• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.27.2022.tde-08112022-160135
Documento
Autor
Nome completo
André Aparecido de Souza Moraes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2022
Orientador
Banca examinadora
Castro, Marcos Camara de (Presidente)
Gohn, Daniel Marcondes
Pedro, Renato Cardinali
Título em português
Viola Caipira e Tecnologias Digitais: uma análise de experiências de ensino remoto.
Palavras-chave em português
Educação Musical
Tecnologias digitais
Viola Caipira
Resumo em português
A partir da colonização portuguesa, a viola, instrumento com grande popularidade em Portugal, entra em solo brasileiro. O padre José de Anchieta, um dos responsáveis pela catequização dos índios no Brasil, assegurou um projeto de catequização através da música e do teatro. O contato com diversas culturas, do movimento bandeirante e do tropeirismo no Brasil, fez com que a viola se espalhasse por todo o país fazendo parte do cotidiano do povo de diversos estados brasileiros. Desse modo, atualmente no Brasil temos diversos tipos de cordofones que recebem o nome de viola: as violas caipiras, violas dinâmicas, violas de cocho, violas de buriti, viola de cabaça, viola de caiçara. Ressalta-se também que de acordo com a região, ela recebe um nome distinto, mesmo que se referindo muitas vezes ao mesmo instrumento. No âmbito da escolarização, observou-se o crescente número de cursos e oficinas de viola caipira. O fato de a viola caipira estar inserida em um curso superior a nível de bacharelado na Universidade de São Paulo, a publicação de impressos, as recentes pesquisas e publicações acadêmicas sobre o instrumento, suas músicas e instrumentistas, e as novas tecnologias contribuíram com a produção metodológica, além de terem possibilitado outras formas de interação entre professores e alunos no contexto do ensino do instrumento. Diante deste cenário, muitos professores passaram a estruturar cursos em videoaulas e disponibilizar à venda em DVDs, alguns encontraram outras maneiras como enviar os conteúdos via e-mail ou pendrive. Pode-se observar que a forma de se aprender viola caipira mudou consideravelmente com a ascensão das tecnologias digitais. Atualmente, podemos encontrar diversos cursos assíncronos do referido instrumento em sites, plataformas como a Hotmart, Udemy entre outros. Assim, o objetivo deste trabalho é investigar como essas novas tecnologias digitais têm influenciado o processo de escolarização do violeiro na atualidade. A justificativa para sua elaboração deve-se ao cenário atual, onde estudantes e professores de viola caipira fazem uso das tecnologias digitais para aprender ou ensinar o instrumento. Como metodologia, usou-se uma pesquisa quali-quantitativa aplicada nas instituições em que o autor desta pesquisa atua como docente: SESC Campinas, SESC Campo Limpo e Prefeitura de São Bernardo do Campo. A realização da experiência em mais de uma instituição se deu com o objetivo de testar com maior eficiência as propostas sugeridas. As duas unidades do SESC possuem um caráter de socialização através de atividades musicais.
Título em inglês
Viola Caipira and Digital Technologies: An Analysis of Remote Teaching Experiences.
Palavras-chave em inglês
Digital technologies
Learning
Teaching
Viola
Resumo em inglês
During Portuguese colonization, the viola, an instrument with great popularity in Portugal, reached Brazilian soil. Father José de Anchieta, one of those responsible for the catechization of indigenous peoples in Brazil, ensured a catechization project through music and theater. The contact with different cultures, the bandeirante movement and tropeirismo in Brazil, made the viola spread throughout the country, being part of the daily life of the people of several Brazilian states. Thus, currently in Brazil we have several types of chordophones that are called viola: viola caipira, dynamic viola, viola de cocho, viola de buriti, viola de cabaça, viola de caiçara. It is also noteworthy that according to the region, it receives a different name, even if it often refers to the same instrument. In terms of teaching, there was a growing number of courses and workshops for viola caipira. The fact that the viola caipira is part of a bachelor's degree course at the University of São Paulo, the publication of printed material, recent research and academic publications on the instrument, its music and instrumentalists, and new technologies contributed to the production of a methodological approach, in addition to having enabled other forms of interaction between teachers and students in learning the instrument. Faced with this scenario, many teachers began to put together and sell video lessons in DVD format, while others found ways to send the content via e-mail or flash drive. It is clear that the study of viola caipira has changed considerably with the rise of digital technologies. We now find several asynchronous courses on websites, platforms such as Hotmart, Udemy, among others. Thus, the objective of this work is to investigate how these new digital technologies have influenced the learning process of viola players today. The justification for its elaboration is the current scenario in which students and teachers of viola caipira make use of digital technologies to learn or teach the instrument. As a methodology, we used a qualitative-quantitative research applied at the institutions where the author of this research teaches: SESC Campinas, SESC Campo Limpo and São Bernardo do Campo City Hall. The experiment was carried out at more than one institution with the aim of testing the suggested proposals more efficiently. The two SESC units offer musical activities with a focus on social inclusion.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-11-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2023. Todos os direitos reservados.