• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2008.tde-19122008-152837
Documento
Autor
Nome completo
Marciana Fernandes Moll
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2008
Orientador
Banca examinadora
Saeki, Toyoko (Presidente)
Pedrão, Luiz Jorge
Santos, Manoel Antonio dos
Título em português
A vida social de pessoas com diagnóstico de esquizofrenia, usuárias de um Centro de Atenção Psicossocial
Palavras-chave em português
Enfermagem
Esquizofrenia
Qualidade de vida
Transtornos mentais
Resumo em português
Os Centros de Atenção Psicossocial estão sendo estruturados segundo práticas de atenção psicossocial, as quais têm provocado mudanças nas formas tradicionais de compreensão e tratamento dos transtornos mentais. A reinserção social, inclusão da família e da comunidade no tratamento são recursos utilizados para a promoção da saúde mental nestes serviços comunitários. Para que os portadores de transtornos mentais tenham uma melhor qualidade de vida é essencial que tenham participação social. Parece-nos importante caracterizar, segundo alguns aspectos, as pessoas portadoras de esquizofrenia, uma vez que este transtorno psicótico pode ocasionar dificuldades inerentes à sua vida social. Ao abordarmos a vida social de pacientes com diagnóstico de esquizofrenia, devemos enfocar a participação em atividades comunitárias e de lazer e a interação interpessoal com familiares e amigos. Acreditamos que esses aspectos são essenciais para a qualidade de vida e para a reinserção social dessas pessoas, o que vai ao encontro das premissas da reabilitação psicossocial. O atual estudo é de natureza qualitativa, descritiva e exploratória e tem, como objetivos, investigar a vida social de usuários com diagnóstico de esquizofrenia de um Centro de Atenção Psicossocial e identificar como o processo terapêutico, oferecido pelo CAPS, tem colaborado na vida social dessas pessoas. Os sujeitos envolvidos foram os pacientes portadores de esquizofrenia, na faixa etária de dezoito a quarenta anos, residentes em Uberaba- MG, matriculados no Centro de Atenção Psicossocial. Para a coleta de dados foi utilizada a entrevista semi estruturada, conduzida segundo um roteiro. Estas entrevistas foram gravadas e transcritas na íntegra para que os dados fossem analisados. Para análise e discussão dos dados foram utilizados os seguintes passos: ordenação dos dados, classificação dos mesmos e análise final, tendo por base a associação entre o material teórico e empírico. Foram identificadas três categorias: a vida dos pacientes antes e após o adoecimento; o cotidiano dos usuários no ambiente extra CAPS e a assistência do CAPS colaborando na vida social e na estabilização de sintomas dessas pessoas. Os resultados sinalizaram para uma redução na qualidade das relações interpessoais do paciente após o adoecimento, embora seu cotidiano, no ambiente extra CAPS, esteja satisfatório e produtivo. Por fim, verificamos que o CAPS está oferecendo recursos terapêuticos para enriquecer a vida social e estabilizar os sintomas da clientela assistida. Entretanto, acreditamos ser essencial uma reflexão acerca da necessidade da equipe atuante no CAPS estabelecer parceria intersetorial e junto à Estratégia Saúde da Família e à própria comunidade de forma que o paciente tenha oportunidade de ampliar suas possibilidades terapêuticas relacionadas à socialização e, assim, enriquecer sua vida social. Acreditamos que esta prática também resultará na desmistificação social acerca da esquizofrenia.
Título em inglês
Social life of people with diagnosis of schizophrenia, attended at a Psychosocial Care Center.
Palavras-chave em inglês
Mental Disorders
Nursing.
Quality of Life
Schizophrenia
Resumo em inglês
The Psychosocial Care Centers (CAPS) are being structured according to psychosocial care practices, which are leading to changes in the traditional ways of treating and comprehending mental disorders. Social reinsertion and inclusion of the family and community in the treatment are resources used for mental health promotion in these community services. Social participation is essential for the improvement of the quality of life of patients with mental disorders. It seems important to characterize, according to some aspects, people with schizophrenia, as this psychotic disorder can cause difficulties regarding social life. While approaching social life of patients with diagnosis of schizophrenia, we must focus their involvement in community and leisure activities, as well as their personal interaction with family and friends. We believe these aspects are essential for those peoples quality of life and social reinsertion, in accordance with the social rehabilitation principles. This qualitative, descriptive-exploratory study aimed to investigate the social life of patients with diagnosis of schizophrenia in a Psychosocial Care Center, and to indentify how the therapeutic process, offered by the CAPS, has contributed in their social lives. The subjects of the study were patients with schizophrenia, aged between eighteen and forty years, living in Uberaba-MG, registered at the Psychosocial Care Center. The data collection was done using semi-structured interview, directed by a guide. These interviews were recorded and fully transcribed for the data analysis. Based on the association between the theoretical and empiric material, the data analysis and discussion were done through the following steps: data ordering, classification and final data analysis. Three categories were identified: patients life before and after the sickness; patients daily life in environments outside CAPS and CAPS assistance contributing in patients social life and stabilization of symptoms. The results showed a decrease in the quality of the patients interpersonal relationships after the illness, although their daily life outside CAPS is satisfactory and productive. At last, we verified that CAPS offers therapeutic resources that enriches their clients social life and stabilizes their symptoms. Nevertheless, we believe that the possibility of the CAPS team establishing a partnership with the Family Health Strategy and the community itself should be considered, thus patients would have more options of therapies related to socialization, enriching their social life. We also believe this practice to result in the demystification of schizophrenia.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-01-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.