• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.25.2020.tde-22102021-100113
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Boteon
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2020
Orientador
Banca examinadora
Honório, Heitor Marques (Presidente)
Bresciani, Eduardo
Silva, Patricia Moreira de Freitas Costa e
Wang, Linda
Título em inglês
In vitro and in situ assessment of Proanthocyanidin on enamel erosion prevention
Palavras-chave em inglês
Dental enamel
Preventive dentistry
Tooth erosion
Resumo em inglês
Proanthocyanidin is a natural agent that has been extensively tested in Dentistry in different fields with promising results, including on dental erosion. It has an interesting performance on dental tissues, especially on dentin, in which interacts with collagen matrix, inducing cross-linker formation and improving the dentin mechanical properties. However, as Proanthocyanidin can also act on de-remineralization process as well as interacting with salivary proteins, it might play a role on enamel erosion prevention. Thus, the aim of this thesis was to evaluate the Proanthocianidin on enamel erosion by in vitro and in situ studies, not necessarily in that order. The first study evaluated the effect of Proanthocyanidin applied over acquired enamel pellicle on initial erosion. The acquired pellicle was formed in situ by the placement of intraoral palatal devices in two healthy volunteers for 2 hours. The enamel blocks of each group were treated in vitro: G1: 6.5% proanthocyanidin gel and acquired pellicle formed in situ; G2: only 6.5% proanthocyanidin gel; G3: only acquired pellicle formed in situ; and G4: no intervention. Gels were applied for 1 minute. Then, enamel blocks were immersed in 0.5% citric acid, pH 2.5, for 30 seconds to promote a short erosive challenge. The response variable was the percentage of surface hardness loss was carried out. Data analysis showed that the G1 group showed the lowest value of hardness loss compared to other groups (G2, G3 and G4), which exhibited a greater hardness loss with no significant difference among them. The article 2 evaluated the in vitro effect of Proanthocyanidin on noneroded and eroded enamel compared to fluoride submitted to 5-day erosive cycling. Gels was applied were applied once every day before the first erosive cycling. The enamel erosion was carried out with cola drink for 5 minutes, 3 times per day. The enamel loss determination was performed by profilometry analyses. Results showed that the tested gels were not able to prevent the enamel wear. Finally, the article 3 evaluated the effect of Proanthocyanidin applied over acquired enamel pellicle, but on 5-day erosive cycling. The studied groups were Proanthocyanidin gel on acquired enamel pellicle, only Proanthocyanidin gel and only acquired enamel pellicle. Three volunteers were responsible to the placement of intraoral palatal devices for the acquired pellicle groups. The erosive cycling consisted by immersion of the enamel blocks in the same kind of acid from article 1, but for 2 minutes, 3 times per day. The enamel loss was determined by profilometry analysis. Data analysis suggested that Proanthocyanidin can prevent enamel loss only on acquired pellicle presence.
Título em português
Avaliação in vitro e in situ da Proantocianidina na prevenção da erosão do esmalte
Palavras-chave em português
Erosão dentária
Esmalte dentário
Odontologia preventiva
Resumo em português
A Proantocianidina é um agente natural que vem sendo amplamente testado em Odontologia em diferentes campos com resultados promissores, inclusive na erosão dentária. Ela possui um desempenho interessante nos tecidos dentários, principalmente na dentina, na qual interage com a matriz de colágeno, induzindo a formação de cross-linkers o que melhora suas propriedades mecânicas. No entanto, como a Proantocianidina também pode atuar no processo de des-remineralização, além de interagir com proteínas salivares, ela poderia desempenhar um papel na prevenção da erosão do esmalte. Dessa forma, o objetivo desta tese foi avaliar a Proantocianidina na erosão do esmalte através de estudos in vitro e in situ, não necessariamente nesta ordem. O primeiro estudo avaliou o efeito da Proantocianidina aplicada sobre a película adquirida do esmalte na erosão inicial. A película adquirida foi formada in situ pelo uso de dispositivos palatinos em dois voluntários saudáveis por 2 horas. Os blocos de esmalte de cada grupo foram tratados in vitro: G1: gel de proantocianidina a 6,5% e película adquirida formada in situ; G2: apenas 6,5% de gel de proantocianidina; G3: apenas película adquirida formada in situ; e G4: sem intervenção. Os géis foram aplicados por 1 minuto. Em seguida, os blocos de esmalte foram imersos em ácido cítrico a 0,5%, pH 2,5, por 30 segundos para promover um curto desafio erosivo. A variável de resposta foi a porcentagem de perda de dureza superficial. A análise dos dados mostrou que o grupo G1 apresentou o menor valor de perda de dureza comparado aos outros grupos (G2, G3 e G4), os quais apresentaram maior perda de dureza, sem diferença significativa entre eles. O artigo 2 avaliou o efeito in vitro da Proantocianidina no esmalte hígido e erodido comparado ao fluoreto, após ciclagem erosiva de 5 dias. Os géis foram aplicados uma vez por dia antes da primeira ciclagem erosiva. A erosão do esmalte foi realizada com Coca-Cola® por 5 minutos, 3 vezes ao dia. A perda de esmalte foi avaliada por perfilometria. Os resultados mostraram que os géis testados não evitaram o desgaste do esmalte. Finalmente, no artigo 3 foi avaliado o efeito da Proantocianidina aplicada sobre a película adquirida do esmalte, mas sob desafio erosivo de 5 dias. Os grupos estudados foram gel de Proantocianidina + película adquirida, apenas gel de Proantocianidina e apenas película adquirida. Três voluntários foram responsáveis pelo uso dos dispositivos palatinos para os grupos com películas adquirida. A ciclagem erosiva foi feita através da imersão dos blocos de esmalte no mesmo tipo de ácido do artigo 1, mas por 2 minutos, 3 vezes por dia. A perda de esmalte foi determinada por perfilometria. A análise dos dados sugeriu que a Proantocianidina pode prevenir a perda de esmalte apenas na presença de película adquirida.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2023-10-22
Data de Publicação
2021-10-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.