• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2013.tde-30072013-122005
Documento
Autor
Nome completo
Ana Silvia de Morais
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Lerner, Rogerio (Presidente)
Kupfer, Maria Cristina Machado
Puccini, Rosana Fiorini
Título em português
Usos e apropriações de indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil por agentes comunitários de saúde: uma experiência de formação
Palavras-chave em português
Agente Comunitário de Saúde (ACS)
Atenção Primária à Saúde
Avaliação educacional
Desenvolvimento infantil
Psicanálise
Resumo em português
INTRODUÇÃO - Este estudo exploratório apresenta e avalia uma experiência de formação de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) do município de Embu das Artes para o uso de Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil (IRDI). O IRDI é um protocolo de base psicanalítica, validado e inespecífico para diagnóstico, composto de 31 itens que sinalizam a construção da subjetividade do bebê expressa na relação com seus cuidadores. É dividido em quatro etapas do desenvolvimento do bebê: 0-4; 4 a 8; 8 a 12; e 12 a 18 meses. A ausência de dois ou mais indicadores sinaliza tendência para problemas de desenvolvimento ou risco psíquico aos três anos da criança. O IRDI resultou de uma pesquisa realizada entre 2000 e 2008, por psicanalistas do Grupo Nacional de Pesquisadores (GNP), a pedido do Ministério da Saúde. OBJETIVOS - Avaliar as influências da formação para a prática dos ACS e os obstáculos enfrentados; investigar os usos e apropriações do IRDI, situando modos de apropriação com potencial efeito de permanência. METODOLOGIA Foram realizados quatro encontros formativos e o acompanhamento do uso do protocolo pelos ACS ao longo de 2011 e início de 2012. Utilizou-se pré-teste e pós-teste, trabalhados por análise de conteúdo. Os discursos emergentes durante o uso do protocolo foram analisados em uma vertente qualitativa. RESULTADOS 1. A prática dos ACS com bebês é centrada na avaliação do crescimento e em aspectos funcionais do desenvolvimento; 2. O aspecto relacional entre mãe e bebê passou a ser valorizado no decorrer da formação; 3. Influências do protocolo para a prática foram relatadas por 72,5% dos participantes a mais citada foi o aprimoramento da observação e do conhecimento sobre o bebê e seus cuidadores. 4. O protocolo foi utilizado tanto para a detecção como para a orientação à família sobre o contato com o bebê, na perspectiva da Promoção à Saúde. 5. Os itens relativos à primeira faixa do bebê (0 a 4 meses) foram os mais lembrados espontaneamente pelos ACS. 6. Houve dificuldades no manejo com itens referentes ao eixo teórico Alternância Presença-Ausência na relação entre a criança e seu cuidador. 7. O acompanhamento particularizado dos profissionais permitiu manejar as resistências psíquicas, contribuindo para a permanência de participantes. 8. Modos de apropriação favoráveis ocorreram pelo enlaçamento entre aspectos dos indicadores e um traço particular do sujeito. CONCLUSÕES - A inserção do IRDI na Atenção Primária deve considerar um percurso de longo prazo e as particularidades de cada unidade de saúde. É pertinente trabalhar com uma equipe pequena por vez, com formação diversificada. A realização de encontros formativos regulares e acompanhamento particularizado por um profissional psicólogo nos serviços envolvidos é uma proposta que se mostra mais favorável para que seu objetivo se consolide
Título em inglês
Uses and appropriations of Clinical Risk Indicators for Child Development by Community Health Agents: an educational experience
Palavras-chave em inglês
Childhood Development
Community Health Agents (CHA)
Educational Evaluation
Primary Attention to Health
Psychoanalysis
Resumo em inglês
INTRODUCTION - Exploratory study about an experience of Community Health Agents (CHA) training in the use of Clinical Risk Indicators for Child Development (CRICD) in the town of Embu das Artes. CRICD is a psychoanalytic based protocol, validated and unspecific for diagnosis, composed by 31 items that indicate the occurrence of the construction of the babys subjectivity, expressed in the relation with its caregivers. It is divided in four stages of the babys development: 0 to 4 months; 4 to 8; 8 to 12; and 12 to 18. The absence of two or more indicators signalizes a tendency to developmental problems or psychic risk at the childs age of three. CRICD has resulted from a research carried out between 2000 and 2008 by a group of psychoanalysts named National Group of Research (NGR), by request of the Health Ministry. METHODS - To the realization of this research, four formative encounters were made, plus the follow-up of the use of the protocol in service throughout 2011 and beginning of 2012. The articulation of Public Health and Psychoanalysis has suggested a methodological approach with distinct boundaries. We assessed the influences of the CHAs practical training and the obstacles faced. The uses and appropriations of the CRICD were investigated, placing modes of appropriation with potential effect of permanence. Pre-test and post-test were used for content analysis. The discourses that emerged during the use of the protocol were selected and analyzed according to the qualitative perspective. RESULTS 1.The CHAs practices with babies are centered in growth assessment and in functional aspects of development. 2. The relational aspects became more evident during the training. Among the participants, 3. 72.5% have reported influences of the protocol in their practices, specially the improvement of observation and knowledge of the baby and its caregivers. 4. The CRICD was used to detection as well as to guidance for the families about contact with the baby, in the Promotion of Health perspective. 5. The items of the first group were the most recollected by the CHA. 6. Among the difficulties, we emphasize the handling of the items that refer to the theoretical axe of Alternation Presence-Absence in the relation between the child and its caregiver. 7. The particularized follow-up of the professionals allowed us to handle the psychic resistances, contributing to the permanence of the participants. 8. The favorable modes of appropriation were outlined in the situations in which there was an interface between aspects of the indicators and a particular trace of the subject. CONCLUSION- We suggest that the proposals of insertion of the CRICD in Primary Attention consider a long-term path, undertaken in one health unit per time because the resistances in institutional level have revealed themselves as a challenge. We found to be pertinent to work with a small staff with diverse educational backgrounds, composed of CHA, nursing and pediatric professionals. The most favorable proposal for its aim to be reached is the realization of regular formative encounters with a few months of space between them, during which supervision of the tasks involved is done
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
morais_corrigida.pdf (2.40 Mbytes)
Data de Publicação
2013-08-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.