• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.12.2013.tde-22102013-161447
Documento
Autor
Nome completo
Paulo Frederico Homero Junior
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Salotti, Bruno Meirelles (Presidente)
Amorim, Wilson Aparecido Costa de
Weffort, Elionor Farah Jreige
Título em português
Utilidade das demonstrações financeiras publicadas pelos bancos brasileiros para o movimento sindical dos bancários
Palavras-chave em português
Análise de conteúdo
Contabilidade
Demonstração financeira
Negociação coletiva
Relações industriais
Sindicalismo
Resumo em português
A ideia de que as demonstrações financeiras devem ser úteis para seus usuários tomarem decisões econômicas tem longa tradição na literatura contábil. No entanto, a associação entre contabilidade e tomada de decisões tem sido mais presumida do que observada. Além disso, há uma tendência de redução do escopo destas demonstrações aos interesses de investidores e credores, ignorando as necessidades de outros usuários. Dentre estes outros usuários estão os trabalhadores, que por dependerem das organizações para garantir sua subsistência possivelmente se interessem em informações sobre elas. Para investigar se as demonstrações financeiras são úteis aos trabalhadores, este trabalho analisa o caso do movimento sindical dos bancários brasileiros. O histórico de organização do movimento, a grande disponibilidade de informações contábeis sobre os bancos brasileiros e as negociações centralizadas entre empregados e empregadores contribuem para esta análise. A revisão de literatura discute brevemente a regulação contábil, cujo papel social não é visto como neutro, provavelmente não considerando os interesses dos trabalhadores; as negociação coletivas, descritas como um conjunto de subprocessos por vezes contraditórios; e os papéis e usos da contabilidade nas relações de trabalho, bem como as políticas de divulgação de informações adotadas pelas empresas em relação aos sindicatos. Técnicas de análise de conteúdo foram usadas para estudar dados coletados na Folha Bancária, jornal publicado pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, compreendendo todo o ano de 2012. Os achados foram corroborados por meio de outros documentos e de entrevista. Informações sobre lucro líquido, composição da força de trabalho, remuneração de administradores, operações de crédito e provisões para créditos de liquidação duvidosa foram identificadas como as mais utilizadas pelos sindicalistas. Despesas de pessoal, composição da força de trabalho e participação dos trabalhadores nos lucros das empresas são temas para os quais as demonstrações financeiras não apresentam informações suficientes aos sindicalistas. Constatou-se que os sindicalistas utilizam as demonstrações financeiras essencialmente de um modo estratégico, selecionando informações que sirvam aos interesses do movimento sindical. E estas informações exercem um papel predominantemente de munição ou racionalização, servindo para promover as posições do sindicato ou para justificar e legitimar suas ações. Porém, tais informações parecem ter pouca influência sobre as decisões do movimento sindical, mostrando que restringir a análise da contabilidade ao âmbito da tomada de decisões econômicas pode limitar a compreensão sobre a disciplina. Por fim, a política de divulgação de informações dos bancos ao movimento sindical parece limitada ao cumprimento de obrigações legais, e os sindicatos não aparentam ter entre suas prioridades o acesso a informações contábeis. Isto pode sugerir que os sindicalistas vejam as informações contábeis mais como um problema a lidar do que como uma oportunidade a explorar, ou talvez que a profissão contábil careça de credibilidade perante eles.
Título em inglês
Usefulness of the financial statements published by the Brazilian banks to the trade union movement of bank workers
Palavras-chave em inglês
Accounting
Collective bargaining
Content analysis
Financial statemen
Industrial relations
Unionism
Resumo em inglês
The idea that financial statements must be useful for their users to take economic decisions has a long tradition in the accounting literature. However, the association between accounting and decision making has been more presumed than observed. Furthermore, there is a tendency of reducing the scope of these statements to the interests of investors and creditors, ignoring the necessities of other users. Among these other users are workers, whom by depending on organisations to grant their subsistence will possibly be interested in information about them. To investigate whether financial statements are useful to workers, this work analyses the case of the trade union movement of the Brazilian bank workers. The movement's organisation history, the huge availability of accounting information from Brazilian banks and the centralised negotiations between employees and employers contribute to this analysis. The literature review briefly discusses accounting regulation, whose social role is not seen as neutral, probably not considering workers' interests; the collective bargaining, described as a set of sometimes contradictory sub-processes; and the roles and uses of accounting in industrial relations, as well as the disclosure policies adopted by enterprises in relation to trade unions. Techniques of content analysis were used to study data collected from Folha Bancária, a newspaper published by the Bank Workers Union of São Paulo, Osasco and Region, comprehending the whole year of 2012. The findings were corroborated by means of other documents and an interview. Information about net income, work force composition, management remuneration, bank loans, and allowance for bad debts were identified as the most used by trade union officials. Personnel expenses, work force composition, and profit share schemes are themes to which financial statements do not provide sufficient information to trade union officials. It was found that trade union officials use financial statements essentially in a strategic way, selecting pieces of information which serve to the interests of the trade union movement. And these pieces of information play a role predominantly of ammunition or rationalisation, serving to promote union's positions or to justify and legitimise its actions. Nevertheless, such information seems to have little influence over the decisions of the trade union movement, showing that restricting the analysis of accounting to the scope of economic decision making may limit the comprehension about the discipline. Lastly, the information disclosure policy of banks to the trade union movement seems to be limited to the fulfilment of legal duties, and unions do not appear to have among their priorities the access to accounting information. This may suggest that trade union officials see accounting information more as a problem to be dealt with than as an opportunity to explore, or perhaps that the accounting profession lacks credibility before them.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-11-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.