of FAP, clinically relevant behaviors of the problem type (CRB1) decreased considerably and clinically relevant behaviors of improvement (CRB2) increased dramatically. The other instruments did not present significant results regarding the use of FAP. Thus, this study scores the efficacy of FAP for the treatment of individuals with SAD as well as multiple baseline delineation in clinical practice research
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
lovo_me.pdf (1.76 Mbytes)
Data de Publicação
2019-11-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.