• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Igor Hisashi Murai
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Gualano, Bruno (Presidente)
Pereira, Rosa Maria Rodrigues
Ramires, Paulo Rizzo
Valle, Lilian Cuppari
Título em português
Treinamento físico como tratamento para atenuar a perda óssea em mulheres submetidas à derivação gástrica em Y de Roux: um estudo clínico randomizado
Palavras-chave em português
Cirurgia bariátrica
Densidade mineral óssea
Obesidade
Resumo em português
A cirurgia bariátrica é o tratamento de primeira escolha para a obesidade mórbida, uma vez que o tratamento clínico convencional apresenta baixa eficácia em produzir uma perda de peso significativa e, consequentemente, melhorar as comorbidades associadas à essa condição clínica. Contudo, estudos demonstram uma perda óssea relevante induzida pela cirurgia bariátrica, a qual pode aumentar o risco de fraturas em longo prazo. Diante disso, este estudo clínico randomizado teve como objetivo investigar os efeitos do treinamento físico sobre a saúde óssea em mulheres submetidas à cirurgia bariátrica pela técnica de derivação gástrica em Y de Roux. Antes da intervenção cirúrgica, as pacientes realizaram avaliações de diversos parâmetros ósseos e capacidade física, e foram alocadas aleatoriamente nos grupos treinamento físico (RYGB+TF) ou tratamento convencional (RYGB). Três meses após a cirurgia, ambos os grupos foram reavaliados e iniciaram os tratamentos com duração de 6 meses. Nove meses após o início do estudo, as pacientes efetuaram novamente todas as avaliações. Os resultados demonstram que a cirurgia bariátrica reduziu significantemente o peso corporal, IMC, porcentagem de gordura, tecido adiposo visceral e massa magra (P<0,001 para todas as variáveis) em ambos os grupos. O procedimento cirúrgico induziu uma perda significante na densidade mineral óssea areal (aDMO) do fêmur total, colo de fêmur, rádio distal e corpo total nos dois grupos (P<0,001 para todos os parâmetros). Constatou-se aumentos significantes dos marcadores de remodelação óssea CTX e P1NP, bem como das proteínas esclerostina e osteopontina (P<0,05 para todos os marcadores) após a intervenção cirúrgica nos grupos RYGB e RYGB+TF. A cirurgia acarretou efeitos deletérios sobre alguns parâmetros da microarquitetura do rádio distal das pacientes, tais como a redução na espessura cortical (Ct.Th) (P=0,001) e o aumento da porosidade cortical (Ct.Po) (P=0,009). A capacidade física e funcionalidade de ambos os grupos foram negativamente afetadas pela cirurgia (P<0,001 para todas as variáveis). De modo importante, o treinamento físico mitigou a redução percentual da aDMO do fêmur total (P=0,009), colo de fêmur (P=0,007), rádio distal (P=0,038) e massa magra (P=0,048) em comparação ao tratamento convencional. Atenuações significantes ocasionadas pelo treinamento físico foram observadas para o CTX (P=0,002), P1NP (P=0,024) e esclerostina (P=0,046). O grupo RYGB+TF experimentou uma menor redução percentual da densidade mineral óssea volumétrica cortical (Ct.vDMO) do rádio distal em comparação ao grupo RYGB (P=0,024). As pacientes expostas ao treinamento físico melhoraram significantemente a força muscular de membros superiores (P=0,002) e inferiores (P<0,001), bem como desempenharam melhor os testes funcionais de Sentar e Levantar (P<0,001) e Timed Up and Go (P=0,007) em relação às pacientes que receberam o tratamento convencional. Diante desses achados, concluímos que o treinamento físico supervisionado com duração de 6 meses foi eficaz em atenuar a redução induzida pela cirurgia bariátrica dos parâmetros relacionados à saúde óssea de mulheres, bem como melhorar a capacidade física e funcionalidade desta população
Título em inglês
Exercise training as a treatment to attenuate bone loss in women underwent Roux-en-Y gastric bypass: a randomized controlled trial
Palavras-chave em inglês
Bariatric surgery
Bone mineral density
Obesity
Resumo em inglês
Bariatric surgery is the treatment of choice for morbid obesity, since conventional treatment yields low efficacy in producing a significant weight loss and, consequently, improves obesity-related comorbidities. Nevertheless, some studies demonstrate a bariatric surgeryinduced bone loss, which may increase the long-term risk of fractures. In light of this, the aim of this randomized controlled trial was to investigate the effects of exercise training on bone health in women underwent Roux-en-Y gastric bypass. Before surgical intervention, bone parameters and physical capacity were assessed, and patients were randomly assigned into bariatric surgery plus exercise training group (RYGB+TF) or bariatric surgery (RYGB). Three months after surgery, both groups were re-assessed and underwent a 6-month exercise training program or standard of care. Nine months after surgery, patients were re-evaluated. As a result of surgery, body weight, BMI, fat percentage, visceral adipose tissue, and lean mass significantly decreased in both groups (P<0.001 for all variables). Bariatric surgery induced a significant areal bone mineral density (aBMD) loss at the total hip, femoral neck, distal radius, and whole body in both groups (P<0.001 for all sites). Bone turnover markers (i.e. CTX and P1NP), as well as sclerostin and osteopontin significantly increased after surgery in RYGB and RYGB+TF (P<0.05 for all markers). After the surgery, cortical thickness was significantly reduced in both groups (P=0.001). At the same site, cortical porosity was significantly increased after surgical procedure (P=0.009). Physical and functional capacity were negatively affected by surgery in both groups (P<0.001 for all variables). Importantly, exercise training significantly mitigated percent loss of aBMD at the total hip (P=0.009), femoral neck (P=0.007), distal radius (P=0.038), and lean mass (P=0.048) compared to standard of care. Exercise also attenuated CTX (P=0.002), P1NP (P=0.024), and sclerostin (P=0.046). A significantly reduced percent loss in cortical volumetric bone mineral density (Ct.vBMD) at the distal radius was observed in RYGB+TF group compared to RYGB (P=0.024). Patients underwent exercise training significantly improved upper-limb muscular strength (P=0.002), lower-limb muscular strength (P<0.001), as well as Sit-to-Stand test (P<0.001) and Timed Up and Go test (P=0.007) compared to individuals who received standard of care. Thus, we conclude that a 6-month, supervised exercise training program was capable of attenuating bariatric surgery-induced bone loss, as well as improves physical and functional capacity in women
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-08-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.