• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.23.2012.tde-14012013-161343
Documento
Autor
Nome completo
Marcia de Mello Provenzano
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Chilvarquer, Israel (Presidente)
Hayek, Jorge Elie
Luz, Joao Gualberto de Cerqueira
Pereira, Marlene Fenyo Soeiro de Matos
Zanet, Tiago Gorgulho
Título em português
Avaliação da visibilidade do trajeto do canal incisivo e da foramina lingual por meio de tomografia computadorizada volumétrica
Palavras-chave em português
Anatomia
Canal incisivo da mandíbula
Foramina lingual
Mandíbula
Tomografia computadorizada volumétrica
Resumo em português
A proposta do presente estudo foi determinar a presença e a localização do canal incisivo da mandíbula (CIM) e da foramina lingual (FL). Foram avaliados exames de tomografia computadorizada volumétrica (TCV) de 182 pacientes com faixa etária entre 15 e 87 anos e média de idade de 55,9 anos (DP±13,6). A visibilidade do CIM foi determinada e mensurações da distância do CIM à superfície externa das corticais ósseas vestibular, lingual e da base da mandíbula foram realizadas em seis diferentes cortes transaxiais. Também foram analisadas a visibilidade e o número de FLs presentes. O CIM foi observado em 128 (70,3%) pacientes, totalizando 58 (45,3%) do gênero masculino e 70 (54,7%) do gênero feminino. A correlação estatística mostrou que quando o CIM é visível no lado direito da mandíbula, há 5 vezes mais chances de o CIM do lado esquerdo também se apresentar visível. Não foi encontrada diferença estatística na visibilidade do CIM com relação ao gênero, à idade ou à condição dentária. Entretanto, na correlação de sua posição, o gênero feminino apresentou canais mais próximos das corticais ósseas vestibular e da base da mandíbula, e o grupo dentado apresentou canais mais curtos (p<0,05). Dos 182 pacientes, 174 (95,6%) possuíam pelo menos uma FL. Uma foramina foi identificada em 116 (66,7%) casos, duas foraminas foram identificadas em 56 (32,2%) casos e três foram identificadas em somente 2 (1,1%) casos. Pacientes mais jovens apresentaram foraminas horizontais e inferiores mais visíveis. A foramina superior no gênero masculino tem maior altura lingual e tem sua origem mais distante das corticais vestibular e lingual (p<0,05). A foramina inferior é mais longa no gênero masculino e tem sua origem mais distante das corticais ósseas vestibular, lingual e da base da mandíbula (p<0,05). Imagens de TCV permitem alta visibilidade do canal incisivo da mandíbula (70,3%) e da foramina lingual (95,6%). A grande variação dos resultados obtidos demonstram que não é possível se determinar a localização exata do CIM e da FL, sendo necessária a avaliação de cada caso individualmente.
Título em inglês
Assessment of the visibility of the course of the incisive canal and the lingual foramina using cone beam computed tomography
Palavras-chave em inglês
Anatomy
Cone-beam computed tomography
Lingual Foramina
Mandible
Mandibular incisive canal
Resumo em inglês
The purpose of the present study was to determine the presence and the location of the incisive mandibular canal and the lingual foramina. Cone beam computed tomography images from 182 patients with a mean age of 55,9 years (SD±13,6) and a range of 15-87 years were evaluated. The visibility of the incisive mandibular canal was determined and measurements of the distance from of the incisive mandibular canal to the buccal, lingual and lower border of the mandible were recorded in six different cross-sectional images. The visibility and the number of lingual foramina were also analyzed. The incisive mandibular canal was observed in 128 (70,3%) subjects, accounting 58 (45,3%) for males and 70 (54,7%) for females. Statistical correlation showed that when the incisive mandibular canal was visible on the right side of the mandible, the left side had five times the chances of presenting it as well. No significant difference was found in visibility for sex, age or dental status. However, according to its position, females presented canals closer to the buccal and lower border of the mandible, and the dentate group had shorter incisive mandibular canals. From the 182 subjects, 174 (95,6%) had at least one lingual foramina. One foramina was identified in 116 (66,7%) cases, two foraminas were identified in 56 (32,2%) cases and three foramina were identified in only 2 (1,1%) cases. Statistical correlation showed that younger subjects have more visible horizontal foramina. Superior foramina in males had longer lingual height and had their origin more distant from the buccal and lingual borders (p<0,05). Inferior foramina in males were longer and had their origin more distant from the buccal, lingual and lower border of the mandible (p<0,05). Cone beam computed tomography images allow high visibility of the incisive mandibular canal (70,3%) and the lingual foramina (95,6%). The large variation of the results shows that it is not possible to determine the exact location of the incisive mandibular canal and the lingual foramina, and that each case should be evaluated individually.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-02-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.