• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Thèse de Doctorat
DOI
10.11606/T.22.2005.tde-14092005-104112
Document
Auteur
Nom complet
Rosâne Mello
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
Ribeirão Preto, 2005
Directeur
Jury
Furegato, Antonia Regina Ferreira (Président)
Amarante, Paulo Duarte de Carvalho
Costa, Maria Cristina Silva
Labate, Renata Curi
Oliveira, Denize Cristina de
Titre en portugais
"Identidade social de usuários, familiares e profissionais em um centro de atenção psicossocial no Rio de Janeiro"
Mots-clés en portugais
enfermagem
familiares e profissionais
identidade - usuários
reforma dos serviços de saúde - reforma psiquiátrica
relações interpessoais
sistema de apoio psicossocial - centro de atenção psicossocial
Resumé en portugais
A partir das mudanças que vêm ocorrendo na política de saúde mental, surgiram várias inquietações no que diz respeito aos resultados deste processo para os usuários, familiares, e profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Estas inquietações se estenderam também ao significado que estava sendo constituído por estes sujeitos sobre os CAPS. Surgiu, então, o desejo de estudar as identidades que estão emergindo destes sujeitos que atuam no cenário do CAPS, no que concerne a sua participação e integração a este serviço, como também conhecer os significados que estão sendo construídos a respeito destes serviços. O presente estudo possui os seguintes objetivos: Conhecer a identidade dos usuários, familiares e profissionais que atuam no cenário do CAPS e conhecer os significados relacionados ao CAPS. A pesquisa foi realizada com onze usuários, onze familiares e doze profissionais. O estudo seguiu o caminho teórico-metodológico da Teoria Ego-Ecológica, proposto por Zavalloni. Esta teoria permite conhecer a identidade do indivíduo, suas peculiaridades e sua realidade através da representação que ele possui acerca de si mesmo e do grupo. Esta teoria permite também compreender cada sujeito/identidade inserido em seu contexto, assim como as relações estabelecidas entre ele e seus pares e entre eles e os sujeitos de outros grupos com os quais se relacionam. Esta rede de relacionamentos intra e intergrupal possui significados que o Inventário Multifásico de Identidade Social (IMIS) permitiu conhecer e analisar de forma criteriosa e sensível. Este trabalho revelou o usuário com uma autopercepção fortificada, com esperança de constituir uma nova família e conseguir um emprego digno. Contudo, as mudanças observadas na identidade dos sujeitos com diagnóstico de transtorno mental não se estendem aos seus familiares que continuam sendo vistos de forma negativa, tanto pelos usuários como pelos profissionais. Para que a reabilitação social ocorra os familiares precisam ser incluídos neste processo, precisam se implicar mais no tratamento de seus familiares, e também os usuários e profissionais precisam modificar o modo como percebem e se relacionam com os familiares. O presente estudo mostrou que, apesar das dificuldades encontradas, o modelo psicossocial tem beneficiado a pessoa com transtorno mental, porém observa-se uma certa paralisia no movimento da Reforma Psiquiátrica. Indubitavelmente o modelo psicossocial beneficia a pessoa com transtorno mental severo, contudo, atualmente, corre-se o risco da cronificação destes sujeitos dentro do CAPS. O movimento da Reforma Psiquiátrica conseguiu mostrar que o modelo manicomial é ineficaz no tratamento das pessoas com transtorno mental, porém esse é só o começo do processo de reabilitação psicossocial. Faz-se necessário avançar neste processo e ir além do CAPS para que os usuários alcancem a vida. A falta de medicação e de alimentação, o número insuficiente de serviços e funcionários e a dificuldade em realizar uma assistência adequada vêm sobrecarregando e gerando estresse nos profissionais e, como um dos profissionais entrevistados fala, “O CAPS é uma estrutura em crescimento, que não sabemos aonde vai dar”.
Titre en anglais
Social identity of users, relatives, and professionals in the Day-Care Units in Rio de Janeiro.
Mots-clés en anglais
health care reform – psychiatric reform
interpersonal relations nursing
psychosocial support syste
relatives and professionals
Resumé en anglais
Many issues have come up due to the changes in the mental health policies concerning users, relatives and professionals at the Day-Care Units (CAPS). Those issues also consisted of the idea that was being made of the Day-Care Units by such individuals. This work has the purpose of studying the identities that are emerging from the perspective of such individuals who act on the Day-Care Unit scene, considering their roles and their commitment to that service, and of knowing how those services are being perceived by the individuals. The present study aims at: knowing the identity of the users, related and professional who act on the Day-Care Unit scene, and putting in evidence the meanings attributed to the Day-Care Unit. The research includes eleven users, eleven family members and twelve professionals. The study is methodologically based on the Ego-ecologic Theory by Zavalloni. This method allows to know the identity of the subject, his/her peculiarities and reality by means of selfrepresentation and the representation made by him/her about the group. This theory also enables understanding of the subject/identity as inserted in his/her environment, likewise the relations within themselves, their pairs and subjects from other environments. This internal and external network of relationships has meanings capable of accurate and sensible analysis by means of the Multistage Social Identity Inquirer. This work reveals the user with the strengthened self-awareness, hoping to constitute family and getting a fair job. However, the changes seen in mentally impaired are not followed by their relatives, who are still seen negatively both by users and professionals. In order that the social rehabilitation occurs, relatives must be included in the process, thus improving the bonds to their related ones. Users and professionals must modify the way they see and relate to their relatives too. The present study shows that, despite difficulties, the psychosocial model has been doing good to the mentally impaired, although noticing a certain paralysis of the Psychiatric Reform movement. No doubt the psychosocial model benefit the subject under severe mental impairment, however risking nowadays the perennial stay of those subjects within the Day-Care Unit. The movement of Psychiatric Reform has shown that the asylum model is not efficient in treating people mentally impaired, although psychosocial rehabilitation is just in the beginning. It is fundamental to move such process forward and beyond Day-Care Units so that the users can reach life. Lack of medication, food, services and staff to a proper care overload professionals, and quoting: “The Day-Care Unit is a growing structure which we know not where it is going to.”
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Mello_R.pdf (1.39 Mbytes)
Date de Publication
2005-10-31
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
Centro de Informática de São Carlos
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2021. Tous droits réservés.