• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.39.2016.tde-25082016-133341
Documento
Autor
Nome completo
Carlos Rafaell Correia de Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Kiss, Maria Augusta Peduti Dal Molin (Presidente)
Araujo, Gustavo Gomes de
Artioli, Guilherme Giannini
Bertuzzi, Rômulo Cássio de Moraes
Pires, Flávio de Oliveira
Título em português
Ingestão de bicarbonato de sódio e cloreto de amônio e seus efeitos sobre o ritmo de prova, desempenho e equilíbrio ácido-base em um teste contrarrelógio de ciclismo de 4km
Palavras-chave em português
Bicarbonato de sódio
Cloreto de amônio
Desconforto gastrointestinal
Desempenho
Taxas de gasto energético aeróbio e anaeróbio
Ventilação
Resumo em português
Nós determinamos a influência da alcalose e acidose metabólica induzida sobre o ritmo de prova, gasto energético e desempenho durante um teste contrarrelógio de ciclismo de 4 km (TCR). Após um estudo preliminar (N=7) determinando as doses ótimas de cloreto de amônio (NH4Cl), bicarbonato de sódio (NaHCO3) e placebo (carbonato de cálcio, CaCO3), 11 ciclistas amadores realizaram um TCR de 4 km 100 min após ingerirem 0,15 g·kg-1 de NH4Cl, 0,3 g·kg-1 de NaHCO3 ou 0,15 g·kg-1 de CaCO3 (desenho de medidas repetidas, contrabalançado e duplo-cego). Comparado com placebo, a ingestão de NaHCO3 resultou em uma alcalose sanguínea pré-exercício (pH: + 0,06 ± 0,04, [HCO3-]: + 4,7 ± 2,6 mmol?L-1, excess de base: + 4,6 ± 2,4 mmol?L-1, P<0,05), enquanto que o NH4Cl resultou em uma acidose sanguínea (pH: - 0,05 ± 0,04, [HCO3-]: - 5,5 ± 2,9 mmol?L-1, excesso de base: - 5,3 ± 2,5 mmol?L-1, P<0.05), com essas diferenças permanecendo durante todo o teste. Apesar de nenhum desconforto gastrointestinal severo, os participantes adotaram um ritmo de prova significativamente mais conservador em NH4Cl comparado com placebo e NaHCO3, que foi acompanhado por uma redução na taxa de gasto energético anaeróbio (~ -14 %, P<0,05) e menor trabalho anaeróbio total (~ -13 %, P<0,05). Consequentemente, o desempenho foi prejudicado em NH4Cl (~ -7 %) comparado com as demais condições (P<0,05). O lactato plasmático, VCO2 e a PetCO2 foram menores e a VE/VCO2 maior durante o TCR em acidose do que em placebo e alcalose (P<0,05). Entretanto, não houve diferença para essas variáveis entre placebo e NaHCO3 (P<0,05). A acidose metabólica induzida diminuiu o ritmo de prova e o metabolismo anaeróbio, além de prejudicar o desempenho durante um TCR de 4 km, independente de desconforto gastrointestinal
Título em inglês
Sodium bicarbonate and ammonium chloride ingestion and their effects on pacing, performance and acid-base balance during a 4-km cycling time trial
Palavras-chave em inglês
Ammonium chloride
Anaerobic and aerobic expenditure rates
Gastrointestinal discomfort
performance
Sodium bicarbonate
Ventilation
Resumo em inglês
We determined the influence of induced metabolic alkalosis and metabolic acidosis on pacing, energy expenditure and performance during a 4-km cycling time trial (TT). After a preliminary study (N=7) determining the optimal ammonium chloride (NH4Cl), sodium bicarbonate (NaHCO3), and placebo (calcium carbonate, CaCO3) doses, 11 amateur cyclists performed a 4-km TT 100 min after ingesting either 0.15 g·kg-1 of body mass of NH4Cl, 0.3 g·kg-1 of NaHCO3 or 0.15 g·kg-1 of CaCO3 (double-blind, counterbalanced and repeated-measures design). Compared with placebo, the NaHCO3 ingestion resulted in a pre exercise blood alkalosis (pH: +0.06 ± 0.04, [HCO3-]: +4.7 ± 2.6 mmol?L-1, base excess: +4.6 ± 2.4 mmol?L-1, P<0.05), while NH4Cl resulted in a blood acidosis (pH: -0.05 ± 0.04, [HCO3-]: -5.5 ± 2.9 mmol?L-1, base excess: -5.3 ± 2.5 mmol?L-1, P<0.05), with these differences remaining throughout the trial. Despite no gastrointestinal distress, participants adopted a significant more conservative pacing in NH4Cl compared with placebo and NaHCO3, which was accompanied by a reduced anaerobic energy expenditure rate (~ -14 %, P<0.05) and lower total anaerobic work (~ -13 %, P<0.05). Consequently, the performance was less in NH4Cl (~ -7 %) compared with other conditions (P<0.05). Plasma lactate, VCO2 and PetCO2 were lower and the VE/VCO2 higher during the TT in acidosis than in placebo and alkalosis (P<0.05). However, there was no difference for these variables between placebo and NaHCO3 (P>0.05). Induced metabolic acidosis slows pacing, decreases anaerobic metabolism and impairs performance during a 4-km TT, independent of gastrointestinal distress
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-08-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.