• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.17.2022.tde-09092022-091951
Documento
Autor
Nome completo
Stella Vieira Philbois Duarte
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2022
Orientador
Banca examinadora
Souza, Hugo Celso Dutra de (Presidente)
Chianca Junior, Deoclecio Alves
Pinge, Marli Cardoso Martins
Silva, Valdo José Dias da
Título em português
Estudo dos parâmetros cardiovasculares em mulheres hipertensas, antes e após a menopausa - efeitos da associação do treinamento físico aeróbio com Maleato de Enalapril e Losartan
Palavras-chave em português
Controle autonômico cardiovascular
Drogas anti-hipertensivas
Hipertensão
Menopausa
Treinamento físico
Resumo em português
A menopausa é resultante da expressiva redução da produção dos hormônios ovarianos que ocorre durante o climatério. Sabe-se que esses hormônios, principalmente os estrogênios, influenciam positivamente a regulação autonômica cardiovascular, inclusive por meio de suas ações sobre o sistema renina-angiotensina-aldosterona (SRAA). No entanto, em mulheres que mesmo antes do climatério apresentam doença cardiovascular, caso da hipertensão arterial sistêmica (HAS), as consequências sobre a regulação autonômica cardiovascular podem ser ainda mais graves. Nesse caso, a prescrição farmacológica, inclusive com drogas com ação sobre o SRAA, associada às mudanças nos hábitos de vida, como a prática regular de exercícios físicos aeróbios, é frequentemente indicada e apresenta resultados hemodinâmicos bastante animadores. Contudo, desconhecemos os efeitos da associação do tratamento farmacológico e treinamento físico aeróbio sobre o controle autonômico cardiovascular dessas mulheres hipertensas, antes e após a menopausa. Objetivos: investigar em mulheres hipertensas, tanto em idade reprodutiva quanto após a menopausa fisiológica, os efeitos do tratamento farmacológico com Maleato de Enalapril e Losartan associados ao treinamento físico aeróbio sobre a hemodinâmica e sobre o controle autonômico cardiovascular. Métodos: 60 mulheres hipertensas e 60 mulheres normotensas sedentárias foram divididas em quatro grupos; grupo pré-climatério (30 - 45 anos; N=30) e grupo pós-menopausa (55 - 65 anos; N=30). Todos os grupos foram submetidos aos seguintes procedimentos experimentais: lipidograma completo; análise antropométrica; avaliação da capacidade cardiopulmonar por meio do teste ergoespirométrico; avaliação do controle autonômico cardiovascular por meio da análise da sensibilidade barorreflexa e da variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e da pressão arterial (VPA). Adicionalmente, os grupos de mulheres hipertensas (pré-climatério e pós-menopausa) foram submetidas a um protocolo de treinamento físico aeróbio, supervisionado e monitorado por 16 semanas, 3 vezes na semana, com duração de 70 minutos por sessão. Resultados: O controle da pressão arterial (PA) por meio do tratamento farmacológico, não normalizou os parâmetros autonômicos cardiovasculares, quando comparado com as mulheres normotensas, tanto antes quanto após a menopausa. Contudo, o grupo hipertenso pré-climatério apresentou um predomínio do componente autonômico vagal no balanço da modulação autonômica cardíaca. Por outro lado, o treinamento físico aeróbio promoveu efeitos positivos sobre a hemodinâmica reduzindo a PA, frequência cardíaca e aumentando o VO2pico, e sobre a modulação autonômica cardiovascular aumentando parâmetros que representam a modulação vagal sob diferentes métodos de análises da VFC e reduziu as oscilações de LF da VPA. Conclusão: A terapia farmacológica é efetiva no controle da PA, porém não normalizou a modulação autonômica cardiovascular em mulheres hipertensas, tanto antes como após a menopausa. O treinamento físico aeróbio foi importante para reduzir a influência simpática sobre os vasos, e promoveu efeitos positivos sobre a VFC.
Título em inglês
Study of cardiovascular parameters in hypertensive women before and after menopause - association effects of aerobic physical training and Enalapril Maleate and Losartan
Palavras-chave em inglês
Antihypertensive drugs
Cardiovascular autonomic control
Hypertension
Menopause
Physical training
Resumo em inglês
Menopause results from the significant reduction in the ovarian hormones production that occurs during the climacteric. These hormones, especially estrogens, are known to positively influence cardiovascular autonomic regulation, including through their actions on the renin-angiotensin-aldosterone system (RAAS). However, in women who even before the climacteric have cardiovascular disease, in the case of systemic arterial hypertension (SAH), the consequences on cardiovascular autonomic regulation can be even more serious. In this case, the pharmacological prescription, including drugs with action on the RAAS, associated with changes in lifestyle, such as the regular practice of aerobic physical exercises, is often indicated and presents very encouraging hemodynamic results. However, we are not aware of the effects of the association of pharmacological treatment and aerobic physical training on the cardiovascular autonomic control of these hypertensive women, before and after menopause. Aim: to investigate in women with SAH, both at reproductive age and after physiological menopause, the effects of pharmacological treatment with Enalapril Maleate and Losartan associated with aerobic physical training on hemodynamics and cardiovascular autonomic control. Methods: 60 hypertensive women and 60 normotensive sedentary women were divided into four groups; pre-climacteric group (30 - 45 years; N=30) and post-menopausal group (55 - 65 years; N=30). All groups underwent the following experimental procedures: co lipid profile dosage; anthropometric analysis; assessment of cardiopulmonary capacity through the ergospirometric test; assessment of cardiovascular autonomic control by analyzing baroreflex sensitivity and heart rate (HRV) and blood pressure (BPV) variability. Additionally, the groups of women with SAH (pre-climacteric and post-menopausal) underwent a protocol of aerobic physical training, supervised, and monitored for 16 weeks, 3 times a week, lasting 70 minutes per session. Results: Blood pressure (BP) control through pharmacological treatment did not normalize cardiovascular autonomic parameters, when compared with normotensive women, both before and after menopause. However, the pre-climacteric hypertensive group showed a predominance of the vagal autonomic component in the balance of cardiac autonomic modulation. Aerobic physical training promoted positive effects on hemodynamics by reducing BP, heart rate and increasing VO2peak, and on cardiovascular autonomic modulation by increasing parameters that represent vagal modulation under different methods of HRV analysis and reducing LF of the BPV. Conclusion: Pharmacological therapy is effective in controlling BP, but it did not normalize cardiovascular autonomic modulation in women with SAH, both before and after menopause. Aerobic physical training was important to reduce the sympathetic influence on the vessels and promoted positive effects on HRV.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-10-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.