• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.17.2021.tde-07022022-172446
Documento
Autor
Nome completo
Mariana de Paiva Batista
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2021
Orientador
Banca examinadora
Rego, Eduardo Magalhães (Presidente)
Carvalheira, José Barreto Campello
Colli, Leandro Machado
Diz, Maria Del Pilar Estevez
Título em português
Perfil molecular do carcinoma de células claras de ovário e sua correlação clínica na experiência de quatro instituições
Palavras-chave em português
Carcinoma de células claras de ovário
OCCC
Variação do número de cópias
Resumo em português
O carcinoma de células claras de ovário (CCCO) representa uma neoplasia rara, agressiva e quimiorresistente. Diferentes incidências geográficas e étnicas do CCCO já foram descritas, com destaque para a alta incidência em países asiáticos. Devido a raridade, há uma escassez de informações sobre CCCO na América Latina (A.L.) e em outros países. Neste estudo descrevemos duas coortes de 33 pacientes diagnosticadas com CCCO na A.L. (24 do Brasil e 9 da Costa Rica) e uma coorte de 27 pacientes da Espanha. Uma maior frequência de expressão aberrante de TP53 foi observada na coorte brasileira e a mediana do tempo de Sobrevida Global (S.G.) não foi significativamente diferente entre as coortes. Em sequência, as pacientes foram classificadas em três subgrupos genômicos distintos conforme previamente descrito por Tan et al. (TAN et al., 2011): Simplex-like (Sxl)(n=12), Firestorm-like (FSl) (n=2) e Sawtooth-like (STl)(n=12). Nenhum padrão genômico foi associado ao desfecho clínico. Por fim, a análise genômica foi expandida utilizando-se a Plataforma OncoScan. Pacientes apresentando MYC-amplificado de forma concomitante a perda da região cromossômica de 13q12-q13, a qual inclui o gene BRCA2 (subgrupo MB), representaram as pacientes que sobreviveram a um período mais longo em comparação às pacientes que não possuíam tais alterações. Por outro lado, as pacientes não-MB e portadoras de um elevado número (>30) de alterações no número de cópias (ANC) apresentam a pior sobrevida (subgrupo PS). Além disso, a amplificação do gene ASH1L foi associado a uma SG mais curta. Não foram observadas diferenças significativas nas frequências dos perfis genômicos ou dos subgrupos MB e PS entre as coortes da América Latina e Espanha. Os CCCOs em estádio inicial que sofreram progressão de doença de forma rápida foram caracterizados por ganhos nos genes MAPK8 e MKL1.
Título em inglês
Molecular profile of the ovarian clear cell carcinoma and its clinical correlation in the experience of four institutions
Palavras-chave em inglês
Copy number variants
OCCC
Ovarian clear cell carcinoma
Resumo em inglês
Ovarian clear cell carcinomas (OCCC) are rare, aggressive and chemo-resistant tumors. Geographical and ethnic differences in the incidence of OCCCs have been reported with higher incidence in Asiatic countries. There is a paucity of information about OCCC in Latin America (L.A.) and other countries. Here, we characterized two cohorts of 33 patients with OCCC from L.A. (24 from Brazil and 9 from Costa Rica) and a cohort of 27 patients from Spain. We detected a higher frequency of aberrant TP53 expression in the Brazilian cohort. The median overall survival (OS) was not significantly different between the cohorts. Then, patients were classified in three subgroups according to genomic landscapes in Simplex-like (Sxl)(n=12), Firestorm-like (FSl) (n=2) and Sawtooth-lixe (STl)(n=12) according to previous described by Tan et al (TAN et al., 2011) No genomic landscape was associated with outcomes. Finally, genomic analysis was expanded using the OncoScan assay. Patients with MYC-amplified tumors bearing a concomitant loss of a region in chromosome 13q12-q13, which includes BRCA2 gene (MB subgroup) comprehended the longest-survivors. In contrast, non-MB patients carrying a high number (>30) of total copy number (CN) aberrations presented the poorest survival (PS subgroup). Furthermore, amplification of the ASH1L gene was also associated with shorter OS. No difference in the distribution of genomic landscapes or of MB and PS profiles were detected between patients from the different cohorts. Initial-stage OCCCs that suffered early progression were characterized by gains in MAPK8 and MKL1 gene.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-02-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.