• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
https://doi.org/10.11606/T.22.2020.tde-14092020-125920
Documento
Autor
Nombre completo
Alisséia Guimarães Lemes
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Ribeirão Preto, 2020
Director
Tribunal
Luis, Margarita Antonia Villar (Presidente)
Barroso, Tereza Maria Mendes Diniz de Andrade
Donato, Edilaine Cristina da Silva Gherardi
Vargas, Divane de
Título en portugués
A Terapia Comunitária Integrativa como estratégia de intervenção psicossocial para usuários de substâncias psicoativas
Palabras clave en portugués
Acolhimento
Comunidade terapêutica
Saúde mental
Terapias complementares
Usuários de drogas
Resumen en portugués
A Terapia Comunitária Integrativa ou Terapia Comunitária é um recurso terapêutico com a finalidade de estabelecer redes de apoio na vivência do indivíduo, por meio de rodas de conversa sistematizadas, capazes de promover relatos de inquietações e problemas advindos do cotidiano. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar os efeitos da Terapia Comunitária Integrativa como estratégia de intervenção psicossocial, desatacando suas contribuições sobre os sintomas de depressão e ansiedade e sobre a autoestima e autoeficácia de pessoas usuárias de substâncias psicoativas. Trata-se de um estudo com duas abordagens. A primeira quantitativa quase-experimental e a segunda qualitativa documental retrospectiva. O estudo foi realizado com 21 homens residentes em três instituições de saúde mental voltadas à recuperação da dependência química, submetidos a seis rodas de terapia comunitária como processo de intervenção em 2018. A coleta de dados quantitativos ocorreu em três etapas (antes, durante e depois da intervenção), a partir da aplicação de questionário semiestruturado, da Escala de Autoestima de Rosenberg, da Escala de Autoeficácia Geral Percebida, do Inventário de Ansiedade de Beck e do Inventário de Depressão de Beck, analisados pelo método estatístico não paramétricos na comparação dos resultados. Os dados qualitativos foram coletados a partir dos registros das fichas de apreciação e fechamento das rodas de TCI, que foram avaliadas por análise do conteúdo. A pesquisa foi aprovada pela EERP-USP sob parecer nº 2.487.000. O uso da terapia comunitária foi eficaz para reduzir os níveis de depressão durante e após o processo de intervenção e para manter a média dos escores de ansiedade ao longo do processo, se comparado ao início da intervenção. Evidências apontaram que a TCI também foi eficaz para melhorar os níveis de autoestima e autoeficácia nos três tempos avaliados, sendo mais evidente quando comparado antes e depois da intervenção. No que diz respeito à avaliação das fichas de registro das rodas, verificou-se que as principais demandas dos usuários estiveram relacionadas ao contexto familiar, ao sofrimento e ao desconforto aparente. As estratégias mais utilizadas no enfrentamento da dependência química foram: manejo de sentimentos negativos, fortalecimento dos vínculos sociais, apoio na religiosidade e tratamento recebido. Os principais benefícios para os usuários estiveram relacionados ao acolhimento, à comunhão, ao espaço de bem-estar, à expectativa de futuro, ao aprendizado, ao respeito, ao pertencimento e à esperança. Os resultados da melhoria da autoestima, autoeficácia, ansiedade e depressão dos usuários de substâncias psicoativas e os benefícios da participação nas rodas mostram que o uso da Terapia Comunitária Integrativa podem melhorar a qualidade de vida desses usuários, devendo ser então utilizada como uma estratégia de intervenção em saúde mental com vistas a ampliar as opções terapêuticas de cuidado a essa população.
Título en inglés
Integrative Community Therapy as a psychosocial intervention strategy for psychoactive substance users
Palabras clave en inglés
Complementary therapies
Drug users
Mental health
Therapeutic community
User embracement
Resumen en inglés
Integrative Community Therapy (TCI) or Community Therapy (TC) is a therapeutic resource that aims to establish support networks in the individual's experience, through systematized conversation wheels, able to promote reports of concerns and problems arising from everyday life. This research aimed to evaluate the effects of Integrative Community Therapy as a psychosocial intervention strategy, deattacking its contributions on the symptoms of depression and anxiety and on the self-esteem and self-efficacy of people using psychoactive substances. This study has two approaches. The first quasi-experimental quantitative and the second retrospective documentary qualitative. The study was conducted with 21 men living in three mental health institutions focused on recovery from addiction, who attended six community-therapy wheels as an intervention process in 2018. Quantitative data collection occurred in three stages (before, during and after the intervention), from the application of a semi-structured questionnaire, the Rosenberg Self-Esteem Scale, the Perceived General Self-Efficacy Scale, the Beck Anxiety Inventory and the Beck Depression Inventory, analyzed by the nonparametric statistical method in the comparison of the results. Qualitative data were collected from the records of the TCI wheels closure and appreciation forms, which were evaluated by content analysis. The research was approved by the EERP-USP under opinion No. 2,487,000. The use of community therapy was effective in reducing depression levels during and after the intervention process and in maintaining the average anxiety scores throughout the intervention compared to the beginning of the intervention. Evidence showed that TCI was also effective to improve self-esteem and self-efficacy levels in the three evaluated times, being more evident when compared before and after the intervention. Regarding the evaluation of wheel record forms, the main demands of users were related to the family context, suffering and discomfort. The most used strategies in coping with chemical dependence were management of negative feelings, strengthening of social bonds, support in religiosity and the treatment received. The main benefits for users were related to reception, communion, well-being, future expectation, learning, respect, belonging and hope. The results of improved self-esteem, self-efficacy, anxiety and depression of psychoactive substance users and the benefits of wheel participation show that the use of Integrative Community Therapy can improve their quality of life and should be used as an intervention tool in. mental health with a view to expanding the therapeutic care options to this population.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Ha ficheros retenidos debido al pedido (publicación de datos, patentes o derechos autorales).
Fecha de Liberación
2022-09-14
Fecha de Publicación
2020-10-27
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2021. Todos los derechos reservados.