• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2012.tde-22082012-105035
Documento
Autor
Nome completo
Marcia Regina Vital
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Sekkel, Marie Claire (Presidente)
Kohatsu, Lineu Norió
Nascimento, Maria Letícia Barros Pedroso
Souza Neto, João Clemente de
Souza, Marilene Proenca Rebello de
Título em português
Inclusão na educação infantil: do viver o preconceito da diferença ao (con) viver com a diferença
Palavras-chave em português
Atitudes
Crianças
Diferenças individuais
Educação especial
Interações interpessoais
Preconceito
Psicologia educacional
Resumo em português
A tese insere-seno conjunto de estudos já realizados sobre o preconceito visando contribuir com levantamento de discussões relevantes tanto no que se refere ao âmbito social como, principalmente, ao escolar, com enfoque na educação infantil. Toma como referencial teórico a Teoria Crítica da Sociedade e a Psicanálise. Tem por objetivo investigar as interações entre crianças, a fim de conhecer as tensões e possíveis atitudes preconceituosas entre elas. Foi realizada com base numa abordagem qualitativa, de tipo etnográfico, optando-se por fazer uma pesquisa com crianças para conhecer suas atitudes, expressões, e comportamentos. Para sua realização, foi escolhida uma escola municipal de educação infantil (EMEI), da cidade de São Paulo, que atende crianças de quatro a seis anos de idade,em período integral e parcial. O instrumento escolhido para coleta e descrição dos fatos foi o registro das observações da rotina das crianças. Algumas categorias psicológicas como atitudes e preconceito foram tomadas como norteadoras da pesquisa. A análise e interpretação das observações evidenciaram atitudes preconceituosas entre as crianças no que se refere às questões de gênero, diferenças físicas significativas e religiosas. Também demonstraram que as crianças não tinham oportunidade de discutir sobre essas atitudes, nem de serem ouvidas, em decorrência da postura e da falta de intervenção por parte da professora. A tese permite inferir que a educação para a diferença, nesta instituição, representa uma condição especialmente desafiadora para todos. Traz dados que podem contribuir para que as discussões e ações que envolvam o preconceito se tornem efetivas. Aponta a necessidade de se realizar mais pesquisas na tentativa de identificar o preconceito nas práticas escolares, de entender os mecanismos que levam o indivíduo a desenvolvê-lo e indicar eventuais caminhos para combatê-lo. Sugere que os profissionais que atuam na educação infantil sejam formados de acordo com o paradigma da diversidade
Título em inglês
Inclusion in early childhood education: from living the prejudice of difference to living with the difference
Palavras-chave em inglês
Attitudes
Children
Difference
Early childhood education
Interactions
Prejudice
Resumo em inglês
The thesis inserts in the set of studies already carried out about prejudice to contribute with relevant discussions lifting both as regards social scope as mainly to school, with a focus on early childhood education. Takes as its theoretical the Critical Theory of Society and Psychoanalysis. Aims to investigate the interactions among children with a view to ascertaining tensions and possible prejudiced attitudes between them. Was carried out on the basis of a qualitative approach opting to do a research with children to know their attitudes, expressions, and behaviors. Was chosen a municipal school of early childhood education from the city of São Paulo, which assists children four to six years of age, full-time and part-time. The instrument chosen for collection and description of the facts was the record of observations of children's routine. Some psychological categories as attitudes and prejudice were taken as courses research. The analysis and interpretation of observations showed prejudiced attitudes among children with regard to gender issues, significant physical differences and religious. Also demonstrated that children had no opportunity to discuss these attitudes, not to be heard, as a result of posture and lack of intervention on the part of the teacher. The thesis allows infer that education for difference in this institution represents a condition especially challenging for everyone. Brings data that can contribute to the discussions and actions involving the prejudice to take effect. Proposes, also, look how the prejudice happens in childhood. Points out the need to carry out more research in an attempt to identify prejudice in school practices, to understand the mechanisms that lead the individual to develop it and indicate possible paths to combat it. Suggests that the professionals who work in early childhood education are formed according to the paradigm of diversity
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
vital_corrigida.pdf (929.77 Kbytes)
Data de Publicação
2012-08-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.