• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.2017.tde-28032017-081002
Documento
Autor
Nome completo
Glaucia Silva Barreto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Juliani, Caetano (Presidente)
Campanha, Ginaldo Ademar da Cruz
Hackspacher, Peter Christian
Título em português
Geologia dos granitos porfiríticos de Ilhabela - Petrogênese e evolução crustal 
Palavras-chave em português
Domínio costeiro
Embasamento precambriano
Ilhabela
Magmatismo pós-colisional
Resumo em português
Ilhabela, localizada no litoral norte do Estado de São Paulo, está inserida na Província Mantiqueira, no contexto geotectônico da Faixa Ribeira Central (CRB). Em contexto local, Ilhabela e as áreas continentais adjacentes são designadas de Domínio Costeiro. Ilhabela é um fragmento continental cujo embasamento precambriano é constituído por uma estreita faixa, a oeste, de direção NE (~2 km) de gnaisses migmatíticos milonitizados correlatos aos litotipos do Complexo Costeiro. À leste aflora a unidade mais expressiva do embasamento, representada pelo Batólito Ilhabela. Diques máficos, três stocks alcalinos, gabros estratificados e diques traquíticos são unidades mesozoicas intrusivas nas rochas precambrianas. A unidade metamórfica é constituída por ortognaisses grossos ricos em veios leucocráticos, com intercalações de biotita gnaisses mesocráticos, gnaisses bandados e rochas calciossilicáticas. Ocorrem ainda lentes de granitos leucocráticos miloníticos e gnaisses leucocráticos. Esses gnaisses apresentam caráter sódico com altos teores de SiO2, características de rochas do tipo TTG. O terreno gnáissico migmatítico encontra-se intensamente deformado, com foliação milonítica de direção NE mergulho para NW e dobras intrafoliais com flancos rompidos e espessamento de charneira. O Batólito Ilhabela, intrusivo nas unidades gnáissicas, é representado por granitoides porfiríticos foliados. Foi subdividido em cinco facies graníticas, classificadas como (i) Granodiorito porfirítico com hornblenda, (ii) Granodiorito porfirítico rico em encraves, (iii) Granito porfirítico esverdeado, (iv) Granito porfirítico com granada e (v) Granodiorito com granada rico em fenocristais. Ocorrem ainda, de maneira pouco expressiva, monzonitos, leucogranitos e o Granodiorito Castelhanos. Similaridades estruturais e petrográficas dos granitos estudados aponta para processos batolíticos de diferenciações com efeitos diferentes em níveis crustais distintos. Com base em dados petrográficos e geoquímicos foi possível identificar três fontes que contribuíram para a construção do Batólito Ilhabela: (i) magmas alcalinos do tipo-A, de possíveis derivações mantélicas, representado pelo Granito porfirítico esverdeado; (ii) magmas derivados de crosta média de tendências cálcio-alcalinas do tipo-I, resultando em granodioritos porfiríticos com hornblenda e; (iii) magmas de crosta superior a média, de tendências peraluminosas do tipo-S, que contribuíram para a geração do Granito porfirítico com granada. Foliação magmática paralela a subparalela à foliação milonítica regional de direção NE, mergulhos de alto ângulo para NW e zonas de concentração de deformação de estado sólido (com recristalização marginal dos feldspatos e subgrãos de quartzo com padrões de tabuleiro de xadrez) evidenciam o caráter sintectônico dos granitos estudados. Estruturas ígneas bem preservadas e a restrição das zonas miloníticas indicam que o posicionamento do batólito se deu em zonas de baixa deformação, mesmo que de altas temperaturas. Dessa forma, as zonas de cisalhamento seriam facilitadoras para processos de ascenção e mistura de magmas máficos e félsicos dada a dinâmica tectônica que paraleliza as estruturas magmáticas com as metamórficas miloníticas. Tendências geoquímicas anorogênicas (pós-colisionais) associadas à idade de ~570 Ma para o Batólito Ilhabela estão de acordo com o modelo proposto por Meira (2014), onde, num período entre 600-550 Ma, o Cinturão Ribeira Central estaria passando por descompressão associada a processos de colapso orogenético (colisão Orógeno Brasília - 650-600 Ma).
Título em inglês
not available
Palavras-chave em inglês
not available
Resumo em inglês
Ilhabela is a scenery island located in the northern coast of São Paulo State, southeastern Brazil, and is included in the Mantiqueira Province, as part of the Central Ribeira Belt (CRB). In a local context, Ilhabela and the adjacent continental areas are designated as Costeiro Domain. The Ilhabela is a partially detached continental fragment. The western NE-directed narrow belt of gneissic Precambrian basement, parallel to the coast, is represented by variably mylonitized gneisses. The eastern and most expressive basement unit of Ilhabela is composed of granitic intrusions, named Ilhabela Batholith. Mesozoic mafic dikes, three major alkaline syenite stocks, layered gabros and trachyte dikes intruded the Precambrian rocks. The metamorphic units comprise coarse-grained ortogneisses rich in leucocratic veins, intercalated with mesocratic biotite gneisses, banded gneisses and calc-silicate rocks. Lenses and irregular bodies of leucocratic mylonitic granites and leucocratic gneiss occur within the coarse-grained gneisses. The gneissic terrain is intensively deformed, with mylonitic foliation (NE-striking, NW-dipping structured) and rootless intrafolial folds with thickened hinges. The gneissic rocks show sodic geochemical character with high SiO2 contents, yielding TTG affinities. The Ilhabela Batholith is intrusive in the gneissic units. It comprises foliated porphyritic granitoids that can be divided into five granitic facies, represented by (i) hornblende-bearing porphyritic granodiorites, (ii) enclave-rich porphyritic granodiorites, (iii) green porphyritic granites, (iv) garnet-bearing porphyritic granites and (v) phenocryst-rich garnet-bearing granodiorites. Furthermore, restricted occurrences of monzonite, leucogranite and the Castelhanos Granite complete the Precambrian granitic units. Structural and petrographic similarities indicate batholithic-sized processes with different effects in distinct crustal levels. Based on petrographical and geochemical constraints, at least three different sources can be defined for the petrogenesis of the Ilhabela Batholith: (i) mantle-like A-type alkaline magma (green porphyritic granites and monzonites); (ii) middle to lower crust-like I-type calc alkaline magma (hornblende-bearing porphyritic granodiorite); and (iii) middle to upper crust-like S-type peraluminous magma. The granitoids magmatic foliation, parallel to subparallel to the host mylonitic foliation (NE-striking and dipping to NW), narrow solid-state deformational zones (with marginal recrystallization of feldspars and chessboard subgrain patterns) suggest syn-tectonic emplacement of the studied rocks. Well-preserved magmatic structures and minor solid-state deformation suggest emplacement in a relatively high-temperature low strain environment. Therefore, the shear zones would facilitate the emplacement and interaction between different sourced magmas. The ~570 Ma post-collisional anorogenic magmatism of the Ilhabela Batholith is in agreement with a recently proposed tectonic model (Meira, 2014), associated with decompression-related metamorphism occurred between 600-560 in the Central Ribeira Belt. This metamorphic stage would be related to the orogenetic collapse of the collisional orogen (Brasilia orogen) with metamorphic peak between 650-600 Ma.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2021-03-28
Data de Publicação
2017-03-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.