• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.17.2021.tde-04082021-132009
Documento
Autor
Nome completo
Laís Araújo dos Santos Vilar
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2021
Orientador
Banca examinadora
Lima, Nereida Kilza da Costa (Presidente)
Amorim, Rivia Siqueira
Dach, Fabíola
Teixeira, Andreza Corrêa
Título em português
Eficácia do tratamento da síndrome dolorosa miofascial nos pacientes com câncer em cuidados paliativos
Palavras-chave em português
Cuidados paliativos
Dor do câncer
Síndromes da dor miofascial
Resumo em português
Introdução: Cuidados Paliativos (CP) são cuidados holísticos ativos ofertados a pessoas se encontram em intenso sofrimento proveniente de doença grave ameaçadora à vida, com enfoque na melhoria da qualidade de vida. A dor física tem papel de destaque quanto à prevalência e impacto no bem-estar, sobretudo dentre pacientes com doença oncológica em fase avançada de doença. A Síndrome Dolorosa Miofascial (SDM) pode ser um dos componentes da dor em pacientes com câncer em CP, porém não há evidência, até o momento, sobre o benefício do tratamento de agulhamento com lidocaína a 1% nesses pacientes. Objetivo: Avaliar a frequência de SMD e a eficácia do tratamento da SDM com injeção de lidocaína a 1% na redução da dor em pacientes com câncer em cuidados paliativos, comparando com grupo controle em tratamento convencional. Métodos: O estudo foi desenvolvido no Hospital de Clínicas de Ribeirão Preto da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo (FMRP-USP), Unidade de Emergência - FMRP-USP e Hospital Estadual de Ribeirão Preto. Foram elegíveis todos os pacientes desses serviços com idade igual ou maior que 50 anos que tivessem doença oncológica sem proposta curativa. A primeira etapa do estudo foi composta por avaliação clínica para verificar a frequência de SDM. Os pacientes que tinham diagnóstico de SDM com intensidade de dor pela escala visual numérica maior que 5 eram convidados a participar da segunda etapa do estudo, um ensaio clínico randomizado simples-cego. O grupo intervenção foi submetido ao procedimento de injeção em ponto-gatilho com lidocaína a 1% e o grupo controle recebeu tratamento farmacológico via oral prescrito por sua equipe assistente. Foram avaliadas intensidade da dor (escala visual numérica e medida de limiar da dor com algômetro de pressão) e outras características clínicas - performance status, escore prognóstico, medicamentos analgésicos em uso, questionários de qualidade de vida, depressão e ansiedade. Houve reavaliação dos desfechos após 72 horas e 1 semana após o procedimento. Na análise estatística, para comparação de variáveis quantitativas entre os três momentos, foi utilizado modelo de regressão linear com efeitos mistos (efeitos aleatórios e fixos), adotando α de 0,05. Resultados: Dos 168 pacientes avaliados, 32,7% tinham critérios diagnósticos mínimos de SDM. Dentre as características clínicas, o uso de quimioterápico da classe dos taxanos apresentou associação com SDM (p=0,03). Participaram do ensaio clínico 30 pacientes, sendo 15 em cada grupo. Houve redução da intensidade da dor referida no grupo intervenção após 72 horas (p<0,001) e 1 semana (p=0,001), o mesmo não ocorrendo no grupo controle. Também houve redução do limiar de pressão da dor no grupo intervenção após 72 horas (p = 0,007) e 7 dias (p = 0,003), o que não ocorreu no grupo controle. O grupo intervenção teve maior frequência de indivíduos que tiveram as doses e/ou classes de medicamentos para dor reduzidas (p=0,011). Não houve diferença na qualidade de vida, ansiedade e depressão. Conclusão: A frequência de SDM em pacientes oncológicos em cuidados paliativos é elevada. Agulhamento com lidocaína a 1% em pontos-gatilho foi opção terapêutica eficaz na redução da dor desses pacientes.
Título em inglês
Efficacy of myofascial pain syndrome treatment in patients with cancer in palliative care
Palavras-chave em inglês
Cancer pain
Myofascial pain syndrome
Palliative care
Resumo em inglês
Introduction: Palliative Care (PC) is active holistic care offered to people who are in intense suffering related to their health, resulting from a serious life-threatening disease, with a focus on improving the quality of life. Physical pain has a prominent role in terms of prevalence and impact on well-being, especially among patients with cancer disease at an advanced stage. Myofascial Pain Syndrome (MPS) can be one of the components of pain in cancer patients in PC, however, there is no evidence, so far, about the benefit of needling treatment with 1% lidocaine in these patients. Objective: Evaluate the prevalence of MPS in cancer patients in PC and evaluate the efficacy in reducing pain of treating MPS with injection of 1% lidocaine in these patients, comparing it with a control group receiving conventional treatment. Methods: This study was developed in the Clinical Hospital of the Ribeirão Preto Medical School - University of São Paulo (FMRP-USP), Emergency Unit of FMRPUSP and State Hospital of Ribeirão Preto. All patients in these services aged 50 years or older who had cancer without a curative proposal were eligible. The first stage of the study consisted in a clinical evaluation to verify the prevalence of MPS. Patients diagnosed with MPS with pain intensity greater than 5 in visual numeric scale were invited to participate of the second stage of the study, a single-blind randomized clinical trial. The intervention group underwent a trigger point injection procedure with 1% lidocaine and the control group received oral pharmacological treatment prescribed by their assistant team. Pain intensity (visual numeric scale and pain threshold measurement with algometer), clinical characteristics, performance status, prognostic score, analgesic drugs in use, quality of life, depression and anxiety questionnaires were evaluated. Outcomes were reassessed 72 hours and 1 week after the procedure. In statistical analysis, to compare quantitative variables between the three moments, a linear regression model with mixed effects (random and fixed effects) was used, adopting α of 0.05. Results: Of the 168 patients evaluated, 32.7% had minimum diagnostic criteria for MPS. Among the clinical characteristics, the use of taxane class chemotherapy was associated with MPS (p = 0.03). Thirty patients participated of the clinical trial, 15 in each group. There was a reduction in intensity of pain reported by intervention group after 72 hours (p <0.001) and 1 week (p = 0.001), which did not occur in control group. There was also reduction in the pressure threshold of pain in intervention group after 72 hours (p = 0.007) and 7 days (p = 0.003), what did not occur in control group. The intervention group had a higher frequency of participants that had doses and/or classes of pain medications reduced (p = 0.011). There was no difference in quality of life, anxiety and depression. Conclusion: There is a high frequency of MPS among cancer patients in CP. Trigger points injections with 1% lidocaine were an effective therapeutic option in reducing pain in these patients.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-08-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.