• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2011.tde-15082012-135511
Documento
Autor
Nome completo
Leticia Meda Vendrusculo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Panobianco, Marislei Sanches (Presidente)
Almeida, Ana Maria de
Kebbe, Leonardo Martins
Título em português
Capacidade funcional e qualidade de vida de mulheres com câncer de mama após o tratamento oncológico
Palavras-chave em português
atividades cotidianas
Neoplasias da mama
qualidade de vida
quimioterapia
radioterapia
Resumo em português
Estudo descritivo, quantitativo que teve como objetivo comparar a Capacidade Funcional de mulheres com câncer de mama, que realizaram tratamento oncológico (G1), com a de mulheres que nunca apresentaram diagnóstico de câncer (G2), e identificar se a qualidade de vida de mulheres com neoplasia mamária correlaciona-se com a capacidade funcional. O G1 foi composto por 42 mulheres submetidas ao tratamento para o câncer de mama, até um ano do período da coleta de dados, e que frequentavam um núcleo de reabilitação. O G2 foi composto por 42 mulheres, pareadas com o G1, por idade e nível sócio-econômico. A coleta de dados se deu no período de janeiro a julho de 2009. Os instrumentos utilizados para a comparação da Capacidade Funcional foram Índice de Katz e Índice de Lawton, e para a Qualidade de Vida, o EORTC QLQ-C30 e EORCT QLQ-BR23. Os resultados mostraram que o G1 apresentou leve comprometimento nas condições físicas, como fadiga, imagem corporal, função sexual, função física e sintomas na mama e no braço, e moderadas alterações psicossociais na função emocional e nas atividades de lazer e de participação social, comprometendo, assim, sua QV. A comparação entre G1 e G2 mostrou que o tratamento oncológico prejudicou muito a realização das AIVDs das integrantes do G1, porém não interferiu nas ABVD. Acredita-se que os resultados referentes às ABVDs se devam ao fato de elas frequentarem um núcleo de reabilitação e receberem orientações para continuar realizando as ABVDs, mesmo no período pós-operatório. Além disso, participar do núcleo pode ter contribuído para a manutenção do autocuidado e ser também uma importante estratégia para o melhor enfrentamento das limitações físicas e emocionais impostas pelo câncer de mama. O período de realização da coleta dos dados, ao término dos tratamentos, também pode ter favorecido a indicação, pelas componentes do G1, de um menor comprometimento de alguns eventos adversos ao tratamento e alterações psicossociais. No entanto, evidenciou-se ainda, com os resultados relativos às AIVDs, a importância de um maior investimento no cuidado à mulher com câncer de mama, em relação à sua QV e CF, no que se refere às funções física, emocional e social. Sugere-se a realização de estudos de abordagem qualitativa que façam uma avaliação subjetiva dos comprometimentos dos eventos adversos dos tratamentos, das alterações psicossociais para as mulheres com câncer de mama e das estratégias de que elas se utilizam para vivenciá-los. Outras investigações poderão abordar ainda aspectos individuais no DO, como as AIVDs e atividades de lazer; avaliar a eficácia de serviços de reabilitação no manejo dos sintomas, como dor, fadiga, insônia, perda de apetite, aderência cicatricial e outros, além do papel frente às alterações psicossociais; e avaliar as demais categorias que integram o DO de mulheres com câncer de mama, para compreender a influência desta doença sobre aspectos como os de repouso e sono, educação, trabalho e participação social, a fim de possibilitar uma melhor intervenção multidisciplinar junto a esta população.
Título em inglês
Functional Capacity and Quality of Life in women with breast cancer after breast cancer treatment
Palavras-chave em inglês
activities of daily living
breast cancer
drug therapy
quality of life
radiotherapy
Resumo em inglês
This descriptive study aimed to compare the functional capacity of women with breast cancer who underwent treatment (G1), with women who never had cancer (G2), and identify if the quality of life of women with breast cancer correlates with functional capacity.G1 was composed of 42 women undergoing treatment for breast cancer, up to a year of data collection, and who attended a rehabilitation center. The G2 is the G1 paired by age and socioeconomic status. Data collection took place from January to July 2009. The instruments used for comparison were the Functional Capacity Index Katz and Lawton Index, and Quality of Life, EORTC QLQ-C30 and QLQ-BR23 EORCT. The results showed that G1 showed mild impairments in physical conditions such as fatigue, body image, sexual function, physical function and symptoms in breast and arm, and moderate changes in the psychosocial and emotional function in leisure activities and social participation, compromising thus their QOL. The comparison between G1 and G2 showed that cancer treatment was very damaging to the performance of IADL members of G1, but did not interfere with ABVD. It is believed that the results concerning the ABVD be attributed to the fact that they attend a rehabilitation unit and received guidance to continue performing the ADL, even in the postoperative period. Moreover, the core part may have contributed to the maintenance of self-care. Thus, attending a rehabilitation service can be an important strategy to better cope with the emotional and physical limitations imposed by breast cancer. The timing of data collection at the end of treatments, may also have favored the statement, the components of the G1, a lower commitment of some adverse events related to treatment and psychosocial changes. However, there was still, with the results for the AIVD, the importance of increased investment in care for women with breast cancer in relation to their QOL and CF, with regard to the functions physically, emotionally and socially. It is suggested for studies of a qualitative approach to make a subjective evaluation of the commitments of the adverse events of treatment, the psychosocial changes for women with breast cancer and strategies that they use to experience them. Further investigation will also address individual aspects of the DO, as the IADL and leisure activities, evaluate the effectiveness of rehabilitation services in the management of symptoms such as pain, fatigue, insomnia, appetite loss, scar tissue and others, besides the paper front psychosocial changes, and evaluate the other categories that comprise the OD of women with breast cancer, to understand the influence of this disease on aspects such as rest and sleep, education, employment and social participation, to enable a better multidisciplinary intervention with this population.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-09-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.