• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Mémoire de Maîtrise
DOI
10.11606/D.47.2014.tde-02062014-160149
Document
Auteur
Nom complet
Carine Valéria Mendes dos Santos
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
São Paulo, 2014
Directeur
Jury
Antúnez, Andrés Eduardo Aguirre (Président)
Berlinck, Luciana de Souza Chaui Mattos
Herzberg, Eliana
Titre en portugais
Um novo pai, novas funções? Considerações sobre a relação pai-bebê no período da dependência absoluta
Mots-clés en portugais
Bebês
Gravidez
Paternidade
Puerpério
Relações familiares
Resumé en portugais
Nas configurações familiares ao longo da história os lugares do pai, da mãe e da criança estiveram e ainda estão em constantes transformações. Durante muito tempo, o pai esteve distante dos aspectos referentes aos cuidados com os filhos e aos afazeres domésticos. A inserção do pai nesse contexto é um fenômeno atual e vem redefinindo novas formas de ser família. Em vista do surgimento de novos arranjos e funcionamentos familiares, nos quais o pai tem se permitido ser também um cuidador, foi possível pôr a relação pai-bebê em evidência. A partir de correlações entre a teoria do amadurecimento pessoal desenvolvida por Winnicott e a construção de um novo modelo de paternidade, pensou-se nas novidades trazidas por um pai mais participativo no que diz respeito às interações afetivas estabelecidas com o bebê. Esta pesquisa teve como objetivo investigar as formas de interação do pai como cuidador na provisão ambiental do bebê no período da dependência absoluta. Para tal finalidade, alguns pais foram acompanhados na maternidade do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo e em seus ambientes familiares. Através do método clínico-qualitativo, este estudo baseou seus achados nos dados construídos a partir dos seguintes instrumentos: transcrições das entrevistas pré e pós-nascimento (realizadas no último mês de gestação e no 3º mês de vida do bebê, respectivamente) e anotações em diários de campo provenientes das observações dos pais em momentos pré-natais no hospital e pós-natais em suas casas. A partir do que foi encontrado, a relação entre os pais participantes e seus respectivos bebês foi analisada no intuito de compreender: os referencias familiares anteriores provenientes das figuras parentais desses pais; a atualização e/ou transformação desses referenciais no exercício parental atual; a construção parental dos novos pais, bem como os processos de vinculação afetiva com o bebê ainda na barriga; os significados atribuídos a experiência de ser pai antes e depois do nascimento; as formas de interação entre o pai e o bebê na rotina de cuidados; a capacidade de reconhecimento das necessidades do bebê por parte dos pais; a constituição de novas funções paternas no período da dependência absoluta e a caracterização de um holding no qual os cuidados paternos estivessem incluídos. Desta forma, pôde-se discutir a construção de uma paternidade afetivamente inscrita na subjetividade do bebê desde os primeiros momentos de vida. Esta inscrição seria possibilitada pela disponibilidade dos pais em se adaptar à rotina de cuidados do bebê e estabelecer especificidades de holding ao longo das interações singulares e dos cuidados adaptados. Partindo das elaborações construídas ao final desse estudo, atentou-se para a importância de desenvolver: estudos voltados para a inserção do pai, como cuidador, em momentos iniciais do desenvolvimento infantil; para o estudo das implicações dos cuidados paternos na flexibilização de papeis e funções masculinas e femininas nas configurações familiares; assim como, para as implicações dessa flexibilização no posicionamento das instituições, voltadas para a atenção humanizada ao pré-natal e ao puerpério, perante a demanda de inclusão do pai no ciclo gravídico-puerperal
Titre en anglais
A new father, new functions? Regards on father-baby relation in absolute dependence period
Mots-clés en anglais
Babies
Family Relations
Fatherhood
Pregnancy
Puerperium
Resumé en anglais
In family settings along history, the functions assigned to the father, the mother and the child were, and still are, in constant transformation. For a long time, the father was absent when it concerned to child care and housework. His inclusion in this context is a current phenomenon and has been redefining new ways of being a family. The emergence of new family arrangements, in which the father has also be allowed to take part as a caregiver, made possible to put in evidence the father-baby relationship. Correlations between the theory of personal maturit, developed by Winnicott , and the construction of a new model of fatherhood, allowed us to think about the novelties brought by a father who participates more in affective interactions with the baby . This research aimed to investigate the forms of interaction between the father as caregiver and environmental provider and the baby in the period of absolute dependence. For this purpose, some parents were followed at the Maternity Hospital of the University of São Paulo and in their family environment. Through clinical-qualitative method this study based its findings on data constructed from the following instruments: transcriptions of pre-birth interviews and post-birth interviews (held on the last month of pregnancy and 3 month old baby, respectively) and observations recorded on field notes about parents in prenatal moments at the hospital and after the baby birth, at their homes. From what has been found, the relationship between the fathers and their respective babies was analyzed in order to understand: previous references of the fathers familiar parental figures; upgrade and/or processing of these references in the current parental exercise; the parental construction of the new fathers as well as the processes of affective bonding with the baby still in the belly; the meanings attributed to the experience of being a father before and after birth; forms of interaction between fathers and babies in daily care; the fathers ability to recognize the needs of their babies; the establishment of new fathers' functions during the period of absolute dependence and the characterization of a holding company in which father care was included . Thus, we discussed the construction of an affectively fatherhood inclusion on the baby subjectivity since the first moments of life. This entry would be made possible by the fathers availability to adapt to the baby care routine and establish holding specificities along the natural and appropriate care interactions. The results of this study showed the importance to develop studies: facing the insertion of the father in daily baby care, as a caregiver in early stages of child development; the implications of parental care in flexible roles, men and women functions in family settings; as well as the implications of flexibility in the positioning of institutions dedicated to prenatal and postpartum care in front of the demand for inclusion of fathers in pregnancy and childbirth
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
santos_me.pdf (1.90 Mbytes)
Date de Publication
2014-06-05
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
Centro de Informática de São Carlos
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2022. Tous droits réservés.