• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.17.2017.tde-20072016-115252
Documento
Autor
Nome completo
Laura de Andrade da Rocha
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2015
Orientador
Banca examinadora
Piccinato, Carlos Eli (Presidente)
Evora, Paulo Roberto Barbosa
Guillaumon, Ana Terezinha
Schmidt, Andre
Silva, Jose Carlos Costa Baptista da
Título em português
Caracterização do perfil dos componentes do sistema das cininas, óxido nítrico e metaloproteinases como marcadores na reestenose precoce de stents revestidos pós angioplastia transluminal percutânea periférica
Palavras-chave em português
Angioplastia periférica
Hiperplasia intimal
Reestenose
Resumo em português
Introdução: A reestenose pós tratamento endovascular de lesões ateroscleróticas em artérias periféricas é a principal desvantagem desta técnica minimamente invasiva. A inflamação vascular após angioplastia com balão e/ou implante de stent desempenha um papel importante na proliferação de células do músculo liso vascular e posterior crescimento de uma neoíntima, e vários marcadores inflamatórios têm sido referidos como potenciais preditores dessa complicação, porém os fatores que contribuem para a estenose intra-stent no segmento vascular periférico não foram completamente elucidados. Recentemente, tem-se sugerido que a superfície revestida de stents recobertos possa impedir a reestenose de forma mais eficaz do que os stents convencionais. Objetivo: Avaliar o papel do sistema calicreína-cinina (SCC), do óxido nítrico (NO) e das metaloproteinases (MMP), mediadores inflamatórios importantes e que contribuem ativamente para a reparação de tecidos, no processo de reestenose arterial devido a hiperplasia intimal, pós angioplastia com stent recoberto no segmento fêmoro-poplíteo, com a intenção de contribuir com novas medidas terapêuticas. Método: Foi realizado um estudo prospectivo envolvendo 27 pacientes submetidos à angioplastia com stent revestido no segmento fêmoro-poplíteo, selecionados no Ambulatório de Cirurgia Vascular e Endovascular do HCFMRP/USP. Foram estudados os seguintes marcadores: sistema calicreína-cininas - com quantificação dos substratos (cininogênio de alto e baixo peso molecular - CAPM / CBPM) e da atividade das enzimas (calicreína plasmática e tecidual e cininase II); a determinação dos níveis de nitrito e nitratos para a avaliação de óxido nítrico; dosagem das MMPs 2 e 9 e dos níveis circulantes de seus inibidores (inibidores teciduais das metaloproteinases - TIMPs [1 e 2]). Amostras de sangue foram coletadas antes do implante do stent, 24 horas e seis meses após o procedimento. Foi realizado ultrasson Doppler após seis meses, e, na presença de alterações, realizada angiografia para comprovação da presença de reestenose. Resultados: Quatro (14,8%) dos vinte sete pacientes estudados desenvolveram reestenose (>= 50%) em seis meses. Esses pacientes tiveram níveis significativamente mais baixos de CAPM (24h, P <0,05) e de CBPM (antes - P <0,05; 24 horas P <0,01; 6 meses P <0,05); níveis mais baixos de TIMP 2 ( seis meses P<0,05) comparados ao grupo sem reestenose. As atividades da calicreína plasmática e tecidual, da cininase II, NO e MMPs tiveram comportamento semelhante entre os pacientes com e sem reestenose. Conclusão: As taxas de reestenose foram baixas com o uso de stents revestidos no segmento fêmoro-poplíteo comparativamente aos índices publicados de stents não revestidos. Os pacientes que desenvolveram reestenose mostraram níveis reduzidos de cininogênios e de TIMP-2 (seis meses após a angioplastia). Por outro lado, não foi possível demonstrar a participação do óxido nítrico e das metaloproteinases no processo de reestenose
Título em inglês
Characterization of the profile of kinins system, nitric oxide and metalloproteinases as markers in coated stent early restenosis post peripheral percutaneous transluminal angioplasty
Palavras-chave em inglês
Intimal hyperplasia
Peripheral angioplasty
Restenosis
Resumo em inglês
Background: Restenosis after endovascular treatment of atherosclerotic lesions in the peripheral circulation is the major drawback of this minimally invasive technique. Vascular inflammation after balloon angioplasty or stent implantation plays an important role in smooth muscle cells proliferation and subsequent neointima growth, and various inflammatory markers have been reported as potential predictors of this complication, but the factors that contribute to the in-stent stenosis in peripheral vascular segment have not been fully elucidated. Recently, it has been suggested that the coated surface of stents grafts can prevent restenosis more effectively than conventional stents. Objective: The aim of this study was to evaluate the role of the kallikrein-kinin system (KKS), nitric oxide (NO) and metalloproteinases (MMPs), wich are important inflammatory mediators and actively contribute to tissue repair, in the process of arterial restenosis due to intimal hyperplasia, with the aim of developing new interventions. Method: Single-center prospective study with 27 patients with peripheral artery disease (PAD) requiring percutaneous transluminal angioplasty (PTA) and stenting, in the femoropopliteal segment, using coated stents grafts, was performed. The following markers were studied: kallikreinkinin system using the quantification of proteins (high and low weight Molecular kininogen HMWK / LMWK), verification of enzyme activity (tissue kallikrein, plasma kallikrein and kininase II), determination of nitrite and nitrates levels for evaluation of nitric oxide, MMPs 2 and 9 circulating levels and their inhibitors (tissue inhibitors of metalloproteinases [TIMPs 1 and 2]). Serum samples were collected before stent implantation, 24 h and six months after the procedure. Doppler ultrasound was performed after six months, and in the presence of any changes, an angiography was performed to prove the presence of restenosis. Results: Four (14,8%) of the treated patients developed restenosis (>50%) within 6 months. These patients had significantly lower levels of HMWK (24 hours, P < .05), LMWK (before - P < .05; 24 hours - P < .01; 6 months - P < .05) and lower levels of TIMP 2 (6 months < .05) compered to no restenosis group. The activities of plasma and tissue kallikrein, kininase II, NO and MMP had similar behavior among patients with and without restenosis. Conclusion: Restenosis rates were low with the use of coated stents in the femoropopliteal segment compared to published bare metal stents results. Patients with restenosis showed reduced levels of kininogens and TIMP-2 (six months after angioplasty) in patients who developed restenosis. Moreover, it was not possible to demonstrate the involvement of nitric oxide and metalloproteinases in the restenosis process
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-04-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.