• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.42.2019.tde-08042020-152206
Documento
Autor
Nome completo
Mariana Correia de Oliveira Alves
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Muscara, Marcelo Nicolas (Presidente)
Caldeira, Marinella Holzhausen
Ferreira, Heloisa Helena Araujo
Oliveira Filho, Ricardo Martins de
Título em português
Envolvimento do sulfeto de hidrogênio (H2S) na secreção salivar de a-amilase "ex vivo" em camundongos.
Palavras-chave em português
a-Amilase
Camundongo
Glândulas salivares
Sulfeto de hidrogênio
Resumo em português
A saliva é um fluido biológico composto por eletrólitos e proteínas, que tem suma importância na homeostase bucal e geral do indivíduo. É produzida a partir das glândulas salivares maiores (submandibular, sublingual e parótida) e das glândulas salivares menores (espalhadas por toda a mucosa bucal e língua). A estimulação da salivação se dá por ativação do sistema nervoso autônomo (receptores a2 e b2-adrenérgicos e M1 e M3 colinérgicos), o que desencadeia cascatas metabólicas com abertura de canais iônicos, que conduzem a liberação de eletrólitos, água e proteínas para os ductos das células acinares, que vão desembocar na cavidade bucal. Nas últimas décadas tem-se demonstrado que o sulfeto de hidrogênio (H2S) é um gasotransmissor envolvido em diversos sistemas fisiológicos, desempenhando importante papel nos sistemas cardiovascular, nervoso central e digestório, além de ter grande importância moduladora do processo inflamatório. Não obstante, a eventual participação do H2S nos aspectos qualitativos/quantitativos da salivação é ainda desconhecida. Por esse motivo decidimos estudar a presença deste gasotransmissor no processo de salivação e a sua interferência na secreção de -amilase. Para este estudo utilizamos glândulas salivares submandibular e sublingual de camundongos para avaliar a secreção ex-vivo da enzima a-amilase, assim como a participação do H2S endógeno (empregando inibidores da sua produção enzimática) e os efeitos do H2S exógeno (utilizando doadores de H2S). Ainda avaliamos a geração de sulfeto por homogenatos de glândulas salivares e mediante técnicas de Western-blotting e RT-PCR analisamos a expressão proteica e gênica das enzimas geradoras de H2S nestes homogenatos.Nossos achados mostram que as glândulas salivares estudadas expressam as enzimas responsáveis pela síntese de H2S (CSE, cistationina-g-liase e 3MST, 3-mercaptopiruvato sulfotransferase). Incubação dessas glândulas com o agonista isoproterenol (via simpática) ou carbacol (via parassimpática) na presença de ácido amino-oxiacético (AOAA) causou significativa redução na secreção de a-amilase. Por outro lado, a presença do reagente de Lawesson, um doador orgânico de H2S no meio de incubação das glândulas, na presença do agonista isoproterenol (via simpática) ou carbacol (via parassimpática) resulta em aumento da secreção de a-amilase quando utilizado na concentração de 1 mM. Nossos resultados são coerentes com a visão de que o H2S potencializa a secreção ex-vivo de a-amilase estimulada pelo sistema nervoso autônomo simpático (mediada pelos receptores b-adrenérgicos) e parassimpático (mediada por receptores muscarínicos) em camundongo. Estes achados podem contribuir futuramente com o desenvolvimento de fármacos utilizados no tratamento de pacientes com disfunções salivares com a intenção de diminuir os inúmeros efeitos colaterais associados aos parassimpatomiméticos atualmente no mercado.
Título em inglês
The role of hydrogen sulfide (H2S) on the ex-vivo murine salivary secretion of alpha-amylase.
Palavras-chave em inglês
a-amylase
Hydrogen sulfide
Major salivary glands
Mouse
Resumo em inglês
Saliva is a biological fluid containing electrolytes and proteins, of crucial importance for the oral and general body homeostasis. It is produced by salivary glands, described as major (submandibular, sublingual, and parotid glands) and minor (scattered all over the oral mucosa and tongue). Saliva is released upon autonomic stimulation (a2 and b2-adrenergic and M1 e M3 cholinergic receptors) which triggers a series of metabolic cascades to open ionic channels and activate other pathways as to release electrolytes, proteins and water into specialized ducts that open in the mouth. In the last few decades hydrogen sulfide (H2S) has been characterized as a gasotransmitter which displays important physiological roles in cardiovascular, central nervous and digestive systems. In addition, it has been demonstrated to have definite modulatory actions on inflammatory processes. Notwithstanding, the participation of H2S in qualitative and quantitative aspects of salivation is still largely unknown. Accordingly, we investigated the presence of that gas in salivary glands and its possible effects on a-amylase secretion. Western blotting and PCR analyses confirmed that the mouse submandibular and sublingual salivary glands express at least two H2S-synthesizing enzymes (CSE, cystathionin-g-liase and 3MST, 3-mercaptopiruvate-sulfotransferase). Incubation of these glands with the autonomic agonists isoproterenol (sympathetic pathway) and carbachol (parasympathetic pathway) in the presenced of the H2S-synthesizing enzyme inhibitor amino-oxiacetic acid (AOAA) caused significant reduction of a-amylase secretion, whereas incubation in the presence of a low concentration (1 mM) of the organic H2S donor Lawesson reagent (LR) evoked the opposite effect. Our results are coherent with the view that H2S can be taken as an important gasotransmitter in the murine major salivary glands, with a definite modulating, positive role on the 5 physiological stimulating action of sympathetic (through b-adrenergic receptors) and parasympathetic (through muscarinic receptors) autonomic nervous system. Our findings could possibly contribute for the future development of drugs targeting relief of salivary dysfunction symptoms, aiming to reduce the adverse effects of parasympathetic drugs currently used.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2022-04-08
Data de Publicação
2021-10-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.