• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2012.tde-05122012-120418
Documento
Autor
Nome completo
Marina de Andrade Vahle
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Kupermann, Daniel (Presidente)
Cunha, Eduardo Leal
Figueiredo, Luiz Claudio Mendonca
Título em português
O trauma na obra de Freud: ramificações conceituais e consequências clínicas
Palavras-chave em português
Casos Clínicos de Freud
Clínica
Constelação traumática
Fantasia
Sigmund Freud (1856-1939)
Trauma
Resumo em português
Nossa proposta consiste em realizar uma investigação teórica em torno do conceito de trauma na obra freudiana, assim como das problemáticas a que responde. Objetivamos pesquisar se a teoria do trauma teria de fato desaparecido no período situado entre o abandono da teoria da sedução e os construtos de 1920, como defendem alguns autores na literatura psicanalítica. Nossa hipótese é que a noção de trauma teria continuado a sustentar a teoria freudiana do sofrimento psíquico, não só por meio de aparições esporádicas do conceito nesse período, mas também, implicitamente, por meio das problemáticas a ele relacionadas como a da etiologia das neuroses e dos grandes casos clínicos de Freud: Dora, Homem dos Ratos e Homem dos Lobos. Assim, primeiramente rastreamos a noção de trauma e suas ramificações ao longo da obra e, em seguida, fizemos um estudo desses três casos clínicos, em busca de possíveis configurações traumáticas na história de seus protagonistas. Chegamos ao entendimento de que Freud não trata sempre do mesmo tipo de trauma ao longo dos seus escritos: o termo se mantém, mas com acepções diferentes. Haveria, assim, subtipos do trauma implícitos no discurso freudiano trauma por efração, trauma como falta de mediação entre fantasia e realidade e, ainda, pistas para se pensar um trauma como falha narcísica. A partir desses subtipos, abordamos as consequências clínicas da releitura desse conceito, do ponto de vista do diagnóstico diferencial. Em seguida, apontamos como o aspecto eminentemente econômico que permeia a categoria de trauma influiu na visão de Freud sobre os dispositivos utilizados pelo analista na clínica. Acompanhar as ramificações, assim como o alcance clínico da noção de trauma, consiste em uma tarefa que pode nos oferecer ferramentas teóricas para compreensão dos tipos de constelações traumáticas subjacentes aos sofrimentos intoleráveis daqueles que procuram a clínica psicanalítica
Título em inglês
The trauma in Freuds work: conceptual ramifications and clinical consequences
Palavras-chave em inglês
Clinic
Fantasy
Freud
Freuds clinical cases
Trauma
Traumatic constellations
Resumo em inglês
Our proposal is to perform a theoretical investigation regarding the concept of trauma in Freuds work, as well as the set of problems it responds to. We aimed to research if the theory of trauma would have in fact disappeared in the period between the abandon of the seduction theory and the constructs of 1920, as defended by some authors in the psychoanalytic literature. Our hypothesis is that the notion of trauma would have continued to sustain the Freudian theory of psychic suffering, not only through sporadic appearances of this concept during this period, but also, implicitly, by means of the set of problems related to it as the etiology of neurosis and of the major clinical cases of Freud: Dora, Rat Man and Wolf Man. Thus, primarily we searched for the notion of trauma and its ramifications throughout the wok and, afterwards, we performed a study of these three clinical cases, looking up for possible traumatic configurations in the history of their protagonists. We came to the understanding that Freud does not always treat the same kind of trauma throughout his writings: the term remains, but with different meanings. There would be, therefore, implicit subtypes of trauma in the Freudian discourse trauma by rupture, trauma as lack of mediation between fantasy and reality and, yet, clues to think of a trauma as a narcissistic fault. From these subtypes, we approached the clinical consequences of the reinterpretation of this concept, from the differential diagnosis viewpoint. Next, we pointed out how the eminently economic aspect that permeates the category of trauma influenced in Freuds view about the devices used by the analyst in the clinic. Following the ramifications, as well as the clinical scope of the notion of trauma, consists in a task that may offer us theoretical tools for the understanding of the types of traumatic constellations underlying the intolerable suffering of those who look for the psychoanalytic clinic
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
vahle_me.pdf (538.21 Kbytes)
Data de Publicação
2012-12-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.