• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.12.2012.tde-29012013-190708
Documento
Autor
Nome completo
Kelly Cristina Mucio Marques
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Rocha, Welington (Presidente)
Aguiar, Andson Braga de
Bacic, Miguel Juan
Crubellate, João Marcelo
Frezatti, Fabio
Título em português
Custeio alvo à luz da teoria da contingência e da nova sociologia institucional: estudo de caso sobre sua adoção, implementação e uso
Palavras-chave em português
Administração estratégica de custo
Contabilidade gerencial
Estudo de caso
Sociologia organizacional
Resumo em português
A pesquisa teve como objetivo investigar as deduções e inferências que podem ser extraídas acerca da adoção, implementação e uso do Custeio Alvo à luz da Teoria da Contingência e da Nova Sociologia Institucional. Como estratégia de pesquisa utilizou-se estudo de caso interpretativo em uma subsidiária denominada Alfa, usando técnicas de pesquisa documental e entrevista semi-estruturada, sendo o discurso tratado via análise de conteúdo. Em relação à Teoria da Contingência os achados evidenciaram que o processo do Custeio Alvo é aplicado em todos os projetos de desenvolvimento de produtos, que é uma atividade chave para a Alfa de acordo com suas estratégias, para controlar os custos variáveis considerando o preço de mercado e a margem objetivada pela organização. Quando o produto começa a ser fabricado é feito o acompanhamento entre o esperado e o realizado (com rígido controle de custos via custo padrão, integrado com a avaliação de desempenho e o sistema de compensação), fornecendo evidências da integração e coordenação entre planos, ações e resultados. Poucos dos fatores contingentes presentes na Alfa apresentaram diferença em relação ao que a literatura trata como adequado (estes envolveram a baixa incerteza ambiental, a padronização de produtos e a combinação de estratégias encontrada) e nenhum deles foi considerado inadequado ou com possibilidade de inibir a utilização do Custeio Alvo. Foi verificado o uso do tipo interativo, a satisfação com o Custeio Alvo e a percepção de sua utilidade. As Conclusões foram: o Custeio Alvo é uma prática gerencial compatível com posturas estratégicas conservadoras, como defensora e mantenedora, e que essa opção não conflita com a postura de diferenciação; é difícil senão impossível estabelecer, a priori, correlações, biunívocas ou não, entre o uso de determinadas práticas de Controle Gerencial e determinadas posturas estratégicas; necessidade de analisar o fator incerteza ambiental juntamente com outros fatores. Em relação à Nova Sociologia Institucional as análises indicaram que o mecanismo coercitivo foi o responsável pela adoção do Custeio Alvo na Alfa e as evidências mostraram uma associação entre a estrutura e as ações (resposta do tipo coupling) ressaltando o perfil cognitivo, indicando uma estreita relação entre meios e fins e uma consistência da prática com os valores e crenças da organização. As evidências apontaram que o aspecto econômico embasou a forma de interpretação resultando na crença sobre a validade técnica do Custeio Alvo. Uma das conclusões relacionadas à investigação do processo de institucionalização foi que nos casos em que a difusão se apresenta eminentemente da forma coercitiva, os mitos, as regras e as normas institucionais podem determinar a estrutura, mas não necessariamente as rotinas. As evidências apontaram que a mudança nas rotinas depende da interpretação que os atores fazem das mesmas, construindo as respostas de modo a acomodar as conveniências e interesses tanto do ambiente externo quanto interno. Esta conclusão difere dos estudos de Nor-Aziah e Scapens (2007) e Siti-Nabiha e Scapens (2005). Os resultados na Alfa sugerem que a rotina (e não a estrutura) parece ser alvo de mudança quando a interpretação da instituição levar ao entendimento e à significação com base em sua validade técnica e não em sua validade simbólica. Por isso, o significado das instituições em contextos específicos depende da interpretação e da agência dos atores envolvendo os interesses e pressões sofridas. Uma das implicações desse raciocínio é que mesmo tendo suas bases fundamentadas na obtenção de eficiência, as práticas da Contabilidade podem não ser entendidas e significadas dessa forma em todas as organizações e outros fatores como os institucionais e as características da organização podem influenciar essa interpretação. Em relação aos achados com base na Nova Sociologia Institucional, destaca-se a originalidade do uso da abordagem recursiva nos estudos sobre os Sistemas de Controle Gerenciais, e mais especificamente da Contabilidade Gerencial e do Custeio Alvo, tanto no Brasil quanto no exterior.
Título em inglês
Target costing in light of the contingency theory and the new institutional sociology: case study on its adoption, implementation and use
Palavras-chave em inglês
Case study
Cost strategic management
Management accounting
Organizational sociology
Resumo em inglês
The objective of the research was to investigate the assumptions and inferences that can be made regarding the adoption, implementation and use of Target Costing in light of the Contingency Theory and New Institutional Sociology. The research strategy consisted of an interpretive case study at a subsidiary named Alfa, using document research techniques and semi-structured interviews; discourse was treated using content analysis. With regard to Contingency Theory, the findings evidenced that the process of Target Costing is applied in all product development projects, which are a key activity for Alfa according to its strategies, in order to control variable costs considering market price and the margin desired by the organization. As product manufacture begins, there is monitoring of expected and actually realized results (with strict cost control through standard cost, integrated with performance evaluation and the compensation system), thus evidencing the integration and coordination between plans, actions and results. Few of the contingency factors present in Alfa showed differences from what the literature regards as adequate (they involved low environmental uncertainty, product standardization, and the combination of strategies found herein) and none were considered inadequate or capable of inhibiting the use of Target Costing. The study assessed the use of interactive typing, satisfaction with Target Costing and the perception of its usefulness. As conclusions: Target Costing is a management practice consistent with conservative strategic postures as defender and hold, and this option does not conflict with the posture of differentiation; it is difficult if not impossible to establish a priori correlations, biunivocal or not, between the use of certain Management Control practices and certain strategic postures; it´s necessary to analyze the environmental uncertainty factor along with other factors. With regard to New Institutional Sociology, the analyses indicated that the coercive mechanism was responsible for the adoption of Target Costing at Alfa, and evidence showed an association between structure and actions (coupling-like response), highlighting the cognitive profile, indicating a close relationship between means and ends, as well as a consistency of practice with the values and beliefs of the organization. Evidence indicated that the economic aspect was the basis for the manner of interpretation, resulting in belief towards the technical validity of Target Costing. One of the conclusions related to the investigation into the institutionalization process was that in the cases in which diffusion is presented eminently in a coercive fashion, institutional myths, rules and norms can determine the structure but not necessarily the routines. Evidence showed that changes in routine depend on the interpretation the actors make about them, building their responses so as to accommodate the conveniences and interests of both inner and outer environments. This conclusion differs from the studies by Nor-Aziah & Scapens (2007) and Siti-Nabiha & Scapens (2005). The results obtained at Alfa suggest that the routine (and not the structure) seems to be the target for change whenever the interpretation by the institution leads to understanding and signification based on technical rather than symbolic validity. Therefore, the meaning of institutions within specific contexts depends on the interpretation and agency of the actors involving the interests and pressures they withstand. One of the implications of this reasoning is that even though Accounting practices are based on achieving efficiency, they may not be understood and signified as such in all organizations, and that other factors (such as institutional ones and characteristics of each organization) can influence that interpretation. With regard to the findings based on New Institutional Sociology, highlight is given to the originality of using the recursive approach in studies on Management Control Systems, and more specifically in Managerial Accounting and Target Costing, both in Brazil and overseas.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-02-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.