• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2012.tde-25072012-145410
Documento
Autor
Nome completo
Dailza Pineda
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Guirado, Marlene (Presidente)
Schmidt, Maria Luisa Sandoval
Vicentin, Maria Cristina Gonçalves
Título em português
Acolhimento institucional e modos de subjetivação
Palavras-chave em português
Adolescência
Análise do Discurso
Psicologia Institucional
Subjetividade
Vulnerabilidade
Resumo em português
Este trabalho pretendeu delinear, pela análise do discurso em entrevistas, modos de subjetivação no acolhimento institucional de adolescentes em situações de vulnerabilidade. Nossas perguntas centrais eram: Que sujeitos se constituem e como se reconhecem neste contexto? Que relação os jovens estabelecem com o abrigo e com os outros atores institucionais? Que fazeres definem a rotina de um abrigo? Para formular e tentar encontrar respostas cabíveis a estas e outras perguntas, nos apoiamos na Psicologia Institucional proposta por Marlene Guirado e em seu método de pesquisa a Análise Institucional do Discurso. Assim, foram realizadas dez entrevistas com adolescentes de três abrigos da cidade de São Paulo e, a partir dos discursos ali produzidos, procuramos delimitar os lugares que se configuravam, assim como as tensões, expectativas e efeitos deles advindos. Estivemos atentos aos modos como os entrevistados falavam de si, dos outros, do abrigo, do futuro, da família e, além disso, as maneiras sempre peculiares com as quais se posicionavam na própria cena da entrevista. Os fazeres descritos como cotidianos foram ocasião para pensarmos os processos de subjetivação que, em uma via de mão-dupla, configuravam e eram configurados pelo acolhimento institucional. Por fim, marcamos aqueles que nos pareceram ser os principais desafios e potências desta instituição-abrigo
Título em inglês
Shelter and Modes of Subjectivation
Palavras-chave em inglês
Adolescence
Discourse Analysis
Institutional Psychology
Subjectivity
Vulnerability
Resumo em inglês
This study sought to delineate through the Institutional Analysis of Discourse in interviews, modes of subjectivity in a shelter for adolescents in situations of vulnerability. Our central questions were: What subjects are constituted and how they recognize themselves in this context? What is the relationship that young people establish with shelter and other institutional actors? What actions define a shelters routine? To formulate and try to find reasonable answers to these and other questions, we rely on the Institutional Psychology by Guirado and her method of research - Institutional Analysis of Discourse. So, ten interviews were conducted with adolescents of three shelters in the city of São Paulo, and from the discourses made, we define the subjective places that are configured as well as/the tensions, expectations and effects arising from them. We were aware of the ways in which interviewees spoke of themselves, of others, shelter, future, family and the idiosyncratic ways how each one stands at the scene of the interview. The daily actions were described as an opportunity to think about the modes of subjectivation configured by the shelter. Finally, we mark those who seemed to be the main challenges and strengths of this institution
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
pineda_me.pdf (628.81 Kbytes)
Data de Publicação
2012-08-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.