• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.47.2017.tde-04092017-155404
Documento
Autor
Nombre completo
Aline Closel Carvalho Mussi
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2017
Director
Tribunal
Tardivo, Leila Salomao de La Plata Cury (Presidente)
Odone Filho, Vicente
Rodrigues, Elisa Maria Parahyba Campos
Silva, Maria Cecilia de Vilhena Moraes
Título en portugués
A criança e o câncer: expressões emocionais envolvidas no processo de adoecimento
Palabras clave en portugués
Câncer em crianças
H-T-P - Desenho da casa-árvore-pessoa
Psico-oncologia pediátrica
Técnicas projetivas
Teste da pessoa na chuva
Resumen en portugués
Apesar dos avanços médicos, o câncer ainda é sinônimo de morte, o que acarreta dificuldades no enfrentamento da doença em suas diferentes fases, que começam a partir do momento do diagnóstico. Propõe-se um estudo aprofundado sobre as formas com as quais a criança com câncer lida e enfrenta a doença, bem como expressões emocionais e os recursos psicológicos presentes no processo de adoecimento. Partiu-se da hipótese de que o adoecimento por doença grave na infância acarrete prejuízos no desenvolvimento psicológico dessas crianças. A coleta de dados foi realizada em uma instituição filantrópica de apoio à criança com câncer, em um ambulatório especializado em onco-hematologia da rede pública e em uma escola pública do Estado de São Paulo. Foram avaliadas, no total, 60 crianças, sendo 30 crianças da população escolar para o grupo controle e 30 crianças do grupo clínico, com diagnósticos diversos de câncer, com idades entre 7 e 13 anos, de ambos os sexos. Foi realizada uma entrevista individual com cada criança, em que foram aplicados o H-T-P (Teste do Desenho da Casa-Árvore-Pessoa) e o Teste do Desenho da Pessoa na Chuva. Também foram considerados os familiares das crianças com câncer, totalizando a participação de 32 familiares, com os quais foi realizada uma entrevista semiestruturada. Foram utilizados o Método Quantitativo e Qualitativo para análise dos resultados, a partir da abordagem psicanalítica, em que foi feita uma comparação entre o grupo clínico e o grupo controle. Os desenhos das crianças foram analisados quantitativamente, enquanto, para os dados obtidos a partir das entrevistas semiestruturadas com os familiares, utilizou-se a análise qualitativa. Foi realizada uma comparação, por meio da análise estatística, entre as produções gráficas dos grupos controle e clínico. Os resultados revelaram, nas crianças com câncer, em comparação com as crianças sem a doença, a presença de maior desequilíbrio intra e interpessoal, pobre ou fuga do contato com a realidade, falta de recursos para obter satisfação do meio, sobrecarga emocional, instabilidade e desequilíbrio emocional e sentimentos de insegurança, impotência e viii desproteção, além de dificuldades em entrar em contato com o próprio corpo. O trabalho demonstra o impacto no desenvolvimento psicológico e os recursos presentes na criança com câncer. Conclui-se que, devido a um crescente número de sobreviventes de câncer infantil, torna-se importante pensar em formas de tratamento que preservem não só a vida e o corpo, mas também as dimensões psicológicas e sociais; desse modo, o tratamento deve visar o ser biopsicossocial, sendo necessário se pensar na qualidade de vida dessas crianças durante e após o tratamento. Essa criança sobrevivente terá ainda uma vida pela frente e essa vida tem de poder ser usufruída com menor número de sequelas e com a melhor qualidade possível. O estudo presente traz contribuições para a área científica e clínica de atuação junto às crianças com câncer e seus familiares
Título en inglés
The Child and Cancer: Emotional expressions involved in the process of becoming
Palabras clave en inglés
Cancer in children
Draw a person in the rain Technique
H-T-P- House -Tree- Person Drawing
Pediatric psycho-oncology
Projective techniques
Resumen en inglés
Despite medical advances, cancer is still synonymous with death, which causes difficulties in coping with the disease in its different phases that begin at the time of diagnosis. An in-depth study is proposed, investigating approaches employed by the child with cancer to deal and face the disease, as well as the emotional expressions and psychological resources present in the process of becoming ill. It is hypothesized that severe illness in childhood leads to losses in the psychological development of these children. Data collection was performed at a philanthropic institution in support of children with cancer, in an outpatient clinic specializing in public network onco-hematology and at a public school in the state of São Paulo. A total of 60 children were evaluated, including 30 children from the school population for the control group and 30 children with different diagnoses of cancer for the clinical group. Children were between 7 and 13 years of age, from both sexes. An individual interview was conducted with each child, in which the H-T-P (House-Tree-Person Drawing) and the Person's Drawing Test in the Rain were applied. Family members of children with cancer were also considered, totaling the participation of 32 family members, with whom a semi-structured interview was conducted. Quantitative and qualitative methods were utilized to analyze the results, based on the psychoanalytic approach, in which a comparison was made between the clinical group and the control group. The children's drawings were analyzed quantitatively, while the qualitative analysis was used to analyze the data obtained from the semi-structured interviews with the family members. The study employed statistical analyses (Chi-square and Student´s t test) to compare drawings from both groups. The results revealed the presence of greater intra and interpersonal imbalance in children with cancer, compared to children without the disease. Also, children with cancer demonstrated poor contact with reality, lack of resources to obtain environmental satisfaction, emotional overload, instability and emotional imbalance, feelings of insecurity, impotence and lack of protection, and difficulties in getting in touch with their own body. The results x demonstrate the impact of the diagnosis on the psychological development of the children with cancer. It is possible to conclude that, due to an increasing number of survivors of childhood cancer, it is important to develop new methods of treatment that preserve not only the physical aspect, but also the psychological and social domains. Therefore, treatment should aim at the biopsychosocial aspect of these children, considering quality of life pre and post-treatment and that this "survivor" child still has a whole life ahead of him/her, which should be enjoyed with as fewer sequels as possible and with the best quality possible. The present study brings contributions to the scientific literature and the clinical area, providing insights about children with cancer and their relatives
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2017-09-05
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2021. Todos los derechos reservados.