• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.17.2020.tde-02122020-112250
Documento
Autor
Nome completo
Lívia Maria Bolsoni
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2020
Orientador
Banca examinadora
Zuardi, Antonio Waldo (Presidente)
Guimarães, Francisco Silveira
Quintana, Silvana Maria
Takahashi, Reinaldo Naoto
Título em português
Efeitos do Canabidiol na ansiedade induzida pela rememoração do evento traumático, em pacientes com o diagnóstico de transtorno de estresse pós-traumático
Palavras-chave em português
Canabidiol
Reconsolidação de memórias aversivas
Reexposição ao trauma
Transtorno de estresse pós-traumático
Resumo em português
O canabidiol (CBD), composto da planta Cannabis sativa, tem sido investigado em estudos com animais e humanos. Esses estudos corroboram a hipótese do efeito ansiolítico deste composto, bem como de sua interferência na reconsolidação e extinção de memórias aversivas. O objetivo desse estudo foi avaliar se a administração de 300 mg de CBD, antes da rememoração do evento traumático, atenuaria os sintomas ansiosos produzidos por essa rememoração em pessoas diagnosticadas com transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), assim como interferiria na reconsolidação dessa memória aversiva. Foram selecionados 33 participantes, de ambos os sexos, com idades entre 18 e 60 anos, que possuem o diagnóstico de TEPT, de acordo com a Structured Clinical Interview for DSM-5 (SCID-V). Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Adotou-se um protocolo experimental administrado uma vez por semana por um período de três semanas. No dia 1, foram aplicadas as escalas Inventário de Ansiedade Traço Estado - Traço (IDATE-T), Posttraumatic Stress Disorder Checklist (PCL-5) e calculado o índice de massa corpórea (IMC). Ainda nesse dia, foi realizada a prova comportamental, a qual consistiu na gravação em áudio digital, por 90 segundos, do relato do trauma. Após a gravação, os sujeitos imaginaram o trauma por 30 segundos. Antes e após a realização da prova comportamental, foram aferidas as alterações subjetivas de humor e ansiedade (Escala Analógica e Visual do Humor-VAMS e IDATE-estado) e os correlatos fisiológicos da ansiedade: pressão arterial (PA), frequência cardíaca (FC) e cortisol salivar (CS). No dia 2, 7 dias após dia 1, os participantes foram randomizados em dois grupos, em um procedimento duplo-cego, e receberam CBD (300mg) ou Placebo. A randomização foi feita de acordo com sexo, idade, IMC e escore da PCL-5. Após 2 horas e 30 minutos da intervenção farmacológica, os participantes foram novamente submetidos à prova comportamental. Antes e após a realização da prova comportamental foram aferidas as alterações de humor, a ansiedade e seus correlatos fisiológicos. No dia 3, 7 dias após dia 2, os participantes foram submetidos ao mesmo procedimento do Dia 2 porém sem a intervenção farmacológica, para avaliar o efeito sobre a reconsolidação da memória traumática. A amostra foi predominantemente feminina, com média de idade de 32 anos, escore na PCL-5 variando entre 52 e 54 pontos. Em ambos os grupos, o trauma predominante foi o sexual, constituindo em torno da metade dos participantes. A ANOVA de medidas repetidas (ANOVAmr) não mostrou diferença significativa entre o grupo CBD e Placebo em relação ao aumento de ansiedade induzido pela rememoração do evento traumático, durante a intervenção farmacológica ou na semana posterior, na ausência da mesma. Todavia, no subgrupo de participantes, cujo trauma foi não sexual, observou-se uma atenuação significativa no aumento dos escores do fator ansiedade da escala VAMS, sob o efeito do CBD em relação ao placebo. O CBD foi capaz de atenuar os escores do fator prejuízos cognitivos da escala VAMS, sob o efeito da droga, permanecendo esse efeito uma semana após a administração da droga. Não houve diferença significativa entre os grupos CBD e Placebo com relação aos dados fisiológicos (PA, FC e CS) para os três dias de testes. O presente estudo demonstrou um papel pioneiro do CBD em atenuar os prejuízos cognitivos induzidos pela rememoração do trauma através de um possível mecanismo pelo qual o CBD mediaria a reconsolidação da memória traumática.
Título em inglês
Effects of Cannabidiol on anxiety induced by recall of traumatic event in patients diagnosed with posttraumatic stress disorder
Palavras-chave em inglês
Cannabidiol
Posttraumatic stress disorder
Re-exposure to trauma
Reconsolidation of aversive memories
Resumo em inglês
Cannabidiol (CBD), a major component of the Cannabis sativa plant, has been investigated in animal and human studies. These studies corroborate hypotheses of the anxiolytic effect of CBD, as well as its association with the reconsolidation and extinction of aversive memories. The objective of the present study was to evaluate whether the administration of 300 mg of CBD before the recall of a traumatic event would attenuate anxiety symptoms induced by this recall, as well as associate with the reconsolidation of this aversive memory in people diagnosed with Post-Traumatic Stress Disorder (PTSD). A total of 33 participants of both sexes, aged between 18 and 60 years old, who met a PTSD diagnosis according to The Structured Clinical Interview for DSM-5 (SCID-5) were selected for the present study and signed the informed consent form. An experimental protocol administered once weekly for three weeks, was adopted. On day 1, participants completed the State-Trait Anxiety Inventory (STAI-T), Posttraumatic Stress Disorder Checklist (PCL-5), and had their body mass index (BMI) calculated. In addition, changes in subjective mood and anxiety indicators (Analog and Visual Mood Scale-VAMS and STAI-state), as well as in physiological correlates of anxiety (blood pressure [BP], heart rate [HR], and salivary cortisol [SC]) were assessed before and after the conduction of the following two-step behavioral test. First, participants' reports of the trauma were recorded in digital audio for 90 seconds. After the audio was recorded, participants were asked to imagine the traumatic event for 30 seconds. On day 2, 7 days after day 1, participants were randomized into two groups (300 mg of CBD vs. placebo) using a double-blind procedure. Randomization was stratified by sex, age, BMI, and PCL-5 score. Two hours and 30 minutes after the pharmacological intervention, participants completed the same 2-step behavioral test that was administered on day one, and their changes in subjective mood and anxiety indicators, as well as in their physiological correlates were assessed before and after the behavioral test. On day 3, 7 days after day 2, participants underwent the same procedure as the one performed on day 2 but without pharmacological intervention in order to assess possible effects of CBD on the reconsolidation of the traumatic memory. Most participants were female, with a mean age of 32 years, and a PCL-5 score ranging from 52 to 54 points. In both groups, the predominant type of trauma was sexual, which comprised nearly half of the participants. Repeated measures ANOVA did not show significant differences between the CBD and placebo groups in relation to changes in anxiety induced by the recall of the traumatic event during the pharmacological intervention or in the subsequent week. However, in subgroup analyses for participants whose trauma was non-sexual, participants assigned to the CBD group demonstrated significant attenuation in the increase in VAMS anxiety factor scores when compared to participants assigned to placebo therapy. CBD was associated with reduced cognitive impairment (per VAMS scale) compared to placebo, with this effect remaining one week after the drug was administered. With regard to physiological measures (i.e., BP, HR, and SC), no significant differences were identified between the CBD and placebo groups on any of the three test days. Our study identifies a novel role for CBD in attenuating the cognitive impairment induced by the recall of trauma through a proposed mechanism whereby CBD mediates the traumatic memory reconsolidation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LIVIAMARIABOLSONI.pdf (3.47 Mbytes)
Data de Publicação
2021-01-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.