• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
10.11606/D.41.2008.tde-22082008-170823
Document
Author
Full name
Marcos César Bissaro Junior
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 2008
Supervisor
Committee
Neves, Walter Alves (President)
Ghilardi, Renato Pirani
Kipnis, Renato
Title in Portuguese
Tafonomia como ferramenta zooarqueológica de interpretação: viés de representatividade óssea em sítios arqueológicos, paleontológico e etnográfico
Keywords in Portuguese
Sítios arqueológicos/paleontológicos/etnográfico
Tafonomia
Zooarqueologia
Abstract in Portuguese
Estudos tafonômicos são relevantes para o entendimento de contextos deposicionais em sítios paleontológicos e arqueológicos, podendo ser ferramenta útil na correta interpretação desses registros. Recorrente em estudos dessa natureza é o problema da equifinalidade, em que dois ou mais processos levam a um mesmo padrão final. No caso dos estudos zooarqueológicos esse problema se torna mais aparente, uma vez que dois fatores são responsáveis pela formação e configuração final da fauna depositada nos sítios arqueológicos, sendo eles a ação humana e a ação natural. Com a finalidade de gerar assinaturas tafonômicas para auxiliar na compreensão do registro arqueológico, o presente estudo utilizou uma coleção paleontológica (Cuvieri) e uma coleção etnográfica (Guajá) como "controle". Ao todo quatro coleções osteológicas de mamíferos de médio e grande porte (Mazama sp., Tapirus terrestris, Tayassu sp.) foram analisadas: coleção etnográfica dos índios Guajá (Maranhão, Brasil) onde somente o agente antrópico incidiu na formação; coleção paleontológica do sítio Cuvieri (Minas Gerais, Brasil) formada unicamente pelo agente natural; e coleção arqueológica dos sítios Lapa do Santo e Lapa das Boleiras (Minas Gerais - Brasil). Ferramentas consagradas na literatura zooarqueológica foram utilizadas, sendo a Densidade Óssea (VD - volume density) e o índice de Utilidade Alimentar (FUI - food utility index) os mais importantes, além de análises envolvendo fragmentação óssea, sinais de queima e marcas de corte. As análises comparativas realizadas geraram resultados significativos no que diz respeito à formação do registro arqueológico, e em última instância quanto às estratégias de subsistência das populações pré-históricas de Lagoa Santa. A partir de análises de correlação não paramétrica (Spearman) envidenciou-se ausência de correlação entre representatividade óssea (MAU - minimal animal unit) e utilidade alimentar (FUI - food utility index), bem como entre representatividade e densidade óssea (VD - volume density) no sítio etnográfico e no sítio arqueológico. Entretanto, houve correlação entre densidade e representatividade óssea no sítio paleontológico. Uma correlação estatisticamente não significativa entre MAU e FUI nos sítios arqueológicos era esperada, como corroborada pelo sítio etnográfico. No entanto, a correlação entre densidade e representatividade encontrada no sítio paleontológico não foi encontrada no sítio arqueológico o que pode ser explicado neste último caso, entre outros fatores, pela atividade humana. Análises de fragmentação óssea demonstraram diferenças significativas entre os sítios, principalmente quando considerados apenas os ossos longos, que são os mais processados para o consumo humano. A fragmentação apresentou-se maior nos sítios em que houve ação humana (etnográfico e arqueológicos). Com relação à queima e marcas de corte, foram obtidos resultados relevantes em termos etnográficos, demonstrando processamentos diferenciais entre os taxa analisados mesmo na ausência da ação de processos diagenéticos. Os resultados demonstram a utilidade de estudos comparativos entre coleções de diferentes contextos (e.g., paleontológicas, etnográficas, e arqueológicos) para melhor entendimento da gênese e da transformação de assembléias fósseis, minimizando assim o problema da equifinalidade.
Title in English
Taphonomy as zoorchaeological interpretation tool: Deposicional bias in palaeontological, ethnographic and archaeological sites
Keywords in English
Archaeological/palaeontological and ethographis sites
Taphonomy
Zooarchaeology
Abstract in English
To understand depositional contexts in archaeological and palaeontological sites, taphonomic studies are of relevant importance. One of the main questions about faunal representation in archaeological sites is the problem with equifinality, when similar patterns in time and space emerge from different conditions and processes. Human and natural agencies are the processes that affect the fossil assemblage recovered in archaeological sites; that, if not correctly understood, can lead to wrong interpretations. To solve this problem, taphonomic signatures of palaeontological (natural agency) and ethnographic collections (human agency) were used as a "control" to the interpretation of zooarchaeological record. Four osteological collections comprised of medium and large mammals (Mazama sp., Tapirus terrestris, Tayassu sp.) were analyzed: an ethnographic collection of Guajá indians (Maranhão, Brazil), a palaeontological collection of Cuvieri (Minas Gerais, Brazil) and two archaeological collections of Lapa do Santo and Lapa das Boleiras (Minas Gerais, Brazil). Bone density (VD - volume density) and utility index (FUI - food utility index) were the two main analytical tools used to characterize the collections, together with bone fragmentation, bone burning and cut marks analyses. Spearman correlation analysis shows no statistically significant results between FUI and animal representation (MAU), neither between MAU and bone density in the archaeological and ethnographic sites. Bone density correlates statistically with MAU in Cuvieri. No significant statistic correlation was obtained in archaeological and ethnographic context between MAU and FUI as expected. The absence of a significant statistic correlation between MAU and VD in the archaeological sites can be attributed to human agency. Bone fragmentation analyses revealed great fragmentation in the archaeological and the ethnographic sites when analyzing long bones only, since they are the most skeletal part modified by human processes. Bone burning and cut mark analyses revealed relevant ethnographic information about human processing of animal carcass even when no post-depositional bias has occurred. The analyses of palaeontological and ethnographic sites revealed information applicable to archaeological sites contributing to solve equifinality questions.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Marcos_Bissaro.pdf (5.25 Mbytes)
Publishing Date
2008-09-24
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
Centro de Informática de São Carlos
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2022. All rights reserved.